Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Gran Circo Nacional

Respeitável publico!!! Com vocês o grande... o espetacular... o magnífico... o inoxidável... palhaço do país...
O povo!!!
Depois de tantas falcatruas em todos os níveis desta nação somos achacados ainda mais na nossa moral, tão baixa, tão pisada. Somos chantageados pelo governo, cria nossa, pensando em criar um beija-flor, criamos um urubu, que pensa que é rei, não sai do poleiro, e ainda tenta arrancar nossos olhos.
Não sou sonegador de imposto algum, embora não concorde com a maioria deles, outro dia também apelaram. Numa visita a um hospital publico e vendo pessoas morrendo pelos corredores, coisa banal nas emergências deste país, o ministro da saúde disse que era para isso que precisávamos renovar a CPMF. Que eu saiba, talvez a maioria também, que este imposto, mais um para a saúde do bolso de alguns, existe há mais de dez anos e de nada mudou. Mas foi mudado. Tem muitos “sanguessugas” que estão ricos.
Um presidente de uma nação devia ser menos leviano nas suas declarações, ou vá fazer um cursinho para se tornar editor de uma revista da imprensa marrom. Não estamos questionando a falta de estudos que nosso pretendente a imperador tem, pelo contrario não é bem por ai que se faz à hombridade de alguém, já conheci analfabetos de nascença (não podia perder essa), sem  talento para falar asneira. E outros formados em universidades das mais conceituadas do mundo, também falaram coisas de deixar extraterrestres abismados, esse sem ter desculpa de ter tido mãe nascida analfabeta, nem culpar o defasado e caquético ensino brasileiro.
Para quem foi chamado de vagabundo por querer descanso depois de trezentos anos de trabalho, vamos ter que trabalhar três vidas para pagar os impostos de trinta anos, para ai sem viver a quarta vida sem estresse. Já vimos presidentes desfilando com garotas nuas no carnaval, fazendo jus ao Brasil e sua zona mundial, que fazem questão de enaltecer o país como carnaval e putaria. Quando os gringos caem na bobeira de levar mulheres honestas para prostituição lá fora, é pela imagem que passam de como é esta zorra. Já tivemos um que dizia se caçador de marajá, e caiu no próprio embuste. E por incrível que possa parecer muita gente votou nele e assim voltasse á vida publica desta vez no senado. Quem destes eleitores poderá reclamar  se o fato voltar a se repetir? Não terão moral para isso. Podemos então afirmar que o estado deles deve estar as mil maravilha, primeiro mundo, não se sabe por que, as más línguas falam em taxas de mortalidade infantil igual aos índices Africanos.
Agora, depois de outras tantas, o nosso inepto comandante vem dizer que quem é contra a CPMF é por que sonega imposto. Está cada vez pior. Mas eu quero que este cidadão venha vasculhar a minha vida e minas contas para ver qual imposto eu soneguei. Desafio quem quer que seja que defende este governo medíocre para conferir. Tenho alguns que estão atrasados pois os impostos são maiores que minhas receitas (só no Brasil acontece isso) mas estou pagando. Sou contra a CPMF. A menos que me tragam uma planilha dizendo centavo após centavo onde foi investido cada tostão, mesmo assim ainda seria difícil de acreditar. Não meus senhores, quando um homem ou uma instituição perde a credibilidade nem seres mitológicos escapam, prefiro acreditar no Papai Noel, a acreditar num destes cidadãos que nem vou me repetir.
Ainda há aplausos na platéia. Não se sabe para quem. Sinto-me um gladiador a espera dos leões, nu numa arena para deleite dos imperadores brutais e tiranos, reflexo da escolha quase cega, de imagens enganosamente propagadas, como se fossemos marionetes. O problema de se dar poder a oprimidos é que serão opressores. Nossas caras estão limpas, sem mascara ou pintura, somos retalhados dia após dia, com uma meia dúzia de pândegos rindo de nossa desgraça.
Bons tempos aqueles, que palhaçadas eram restritas a circos.
J B Ziegler
Enviado por J B Ziegler em 30/11/2007
Código do texto: T759333
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2007. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
J B Ziegler
Gravataí - Rio Grande do Sul - Brasil, 37 anos
217 textos (42470 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 11/12/17 17:23)
J B Ziegler