Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

DERCY GONÇALVES [Corrigindo]

ACONTECIMENTOS...

Nelson Marzullo Tangerini

                       Amiga de Antônia Marzullo, sogra do escritor Nestor Tangerini, de Antonietta Saturno Marzullo e do ator Manuel Pêra, Dercy Gonçalves costumava, na década de 30, século XX, ir sempre à casa da atriz, nos finais de semana, para jogar baralho com um seleto grupo de artistas: Maurício, Dinah e Dinorah  Marzullo (filhos de Antônia), Jaime Costa, Aracy Cortes, Mesquitinha, Alda Garrido, Sílvio Caldas, entre outros.
                   Dinah Marzullo Tangerini, minha mãe, que trabalhou na Companhia Alda Garrido, ao lado de minha avó e da irmã, costumava nos contar que a casa ficava sempre cheia e animada.
                   Contava Dinah que Dercy sempre foi uma pessoa espevitada – e com um “fino vocabulário”, o que causava, em alguns, um certo espanto.
                    ...

                       A centenária Dercy, como sabemos, trabalhou em duas peças de Nestor Tangerini, meu pai: em Quem será o tutu? [de parceria com De Chocolat], 1936, e No Tabuleiro da Baiana, 1937.
                    ...

                    No final da década de 40, resolve Nestor Tangerini, através da coluna O teatro no Espeto, da revista de humor e sátira O Espeto, Rio, 15 de abril de 1947, Ano 1, no 1, ps. 10 e 11,  fazer uma brincadeira com a irreverente atriz:
                   
                    “Certa senhora, já velha, riquíssima, muito beata e cheia de escrúpulos, anunciara precisar de uma dama de companhia. Pagava regiamente e tratava como pessoa da família.
                    Dercy Gonçalves leu o anúncio e apresentou-se.
                     - Onde você já serviu, minha filha? – indagou a milionária.
                     E Dercy, muito ingênua:
                     Era dama de companhia... de revistas...
                     A velha benzeu-se.”

                     A revista O Espeto durou pouco: até início de 1948. Mas faria, em toda a sua trajetória, diversas brincadeiras com diretores teatrais e atores da época, como o ator minhoto Jaime Costa, primo de José Pinto da Costa, que viria a se casar em segundas núpcias com Antônia Marzullo.
                    Dessa mesma coluna ainda tiramos uma troça com o ator português:

                    “Nelma Costa, Cora Costa e Álvaro Costa não estão mais na Companhia Jaime Costa?
                    Não. Jaime Costa diz que de Costas bastam Arlindo Costa e Ademar Costa, que ele está doido para ver pelas Costas...
                    É, chega de tantos Costas encostados nas costas do Jaime Costa...”
                     ...

                     Mexendo em anotações de Nestor Tangerini, encontro um pequeno e interessante texto manuscrito – de sua autoria – [provavelmente da década de 40] e jamais elaborado para uma possível publicação:

                     “A doméstica Benvinda de Campos abandonou o lar, fugindo com um soldado da polícia. Ao esposo, deixou o seguinte bilhete:
                     ´De acordo com as leis, ninguém pode resistir à polícia.´”


Nelson Marzullo Tangerini, 52 anos, é escritor, jornalista, poeta, compositor, fotógrafo e professor de Língua Portuguesa e Literatura. É membro do Clube dos Escritores Piracicaba [ clube.escritores@uol.com.br ], onde ocupa a Cadeira 073 – Nestor Tangerini.

n.tangerini@uol.com.br, tangerini@oi.com.br, nmtangerini@yahoo.com.br


Nelson Marzullo Tangerini
Enviado por Nelson Marzullo Tangerini em 01/03/2008
Código do texto: T882159
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Nelson Marzullo Tangerini
Rio de Janeiro - Rio de Janeiro - Brasil, 64 anos
310 textos (24109 leituras)
9 e-livros (127 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 17/10/19 13:05)
Nelson Marzullo Tangerini