Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Homens Verdadeiros: os Canalhas Compreensivos

Não é a primeira vez em que tenho que forçosamente estar errado, em que meus sentimentos por alguém são vistos de forma negativa. Por que é que tenho de estar sempre errado, pra mim, ainda é um completo mistério. Agora, enquanto canalhas compreensivos merecem mais uma dúzia de chances para chafurdar e aproveitarem-se do amor que lhes é dedicado, eu mereço apenas um silêncio de desprezo, afinal de contas, quem este ser desprezível pensa que é, que deva merecer amar belas criaturas de olhar angelical e corpos perfeitos – ou quase – ou pior, que deva merecer ser amado por tais criaturas divinas?
Será só baixa auto-estima? Será que sou mesmo tão depreciativo comigo mesmo?! Sim, me sinto mesmo, algumas vezes, como se meus sentimentos extrapolassem a realidade, como se não merecesse amar as criaturas de olhar angelical e de corpos perfeitos, ou quase, a que me referi acima. Sinto-me desprezado, às vezes, e há momentos em que sinto como se merecesse o desprezo, como se o meu amor fosse não só desmedido, mas também incorreto, como se amar alguém – aquele alguém, principalmente – fosse algo muito errado... sabe o tema da moda, os intocáveis hindus? Pois é como se eu fosse um intocável, sinto-me a tal poeira dos pés do deus Brama. Sinto sim como se os belos anjos por quem me apaixonei merecessem alguém muito melhor do que eu, um ser tão mundano e desprezível! Não sei por que, no entanto, quem não merece se rebaixar a meu patamar admite se rebaixar ao patamar de canalhas compreensivos, ou daqueles que consideram “homens de verdade”. Não têm nada melhor do que eu, podem ser, na sua imensa maioria, comparados a intocáveis como eu! E no entanto, eles podem amá-las, ou desejá-las – termo mais aproximado da realidade – e eu sou desprezível demais para amar e ser amado por qualquer pessoa?!
Perdi toda e qualquer esperança de ser amado. Graças a meus amores, que dizem nunca ser nada disso, mas o fato é que me desprezam, e se realmente me adoram, ou me têm como grande amigo – o que duvido muito – então desprezam e odeiam o sentimento que tenho ou tive por elas, desconfio que por ter sido o único amor verdadeiro de um homem que tiveram e nunca vindo da parte de seus “homens verdadeiros”... apenas de um miserável e desprezível ser que preferiam ter como inimigo! Palavras não vão me provar do contrário, mulheres me dizendo que elas não são assim também não... e silêncios só corroboram minha certeza de que nunca merecerei ser amado. Atitudes podem mudar meu modo de pensar, e até agora não vi ninguém efetivamente disposta a provar-me o contrário!
Ayrton Mortimer
Enviado por Ayrton Mortimer em 04/06/2009
Código do texto: T1631487

Copyright © 2009. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.

Comentários

Sobre o autor
Ayrton Mortimer
Sapucaia do Sul - Rio Grande do Sul - Brasil
238 textos (20941 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 25/09/20 08:32)
Ayrton Mortimer