Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Triste poema para posfácio

Um dia estarei inscrito na lápide. Um ou outro livro escrito à mão guardado em uma gaveta. Já não serei e estarei perpetuamente gravado nas colunas do grande Oriente. Na imensidão das palavras meu nome será ínfimo e no coração que mais me importa já sou esquecido. Um poeta que jaz vazio, cheio de saudades. Um escritor que jaz em triste lamento a ânsia de terminar seus dias ao lado do melhor vinho que essa vida já mo deu. Contudo, hoje penetra na própria alma e sondando-a, encontra nela o fragmento da melhor parreira onde deliciava seus cachos... Cessa o fôlego, cala a pena... Sobram saudades. Na finitude da vida penetro a eternidade da existência. No silêncio do ataúde um desesperado coração... A epígrafe e o posfácio não deixarei ... Vazio retorno ao ventre, de onde nu eu nasci. No ventre da madre me tolho, perdido nos braços que me carregavam na hora da dor... Não há lamento nem pranto... O poeta já não é... Agora vazio... Sempre teu, vinho que não me cura, eterna namorada... Despede de ti a minha alma... Vazia, fútil, frívola sem tua presença...
FidelisF
Enviado por FidelisF em 07/06/2018
Código do texto: T6357721
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2018. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
FidelisF
Osasco - São Paulo - Brasil, 39 anos
337 textos (22169 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 15/10/18 09:17)
FidelisF