Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Resignados, acordem!

Se a chuva que cai do céu é ácida
Por que nos resignamos e nos calamos no conforto de nossas casas?
O conforto monopolizou a atitude popular,
tapou nossas bocas
e nos amordaçou,
saiam as ruas, enfrentem a estrutura
se rebelem e não se calem!
As conjecturas vorazes que são envoltas por esbeltas certezas
estão voltando
o mundo é da pós-verdade.
O homem perdeu a confiança de si mesmo
e sancionou a vigília constante, ao passo que
o espetáculo midiático nos hipnotiza
e nos amedronta.
Massas e massas cinzentas de trabalhadores perdidos
pelas ruas
ou de proeminentes artistas julgados como subversivos,
até quando?
A Raça humana precisa se encontrar!
Há humanidade, mas tão tímida
que se esconde da corrente odiosa
de pretensiosos fervorosos pela punição,
como só se tratasse de repreensão.
Esquecemos o amor
tão citado em livros sagrados, romances e filmes,
mas sempre nos lembramos da raiva
tão espetaculares em prisões, açoites e punições.
Agora, o que fazer?
A esperança morreu
juntos com a alegria dos grafites paulistas,
a cor se perdeu
junto com o grafite do asfalto,
temos que nos levantar da cova,
do estado sonâmbulo e conformista
e lutar, gritar
até que a ultima gota de sangue que corre em nossas veias
seja derramado
e assim, só assim
acharemos novamente o sentido obnubilado.
 
Pato sem híato
Enviado por Pato sem híato em 06/08/2018
Código do texto: T6411059
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Pato sem híato
Divino de São Lourenço - Espírito Santo - Brasil, 18 anos
1 textos (11 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 23/10/18 11:30)