Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Neste ponto o Presidente está certo

Vamos falar do Presidente porque neste ponto ele está certo. Gripe sempre existiu?  Pensando um pouco mais ela desaparece após fazer algum estrago. Dizem que é também  sazonal sendo mais visível na mídia durante a estação gelada do ano onde mais se dissemina. Você, Leitor, nunca ouviu em nenhum noticiário um só  comentário sequer  sobre gripe de verão. Talvez uma que outra.  São as doenças da invernia que nos matam como o trânsito perverso e a poluição reinante.
Neste momento a imaginação imposta sobre as costas do vírus é a de que a gripe bóia no céu azul suas partículas contaminadas e daninhas. Vírus é raro exemplo a prática do ir e vir da democracia sem fronteiras. Desde recuados tempos há casos de influenza. Ontem vi um sujeito na rua gritando: vamos ficar todos dentro de casa para curar a gripe global. Gripe da peste que está dando em números nunca dantes divulgados de disseminação. Essa cismou em fazer muito sucesso. Lamento muito.
        Crítica honesta nunca é desrespeito, sempre é dissabor.  Assim nos meses de dezembro, janeiro e fevereiro a Itália tem seus meses de inverno, com as temperaturas variando de 2°C a 14°C. Muitos estão tombando contaminados por essa gripe diferente, original, fatal e estúpida. E que se  tornaria um monstro  com um extravagante novo nome. Considerando aspectos que a informação desconsidera e implantando terror aos nossos trópicos. A população da Itália envelheceu e diminuiu sensivelmente nos últimos anos. A neve e a umidade são inimigos mortais da saúde pública até na casa do Trump.
       A idéia de ficar na  habitação lavando as mãos sem sair por tempo indeterminado  até o bicho papão passar é inacreditável.  Será estudada no futuro porque a gripe de sempre pode matar e ainda assim circulamos normalmente.  Estacionamos numa colorida farmácia e voltamos do trabalho morrendo de gripe. Trabalhadores operam podres de gripe. Estes sim devem ficar em casa com solidariedade remunerada e todos os cuidados. Nunca foi assim. Na invernia passada a escola não aderiu ao horário de inverno para alunos e professores. Crianças enregeladas e até mal vestidas esperavam a campo aberto o ônibus aparecer diante da madrugada para alcançar a escola. A invernia precisa de horário especial, isso é uma medida preventiva. Demais as crianças são menos vulneráveis, professores, pouco ligam para eles.
  Com o tempo retomamos o curso de nossas vidas sobrando ainda dores no corpo, coriza, tosse, garganta aflita, falta de apetite e tesão. Vovó se abeira da cama com seu lindo rosto e aconselha: suor, canja de galinha, limão com cachaça e cama.
Ocorre, Senhor Presidente, que de fato; a gripe ganhou uma amiguinha nova. Letal como todas as moléstias caso agarre o contribuinte fraco.O recolhimento sempre foi útil para o pronto restabelecimento do enfermo com  as mesmas medidas de profilaxias encenadas hoje. Casa bem arejada é fundamental, evitar locais fechados e aglomerações.  Isso era assim para os gripados normais.  Os novos gripados desse novo vírus devem estar cercados por militares até os dentes. Os espirros devem estar sendo procurados pela polícia, e como se não bastasse, os cárceres cheios de fumantes de marijuana trancafiados sem marijuana. Há multidões de almas nacionais sem habitação com dificuldade de obedecer a mídia da quarentena por tempo indeterminado. Voltando a sisudez que o tema exige.
       Senhor Presidente - Os hospitais não devem ser apertados, as caminhas devem ser boas, inclináveis,  os aparelhos devem funcionar, a comidinha deve ser salutar. Todos os princípios  de salubridade devem ser obedecidos. Há hospitais pobres e ricos neste país.  Os médicos devem ser acessíveis “para todos!” O que temos? Morre  Dedé, João, José por falta “quinhentos mil reais” para a operação essencial. Esta que ninguém faz por falta de recurso financeiro.
       Isso é uma pandemia.
       O país até agora não descobriu como lidar certeiramente com o vírus. O que os estados globais descobriram é a medida em número de doentes para demonstrar o uso cínico de Hipócrates nas sociedades atemorizadas.  O medo é sempre a pior das reações. Eis uma espécie de efeito Stan Lee no curso informativo de nossa sociedade oferecendo monstro sem herói. Efeito Orson Welles e os discos voadores lembram-se?   Fique em casa e não saia.  Os heróis informativos salvarão o país da gripe e soterrarão a civilização inteira por destruir a produtividade em face ao novo mal. Produtividade já precária. No caso da paralisação da agricultura e de outros bens de serviço é o fim da nossa sociedade organizada. Talvez alguém forte queira reinventar a monarquia, o sistema de feudos, aproveitando-se do caos absoluto. Aliás, celebridade com a nova doença é retorno a notoriedade.
  Há no campo informativo um triste incentivo a inanição que poderá  ampliar a fome e com ela todas as pestes, além da  nova gripe, é claro. Verdade, Presidente. Nisto é compreensível de sua parte o aproveitamento político da obediência do poder pela informação. Ouvi de uma senhora idosa que sequer durante a II Guerra sentiu tanta covardia. O senhor pensa neste caso diferente de muitos governadores, aqueles que já fracassados em ações concretas em seus estados, saem ilesos com a faixa da pandemia, como desculpa da ausência de reais melhorias sociais.
É o sistema de saúde nacional que não comporta nem surto pandêmico de hemorróidas, Senhor  Presidente. Falando no estilo populista de dizer as coisas tão ao gosto de Vossa Excelência.  Por isso os informativos optaram pela paralisia e o senhor não se convence. O anúncio sobre o bicho acabou tomando curso absolutamente novo e o novo é a maior novidade, como diria o filósofo humorístico Chico Anísio. Data Vênia.
Destaque-se a miséria nova do mundo e sabemos que esta não é a mais forte.
O destaque de uma desgraça nova no mundo envaidece o  forte e imprime  no fraco a covardia insana,  guiada pelo convencimento do medo. Com respeito à  patente o senhor Presidente demonstra o espírito humilde do soldado em sua essência. Caso o indivíduo não tenha a força mental de um soldado o país se arrastará de fome diante da improdutividade. Ou o computador empregará em casa  todos? Não deixa de haver nessa promessa computacional  uma evolução Finlandesa de qualidade de vida. Uma  boa ideia de criar fortuna para todos na frente da tela.
O Senhor Presidente, está mal sucedido porque está cercado por uma ideologia arcaica, moralista, elitista e oportuna. Graças ao infeliz enfraquecimento das forças respeitáveis dos trabalhadores e do trabalhismo, que não pode ser confundido com comunismo. Utilizado o comunismo como alavanca para sustentos de grandes parasitas que sempre andam colados nas esferas de poder. Vargas já fez isto com resultados de dor e sangue para o povo que ele dizia amar. A parcela comunista  que deu consciência justa para um sistema vil de produção (ideologicamente até o Carlos Lacerda apoiou) hoje está despida de moral no açoite da exploração.  Completamente desarticulado pelo evento das  mídias tranversais. Aliás, o senhor é o primeiro Presidente destas mídias transversais, ditas virtuais. Avanço de tecnologia que deixa o trabalhador num mato sem cachorro.
Por que a conhecida amiga gripe de antes nunca foi convertida em paralisia social generalizada?
Só a famosa gripe A. em 2009 liquidou no país um número tão elevado de casos que até o Papa devia ter sido levado ao isolamento. Ninguém deu a mínima globalmente. Nossos índios morrem angustiantemente do que para eles é essa nossa medonha de agora.
 Esta nossa pandemia por sinal em muitos casos passa em quatro dias ou cinco dias no cabra forte. Quer dizer que não fulmina todos os infectados.  Como em Huan deviam ter fechado o comércio em 2009 e não fechou e a culpa não foi do governo da época. Foi o modo como se via o fato. Devíamos continuar detectando melhoria dos hospitais e do atendimento para todo o sempre. Tenho  respeito pelos que se foram. Passo a ser do grupo de risco desde que a oculista saiu por tempo indeterminado, sem analisar meu exame de  glicemia para as lentes que deveria receitar.
Portanto não posso senhor Presidente ver o vírus como ele está sendo exposto. Aceitar como Vossa Excelência, o quietismo, o isolamento paranóico, caso o enorme mal andar dentro de casa onde estou confinado.


Tércio Ricardo Kneip
Enviado por Tércio Ricardo Kneip em 25/03/2020
Código do texto: T6896700
Classificação de conteúdo: seguro


Comentários

Sobre o autor
Tércio Ricardo Kneip
Santa Vitória do Palmar - Rio Grande do Sul - Brasil, 57 anos
1703 textos (69032 leituras)
2 áudios (85 audições)
1 e-livros (50 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 04/04/20 11:56)
Tércio Ricardo Kneip