Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

SAUDADE DA NOSSA JUVENILIDADE

SAUDADE DA MINHA JUVENILIDADE - NELSON TEIXEIRA

Ah, meu país!
Em 1948, minha família era feliz!
Eu vim sob os cuidados da obstetriz!
Eu vim ao relento, ao rebento, à luz!
Nasci com saúde sob a proteção de Jesus!
Nasci sob os cuidados de uma parteira!
Hoje é doula que acompanha a gestação inteira!

Olhem só, se não dá saudade, sou fonte reminiscente,
vou descrever o que tenho na minha velha mente:

Não existia arrastão!
Quase não havia ladrão!

Quase não havia latrocínio!
Hoje, tem e não cabe no raciocínio!

Quase não havia crime!
A canção tinha letra sublime!

Havia o Circo Giacomelli de tourada!
Havia Circo Teatro, uma jornada!
Havia o Circo do Orfei, Italiano!
Cada semana num lugar! Varava o ano!

No circo, assisti "O Ébrio" de V. Celestino!
Ao cinema, assisti filmes desde menino!
Footing, paquerar em volta do quarteirão da praça!
Hoje vejo união diferente que chego achar graça!
Está fedendo a boca da égua e a desgraça grassa!

Fogão à lenha, aquecendo serpentina! Rotina!
Pilão pra paçoca e forno de barro no quintal!
Torrar café e moer em casa! Era bem legal!
Banheira, água quente trazida pela serpentina!

Telefone era ligado pela telefonista!
Só rico o possuía, pequena era a lista!
Na máquina digitava-se o texto! Cópia com carbono!
Cópia no mimeógrafo e todo erro era um transtorno!
Fotos no fotógrafo, era raro, pois era caro!
Tiravam-se poucas fotos, nas décadas, lá atrás!
Pena, pois pouco registro, pouca história! Aliás...

Sinto saudade da minha meninice com toda ardência!
Bétis, pular corda, bola de gude, coisas da adolescência!
Hoje é celular, tablet, notebook, redes sociais e modernidade...
O jovem é sedentário e tornou-se perdido, sem identidade!

Não havia clube, nem piscina...
Cidade de 900 m de altitude...
Era muito frio...Neblina...
Era trabalho honesto e atitude.
Negócios com o fiador "pelo do bigode"...
Biotônico Fontoura, vê se pode?
Óleo de fígado de bacalhau, uau!

Tenho saudade... da minha mocidade...
Da juventude, da total saúde...
Da minha cidadezinha, amiúde...
Sobrou-nos grande vicissitude!

SAUDADE DA MINHA JUVENILIDADE - BERNARD GONTIER

Telefones eram pretos,
geladeiras eram brancas.
Mimeógrafo tinha cheiro forte.
Ladrão? Nem de galinhas eu vi.
Circo Orfei eu vi. Vim, vivi e tenho vivido.
Vivido com Proteção de Jesus,
de Nossa Senhora e de São José.
Igreja da matriz,
com coreto e chafariz.
Praça com pipoca,
senso de humor, espirituosidade,
ou se preferir, presença de espírito,
em quase toda a gente, rica, pobre, remediada.
O Brasil foi alegre
com jabuticabeira e mortadela.
Dá saudade mesmo.

Foz do Iguaçu, 19/10/2015
Publicado no www.nelmite.blogspot.com em 19/10/2015
Publicado no Recanto das Letras em 19/10/2015
http://www.recantodasletras.com.br/autores/noslen
Outros autores também no Recanto com outros textos:
http://www.recantodasletras.com.br/autores/nelmite
http://www.recantodasletras.com.br/autores/gurosyte
Nelson Teixeira ou Noslen e Bernard Gontier
Enviado por Nelson Teixeira ou Noslen em 19/10/2015
Reeditado em 20/10/2015
Código do texto: T5420458
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2015. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Nelson Teixeira ou Noslen
Foz do Iguaçu - Paraná - Brasil
161 textos (16318 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 22/07/19 06:35)
Nelson Teixeira ou Noslen