Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

PELAS RUAS

Pelas ruas, ombro a ombro,
Eu caminho indiferente,
Às pessoas que me empurram.
Trago a mente programada,
Para não ver os sorrisos,
Que começam, meio esquivos,
E se apagam sem avisos.

Pelas ruas, alma desnuda,
Uma solidão absurda,
Mesmo em meio a tanta gente,
Perdidas talvez, como eu,
Na estranheza da sina,
Por fora luz, por dentro breu,
Dores se cruzam em cada esquina,
Congestionam o ambiente.

O meu rosto é uma tábua,
Tábua rasa, plana, lisa,
Não mostra os espinhos que a vida,
Caridosa, sempre alerta,
Jogou aos meus pés
                        Como oferta
E eu, distraída, pisei.

             ...Eu bem sei,
Isso faz parte das ações,
“No mundo tereis aflições”,
E eu não estou ilesa,
Mas, o que eu posso, eu faço,
Me maquio, escondo o cansaço,
Sofro com delicadeza.

HLuna
Deley

 
DELEY e HLuna
Enviado por DELEY em 08/07/2018
Reeditado em 08/07/2018
Código do texto: T6384660
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
DELEY
Belo Horizonte - Minas Gerais - Brasil
5128 textos (194534 leituras)
4 e-livros (1658 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 18/11/18 08:12)
DELEY