Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Aos que vêm

Todos os que nascerem pela mãe poesia,

De uma certa forma serão todos irmãos.

Não tendo ali nenhuma rima,

Que profane o bem maior do coração.

 

Obrigado minha irmã,

Filha da minha mãe poesia,

A inspiração me virá pela manhã

Logo pelo nascer do dia.

 

Nem sujas mãos, a envolver estrelas,

Nem correndo atrás do vago trem!

Mas apesar da incerteza e vã beleza,

Não maculem o sentimento do bem!

 

As estrelas não se envolvem,

O trem corre demasiado veloz,

Prefiro um muito maior bem

Que me chega pela tua voz.

 

Façam isso em nome da arte,

Pelo bem do amor e da amizade,

Não cuspam na vida pela arrogancia!...

 

A minha arte está no escrever,

Não imagino outra forma de viver,

Detesto gente arrogante.

 

Não tirem a flor de uma criança,

Mas cubra de verdade tal aliança,

Refiro-me ao dom maior, por excelencia!.

 

A uma criança não tirem nada,

Dêem-lhe tudo, tem direito de ser amada,

Construam um mundo mais confiante.

 

 

Ledalge & FrancisFerreira

FrancisFerreira
Enviado por FrancisFerreira em 06/11/2007
Reeditado em 20/01/2008
Código do texto: T726193

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
FrancisFerreira
Portugal, 59 anos
637 textos (32187 leituras)
4 áudios (101 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 11/12/17 08:11)
FrancisFerreira