Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

ESCUTAR O SILÊNCIO

Refletindo a Vida

Sem compreender a vida não é possível apreender o outro lado dela nem perceber os outros seres humanos ou demais seres através da consciência de que absolutamente tudo é parte de um conjunto universal .

O outro lado da vida começa quando há uma transformação do corpo físico após seu falecimento ou seja a morte e diluindo-se no espaço envolvente ficando invisível ao olhar .

Pode-se tomar como motivos para uma reflexão o sucedido em terras lusas quando o jogador “ Feher” do Benfica e o candidato político Souza Franco faleceram quase instantaneamente sob os focos das câmaras de televisão ao vivo .

Assistiu-se aqui ao nascimento da morte .

Muitas vezes antes de falecer os seres humanos têm alguns instantes curtos ou longos para refletirem sobre a vida que construíram enquanto vivos .

Mas nos dois exemplos acima percebe-se que esse instante de reflexão antes de falecimento se existiu foi muito breve .

Sabe-se que a vida é um processo volátil e muito frágil e ninguém tem poder sobre ela e menos ainda sobre o outro lado da vida .

No viver de cada dia assiste-se a muitos humanos lutando contra a vida supondo que podem ser donos desta ou donos de outros seres humanos através de uma possessão bruta física ou mental .

Não se pode esquecer que todos os seres nascem e morrem sozinhos e nada ou ninguém é dono da vida e os atos praticados em "vida" são as únicas energias possíveis de eternizar no passamento físico.

É importante refletir se valeu a pena o viver que lhe foi oferecido pela própria vida , refletir sobre se em algum instante de seu viver houve verdade dentro de si , se houve um gesto de bondade para com os outros seres , um gesto de não ganância , se existiu um instante consciente sobre a imensidão do viver , se compreendeu sua fragilidade humana , seus supostos "erros" ou " acertos " .

Não é possível entender a morte sem compreender a vida pois uma nasce da outra .

A única coisa que cada ser humano possui , se é que possui ...., é a sua própria vida aqui e agora , nada mais ...

Se as folhas das árvores não caírem no outono como poderão brotar novas na primavera?

Se os seres não se transformarem fisicamente após o seu tempo próprio de existência como poderão nascer outros seres que também tem direito à vida aqui ?

É interessante observar as transformações físicas ao redor pois permitem uma reflexão mais profunda sobre a existência humana aqui neste planeta e se houver uma consciência sobre essa realidade talvez os atos humanos possam ser mais generosos consigo próprios e com aqueles que estão ao redor quer sejam familiares ou não pois todos os seres são simplesmente parte de um todo coletivo , haja ou não consciência dessa realidade .

É preciso cuidar do corpo físico senão o corpo mental não pode funcionar pleno e equilibradamente .

Se alguém não tem um teto aonde dormir , não tem roupa para se agasalhar , não tem comida para comer certamente não poderá ajudar os outros a resolverem estas dificuldades .

É importante que cada um cuide de si e ao cuidar de si implicitamente está a cuidar do ser coletivo que é .

E cuidar de si é também cuidar dos outros seres ao redor .

No mar os tubarões só atacam os seres humanos se tiverem fome ou forem atacados para se defenderem e isto se passa com todos os animais inclusive o humano .

O animal humano é o único que muitas vezes ataca por puro prazer sádico .

É necessário mergulhar nos instantes musicais do cantar dos pássaros, no marulhar das águas dos mares e dos rios , nos odores característicos das florestas e campos após as chuvas refrescantes do verão trazendo as águas cristalinas que saciam a sede , na primavera florida brotando do inverno , nos perfumes das pétalas abrindo-se nas manhãs solarentas transportados pelas brisas dos ventos .

Em silêncio escutam-se os barulhos humanos e pode-se compreender o sorriso de um bebê brincando no colo da mãe que o cuida com zelo e carinho protegendo-o das intempéries da vida .

Escutar a vida é compreender sua volatilidade e fragilidade .
Valdemar Ribeiro
Enviado por Valdemar Ribeiro em 28/06/2005
Reeditado em 08/11/2018
Código do texto: T28602
Classificação de conteúdo: seguro


Comentários

Sobre o autor
Valdemar Ribeiro
Lubango - Huíla - Angola
167 textos (46895 leituras)
7 e-livros (1124 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 25/05/20 15:40)
Valdemar Ribeiro

Site do Escritor