Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Do homem ao homem, pelo homem

O homem perguntou ao homem
Por que existe deus e por que existe a morte
O homem respondeu ao homem
Que existe deus porque existe a morte
Já a morte, continuou o sábio homem,
Existe porque existe o forte.

O forte perguntou ao forte
Por que existem os “marica” e por que existem os “home”
O forte respondeu ao forte
Que existem os “marica” porque existe o medo
Já os “home”, continuou o forte homem,
Existem porque existem memo...

O mesmo perguntou ao mesmo
Por que existe a escada e por que existe o elevador
O mesmo respondeu ao mesmo
Que existe o elevador porque existe a moleza
Já a escada, continuou o mesmo,
Existe porque não existia o elevador mesmo.

A moleza perguntou à moleza
Por que existe o mole e por que existe o duro
A moleza respondeu à moleza
Que existe o duro porque existe a pedra
Já o mole, continuou a moleza,
Existe porque existe a erva.

A pedra perguntou a erva
Por que existe o tempo e por que existe o vento
A erva respondeu a pedra
Que existe o vento porque existe o tempo
Já o tempo, continuou a erva,
Existe porque existe a lucidez

A lucidez perguntou à lucidez
Por que existe o fim e por que existe o era-uma-vez.
A lucidez respondeu à lucidez
Que existe o fim porque existe o era-uma-vez
Já o era-uma-vez, continuou a lúcida lucidez,
Existe porque existem as estórias.

As estórias perguntaram à história
Por que existem os fatos e por que existem os contos
A história respondeu às estórias
Que existem os contos porque não se lixaram para os fatos
Já os fatos, continuou a velha,
Existem porque existem os ratos

O rato perguntou ao rato
Por que existe o rato e porque existe o gato
O rato respondeu ao rato
Que existe o rato porque existe o gato
Já o gato, continuou o chato rato,
Existe porque existe no mundo o palerma

O palerma que existe no mundo perguntou:
Por que existe o palerma e por que existe o mundo
Ninguém no mundo respondeu;
Já o palerma achou engraçado
Até inusitado e riu; mas o riso era surdo e acabou-se o mundo.
Vinicius Razumikin
Enviado por Vinicius Razumikin em 21/08/2007
Código do texto: T617546

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Vinicius Razumikin
São Paulo - São Paulo - Brasil, 29 anos
23 textos (939 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 19/06/19 15:46)
Vinicius Razumikin