Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

MARCHAS DE SELMA A MONTGOMERY - PARTE I

Uma Luta pela Igualdade

Quando vi o filme: Selma, percebi o quanto é bom ter uma causa e lutar por ela, e como é bom nos aliarmos a pessoas que sonham como nós. Selma nos mostra um povo com um sonho, com um desejo, aspirando, querendo algo e determinado a conseguir. Mas, a falta de um líder sério, comprometido, e cheio dos valores do céu os deixava acuados, com medo, e temerosos do que lhes poderia fazer o homem, mas mesmo assim alguns ainda caminhavam em direção aos seus direitos. Um filme que mostra não a passividade de um povo, mas sua revolta com as ações de uma cidade que mesmo podendo, descumpria uma lei Nacional.

A falta de objetivos, propósitos e sonhos, tornou-se normal em nossos dias, vivemos para satisfazer o nosso ego, por isso vemos líderes agitando o povo não para defender uma causa, um princípio, ou o interesse de um povo, mas para realizarem seus sonhos, e suas vontades. Ao mesmo tempo observamos de longe as ações daqueles que se acham defensores do evangelho, mas que não progridem, não avançam, não crescem e nem melhoram. Em seus mundos estão, e em seus mundos permanecem fazendo de tudo para não perderem aqueles que os seguem, estes por sua vez se acomodaram acreditando estar dando o seu melhor.

Em seu discurso pelo Movimento dos Direitos Civis - I have a dream...Eu tenho um sonho – Martin Luther King Jr, disse: “Este não é o momento para descansar no luxo refrescante ou tomar o remédio tranquilizante do gradualismo. Agora é o tempo para transformar em realidade as promessas de democracia. Agora é o tempo para subir do vale das trevas da segregação ao caminho iluminado pelo sol da justiça racial. Agora é o tempo para erguer nossa nação das areias movediças da injustiça racial para a pedra sólida da fraternidade. Agora é o tempo para fazer da justiça uma realidade para todos os filhos de Deus”.

As marchas de Selma a Montgomery de 1965 foram três manifestações, sendo a primeira conhecida como “Domingo Sangrento” (“Bloody Sunday”, em inglês), do movimento pelos direitos civis dos negros nos Estados Unidos que conduziram à aprovação da Lei dos Direitos ao Voto de 1965, uma conquista histórica do movimento negro da década de 1960. Ali King discursou e disse: “Nós ouvimos eles dizerem que nós não chegaríamos aqui; Nós ouvimos eles dizerem que nos impediriam nem que fosse a última coisa que eles fizessem; Nós ouvimos eles dizerem que nós não merecíamos estar aqui, mas hoje nós estamos aqui como americanos, nós estamos aqui, e não vamos deixar ninguém nos mandar de volta”.

A fala do Pr. Martin Luther King Jr. não é a de quem está estimulando o povo a agredir fisicamente alguém por seus direitos, ou de quem está mandando alguém quebrar alguma coisa, mas de quem está incomodado, e que quer mudança. Mas, para isso ele sabia, entendia e compreendia que precisava liderar o povo a uma transformação. Alternativas precisavam ser dadas, para que o povo se movimentasse – “Nós abraçamos essa nova energia com tanta coragem e a incorporamos tão fervorosamente que o seu reflexo ilumina toda a escuridão”.

Nós conhecemos a liberdade, sabemos onde e em quem ela está, ou seja, isto deveria nos movimentar, tirar-nos do lugar, e nos fazer agir. Quantas Igrejas dentro das favelas vivendo cada uma em seu mundo, pois seus líderes não se preocupam com o povo, mas, sim em viver o seu reino. O sonho não é meu, e nem seu, o sonho é do Senhor, e viver os sonhos de Deus é estar junto, ligados, conectados e pregados a Cruz do Calvário.
Prof William Paixão
Enviado por Prof William Paixão em 11/06/2018
Reeditado em 11/06/2018
Código do texto: T6361214
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Prof William Paixão
São João de Meriti - Rio de Janeiro - Brasil
98 textos (1210 leituras)
2 e-livros (27 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 13/12/18 22:20)
Prof William Paixão