Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

A Ausência e a Presença

Agora dando seguimento a  exposição no museu imaginário o nome da exposição é " meus primos maternos ", o quadro que  a exposição se expõe 'A Ausência e a presença '.

Ausentar-se significa tardiamente viver pouco , nesta coluna irei refletir sobre a vida do meu primo materno Daniel, nesse caso a ausência gera uma enorme saudade em quem somente vive.

Usualmente viver para ele era simplesmente apagar incêndios ou incertezas naturais a todo mundo, sua presença irradiava normalmente felicidade ou segurança em família.

Sinuosamente nós guardamos boas recordações dele resgatamos assim sua presença outra vez é um bom raciocínio para toda família. Daniel traduzia esse pensamento de forma natural.

Em termos gerais, o cristão Daniel construiu um padronização da Cristandade Pentecostal em família, um retrato espiritual de  si  mesmo, uma verdadeira antropologia de si.

Naturalmente o  cristão Daniel busca realizar a conexão sinfônica de cada elemento da polifonia da vida em uma busca incessante e sonora, mas ainda falta algo.

Cabalmente Daniel viveu o melhor que podia em muito pouco tempo traduzir essa mentalidade revela um certo grau de ansiedade para alcançar o seu melhor.

Ironicamente  as experiências vivenciadas por ele lhe  ajudam, apreciando mudanças possíveis em seu cotidiano que sucedem piamente.

As experiências são na verdade fatos alinhados em uma perspectiva narrativa traduzem uma ideia valorativa sobre a vida em geral,  Daniel entendia todos esses elementos tradicionais.

Ele ía sempre além do costumeiro cristão , tinha uma leitura constante e salutar da bíblia em seu cotidiano que lhe aprimorasse ao longo do caminho.

A cada sequência de notas surge sons no horizonte que soam muito bem
é necessário entender esses elementos complexos e visivelmente simples á primeira vista.

E naturalmente essa sequência musical onde notas baixas e altas mesclam na partitura da existência em espiralado crescimento, bem particularizado nos detalhes.

As notas variam de acordo com as necessidades da polifonia da vida , essas variações na vida do primo materno Daniel são como evidências concretas de pura musicalidade.

Portanto para Daniel tudo se tratava de um mero acréscimo musical dedilhado ao violão consoante as muitas incertezas da polifonia da vida em detalhes sombrios.

Realmente a vida cheia de polifonia de Daniel foi apenas uma construção longa e demorada catalogada como uma forma significativa de existência adequada aos fatos.

E ele percebe todos os fatos lhe condicionam a existência como um clássico motivo  de boa compreensão subsidiada pelas muitas dúvidas existenciais.

Sinuosamente registrar esse momentos existenciais como uma forma de fotografia ou um simples retrato cabalmente bom para a figura de Daniel naquele momento do retrato.

E Daniel encarou todos desafios existenciais para cada realidade  cotidiana , bem cada fato contado por outrem. Por um narrador que pode alinhar a uma perspectiva.

Naturalmente o meu primo Daniel vivenciou uma experiência bem particularizada em sua polifonia da vida, é um filosófico construto dimensionado a cada partícula da vida.

Como um construto filosófico categórico em um claro desafio de tremenda elegância para uma boa melodia. Na concepção de um narrador que olha tudo em espiral.

Assim o primo Daniel construiu sua vida mediante todos retalhos de uma vida. Aqui o narrador apenas ajunta  esses retalhos e os costura em uma perspectiva social e comunicativa possível.






JessePensador
Enviado por JessePensador em 11/11/2018
Código do texto: T6500288
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
JessePensador
Santana de Parnaíba - São Paulo - Brasil, 34 anos
278 textos (2877 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 17/02/19 12:36)