Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

ECONOMIA NARCÍSICA E RESERVA LIBIDINAL EM FREUD

Utilizando-se dos meus 2 anos de terapia, dos 17 anos até 18 anos, entre 1992-1993, com o falecido Dr Ciro Macuco, na cidade de Campo Grande/MS, além das minhas leituras de Freud nos manuais da licenciatura em Ciências Sociais, penso que os conceitos que mais me chamaram atenção na Psicanálise foram: i) reserva narcísica; ii) economia libidinal; ambos presentes no funcionamento da psique.

Como bem o filme "Freud além da alma" demonstra (filme que está no youtube, caso você queira assistir) num dos diálogos que Freud mantém com seu orientador, Dr Breuer, em Viena, no fim do século XIX, após ambos estudarem neuróticos com histeria, Freud comparou o psique a um aparelho que têm anatomia e fisiologia próprios (semelhante ao sistema linfático), afirmando que memória traumática é como corpo estranho que o psiquismo procura fazer fagocitose (mandando para os porões do esquecimento da memória, mas que sempre persistem em aparecer nos sonhos e nos tiques que os pacientes possuíam no cotidiano). Porém, a memória traumática deixaria cicatrizes no narcisismo (o ego e sua necessidade de autoerotismo), gerando fantasias de autodestruição ou fantasias delirantes ora de superioridade ou inferioridade que afetavam a visão lúcida da realidade pelo neurótico.

Assim sendo, todas as lembranças de carícias que tínhamos de nossos familiares, de recompensas sociais que tivemos nos meios sociais, de nossas conquistas e manipulações amorosas, funcionavam como uma espécie de tecido adiposo ou de reserva de glicogênio para queimarmos, sacando da memória, nos momentos de escassez de carícias e de estímulos externos ao nosso ego.

Logo, fica extremante complexo saber de onde cada pessoa, com seus respectivos psiquismos, tira suas reservas de manutenção do narcismo primário, como condição de aliviar a ansiedade persecutória de inferioridade e medo. O masoquismo, ou capacidade de se "automutilar" internamente, além do sadismo, que é a capacidade de provocar dor em outrem como forma de compensação de sentimento de desconforto interno, podem ser manifestações de total magreza de reservas libidinais. Isso significa que muitas pessoas podem ter um universo sentimental carente de lembranças positivas e buscarem compensar a falta em compulsões neuróticas que podem ser mau humor, glutonaria, toxicomania e outros comportamentos de difícil convivência social.

LUCIANO DMEDHEYROS
Enviado por LUCIANO DMEDHEYROS em 15/11/2018
Reeditado em 15/11/2018
Código do texto: T6503420
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2018. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
LUCIANO DMEDHEYROS
Barreiras - Bahia - Brasil, 43 anos
84 textos (5864 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 25/06/19 02:25)
LUCIANO DMEDHEYROS