Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

A CULTURA BRASILEIRA

Mais do que combatermos a corrupção do Brasil com o auxílio de leis pesadas para criminosos de um modo geral, o que não deixa de ser assaz importante, é revermos essa cultura que já está enraizada no inconsciente da coletividade brasileira há muitos e muitos séculos (para usarmos um conceito junguiano que se encaixa nesse propósito), cultura essa sobre a qual emerge uma forma de justiça que apenas beneficia alguns em detrimento da maior parte da população submetida ao império de um sistema tão brutal e maldito!

E a mídia, com toda a sua pompa hipócrita, não faz nada mais do que perpetuar não somente a bestialidade desse sistema, como também a corrupção moral e a degradação psico-intelectual de muitas pessoas presas a uma letargia alucinante, moldando consciências já fragilizadas pela ausência de recursos os mais variados.

Nesse país, lamentavelmente, aqueles que estão no topo do poder, aqueles que se acham donos do universo porque estão nos cumes da pirâmide social, agem como se estivessem acima do bem e do mal, acreditando que podem fazer o que bem entenderem, e, o que é mais abominável, desrespeitando com o maior cinismo possível as leis que eles mesmos fomentam. E o que podemos dizer daquelas que são criadas para controlarem ainda mais o povo, em vez de promoverem a tão almejada justiça social?

Os mesmos que tecem excelentes discursos sobre cidadania, democracia, liberdade, igualdade e justiça, inflamando plateias cegas para o que de fato acontece no país, são os mesmos que são descobertos cometendo inúmeras violações das leis mediante as mais diversos tipos de corrupção e fraudulência.

Os mesmos que criam leis para o povo seguir, quando não as criam para beneficiar bandidos e marginais (''os coitadinhos da sociedade"), são os mesmos que desrespeitam as normas sem qualquer pudor e também são os mesmos que, embora não tenham qualquer credibilidade devido as suas falcatruas constantes reveladas ao público, são reverenciados como se fossem uma divindade que merecessem adoração cega e inquestionável por parte de indivíduos ofuscados por uma vã-glória mais ridícula do que qualquer estupidez inventada pelo homem.

O resultado de toda essa farsa não poderia ser mais prejudicial, como por exemplo, a desigualdade, a miséria, a bajulação, as calamidades públicas, os escândalos de grande proporção nacional e a falência quase completa da saúde e da educação, ambas sob tutela dos mesmos demagogos e hipócritas de sempre!

Ora, quem perde com tudo isso senão todo o povo brasileiro, perdido no seu direito de ir e vir; e, além do mais, amedrontado cada vez mais com tanta violência gerada em todas as direções? Quem perde com toda essa barbárie senão a democracia, a cidadania e a educação, conceitos que hoje em dia já não significam quase mais nada! Pois estes não têm sido cada vez mais esvaziados de seus significados mais profundos do coração de boa parte dos brasileiros?

E o que dizer daquelas palavras e conceitos que nos fazem pensar em algo maravilhoso, sobrenatural e magnífico? Aquelas palavras cujo significado nos remetem a uma transcendência e a uma elevação espiritual são cada vez menos pronunciadas, compreendidas e realmente levadas a sério; e tudo isso por causa de uma cultura que de forma bem sutil prefere, em vez do respeito mútuo, disseminar a filosofia da malandragem e do se "dar bem não importa de que jeito", da competitividade, da sagacidade que faz com que muitos busquem desenfreadamente o sucesso a qualquer preço e da barbárie institucionalizada através dos grandes meios de comunicação, o qual são capazes de exibir com audiência elevadíssima a imundície humana, seja exibindo a promiscuidade mais abjeta, seja expondo ideologias que destroem a família, seja transmitindo nas telas das TVs (e em outros meios de comunicação em massa) toda forma de violência impregnada na totalidade da nossa sociedade.
Alessandro Nogueira
Enviado por Alessandro Nogueira em 14/12/2018
Reeditado em 20/12/2018
Código do texto: T6526728
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2018. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Alessandro Nogueira
São Caetano do Sul - São Paulo - Brasil, 33 anos
520 textos (21130 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 24/06/19 17:13)
Alessandro Nogueira