A equilibrista

Não era ilusionista

Mas viveu a ilusão

Alma de artista

Dividida na razão

Na corda bamba balançava

Não sabia o que fazer

De chorar até soluçava

Desabafando seu viver

Mas nem tudo é tristeza

Aprendeu a nobre lição

Em si traz a certeza

De perseverar seu coração

Do ar foi para o chão

E do chão para a corda

Essa é a grande compreensão

Que sempre se recorda!

AdriSil
Enviado por AdriSil em 01/06/2022
Código do texto: T7528338
Classificação de conteúdo: seguro
Copyright © 2022. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.