Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

AMAR E SER AMADO.

 

Tão bom morrer de amor e continuar vivendo. (Mário Quintana)

                           

 

                            Eis a sublimidade do bem-querer e do amor!

Esse etos anímico ou psíquico, exclusivamente humano, é uma condição inexprimível e inexplicável, pois que,  já se gastou muito papel, muita tinta e muito latim  para tentar  explicá-lo.

Entretanto, podemos considerar o que os dicionários dizem, isto é, dizem os lingüistas    ser um sentimento que predispõe alguém a desejar o bem de outro ou ainda, um sentimento de dedicação absoluta de um ser pelo outro ser ou a uma coisa.

Poder-se-ia ainda considerar também, uma devoção extremada a alguém ou a uma coisa.

Tem-se notado que, o impulso do amor romântico pode ser mais forte e mais persistente do que a vontade de viver, assim afirmam os psicólogos e os psicanalistas.

Um amor descontrolado ou uma paixão pode parecer para todo o mundo, assim como uma doença mental, isto é, uma mistura de mania, demência e obsessão.

Quando se está vivendo esse turbilhão de emoções, o amante desmesurado se afasta de amigos e parentes, e passa a viver um mundo totalmente alienado pelo seu amor.

O  que leva a um comportamento incomum, tais como, telefonemas compulsivos, declarações apaixonadas de amor, serenatas, um grude constante (tipo chiclete), esse comportamento atípico leva as pessoas a confundirem com uma psicose em trânsito.

Evidentemente que, eu nada tenho contra os psicólogos, lingüistas  ou contra aqueles que reduzem tudo a uma doença mental, entretanto, declaro em alto e bom som que, de amor mesmo, entendem somente os enamorados e os poetas.

O amor é um sentimento sublime, digamos assim, é a sombra do Onipotente que faz o coração sentir murmúrios novos e andar aos tropeços, isso sem falar daquele brilho novo no olhar que denuncia a possessão do amor e o êxtase vivido pela alma.

Confesso que na verdade, tudo o que eu sei é que, experimentar o sentimento do amor é uma das mais belas experiências da vida.

Amar é navegar com água e estrelas e, para tanto, se  pressupõe a exigência de quatro passos distintos, a saber.

Primeiro passo: O amor só é possível no “aqui e agora”.

Segundo passo: É desopilar-se de todos os sentimentos negativos, muitas pessoas até amam, mas infelizmente estão contaminadas pela negritude do ciúme, da possessão egoísta e da insegurança ou medo, essas toxinas da alma destroem o amor.

Terceiro passo: O amor é uma fragrância  inexplicável que deve ser compartilhada, comungada e irradiada. O amor unilateral é flébil  e geralmente nos leva a  um suicídio psíquico.

Quarto passo: Seja sempre um nada. Quando se encontrar vazio de si mesmo, lembre-se, há sempre o amor. É impossível uma convivência quando o amor e o ego estiverem juntos.

Por isso, eu sempre afirmo em minhas prosas poéticas que, quando estou com a minha amada, ela é tudo e eu não sou nada.

O amor verdadeiro, eu quero crer que surge apenas com a maturidade, ocasião em que, os amantes são um e, essa unidade inexplicável, não destrói em hipótese alguma a individualidade, muito ao contrário, pois na verdade é o projeto da construção do outro.

Quando duas pessoas maduras experimentam o amor, nota-se que elas se ajudam mutuamente, e se tornam mais livres, demasiadamente humanas, mais completas, enfim, infinitamente mais felizes.

Para concluir este humilde ensaio, eu quero dizer que amar e ser amado, em outras palavras, é  a oportunidade única de experimentar e expressar o idioma indizível e genuíno da alma.

Assim sendo, eu volto a afirmar que para nascer, nasci - para viver eu vivi e, para amar, eu confesso que estou amando misteriosamente,  e assim justifico esta minha euforia inefável.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Eráclito Alírio da silveira
Enviado por Eráclito Alírio da silveira em 04/12/2007
Reeditado em 22/10/2010
Código do texto: T764012
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Eráclito Alírio da silveira
Imaruí - Santa Catarina - Brasil, 75 anos
889 textos (143426 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 18/12/17 09:50)
Eráclito Alírio da silveira