Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Método Simplificado para Ensinar Inglês

Por quê não ensinar inglês por meio de regras gramaticais?

As regras gramaticais não são mais eficientes no ensino de inglês porque produzem bloqueios mentais no processo de aquisição linguística. Portanto, regras gramaticais devem ser evitadas ao ensinar inglês. O que você pode usar para ensinar inglês sem regras gramaticais?

Você pode ensinar inglês sem regras gramaticais?

A maioria das pessoas ficam frustradas porque são ensinadas por regras gramaticais em cursos de inglês que prometem fluência em seis meses, com péssimos resultados. Algo pode ser feito para melhorar o ensino de inglês tanto na escola pública como particular no Brasil? A resposta é sim. Acredita-se que utilizar uma metodologia simplificada pode ser útil. Como assim?

Cada frase é composta de sujeito+verbo+complemento (direto ou objeto indireto) tanto em português e inglês, com exceção das interjeições, frases exclamativas e imperativas que não possuem sujeito. No entanto, até mesmo as interjeições, frases exclamativas e imperativas podem sem simplificadas a fim de ensinar inglês. Veja os seguintes exemplos.

Subjeito (Pronome Pessoal Nominativo ou Substantivo)+Verbo+Complemento (Direto ou Objeto Indireto)

Eu vou a escola. - I go to school.

O gato matou o rato. - The cat killed the mouse.

Cada criança recebeu um presente. - Each child was given a gift.

Frases exclamativas e imperativas não contêm sujeito. São formadas tanto em português como em inglês por um verbo no modo imperativo e um complemento.

Verbo no imperativo+Complemento (Direto ou Objeto Indireto)


Vá pro inferno! - Go to hell!

Mande-o entrar. - Send come in.

Deixe comigo! - Leave it to me!

Há exceções com respeito as frases exclamativas e imperativas em português e inglês. Algumas delas não têm nem sujeito nem complemento em inglês, porém em português são formadas por meio de um verbo no modo imperativo, um complemento ou não.

Verbo+Complemento (Direto ou Objeto Indireto)

Dane-se! - Bugger it!

Vá embora! - Bug off!

Anda logo! - Hurry up!

Há casos em que o pronome impessoal (se) em português exige atenção, porque ao traduzir frases que possuem o pronome pessoal (se) é expressa de outra forma em inglês. Assim, estruturas que fazem uso do pronome pessoal se em português seguem a ordem sujeito+verbo+complemento em inglês. Note que a estrutura com se em português é a indíce de indeterminação do sujeito. Este se é traduzido por one, we, you, they, people em inglês.

Verbo + Complemento (Direto ou Objeto Indireto)

Pode-se falar inglês aqui. - One can speak English here.

Fala-se da guerra. - They speak of war.

Os seguintes exemplos mostram que o pronome de índice de indeterminação do sujeito pode ser traduzido por one, we, you, they, people.

Vive-se bem nesta fazenda. – One lives well in this farm.

Fala-se de dois fazendeiros. – One speak of two farmers.

Não se pode dizer isto em público. – One cannot tell this in public.

Bebe-se muita cerveja nesta cidade. – One drinks a lot of beer in this town.

Como verter o se para o inglês?

Chamou-se a atenção dele para os fatos. – Nós chamamos a atenção dele para os fatos. – We draw his attention for the facts.

Deve-se fazer mais doações para ajudar os pobres. – Nós devemos fazer mais doações para ajudar os pobres. – We ought to make more donations to help the poor.

Pode-se fazer novas tentativas para erradicar a pobreza. – Eles podem fazer novas tentativas para erradicar a pobreza. – They can do new attempts to erradicate poverty.

Diz-se que drogas fazem mal ao corpo. – People tell that drugs harm the body.

Fala-se da guerra entre China e a Coreia do Norte. – They speak of war between China and North Korea.

Não se pode falar isto em público. – You cannot speak about this in public.

É importante analisar as estruturas que fazem uso do se em português. Este se aparece em muitas frases em português que dificultam a tradução para o inglês. Se é chamado de pronome apassivador (passive particle) em português. Os seguintes exemplos mostrarão que ocorrem uma ordem inversa em inglês. Note que as estruturas em português com o pronome apassivador se (passive particle) não tem sujeito ou substantivo antes do verbo, porém um complemento pode ou não aparece depois do verbo.

Verbo+Complemento (Direto ou Objeto Indireto)

Contratam-se empregados. - Employees are hired. empregados.

Cars Concerta-se carros. - Cars are fixed.

Pede-se silêncio nesta sala. - Silence is asked in this room.

Construíram-se casas de praia em Los Angeles. - Beach houses were built in Los Angeles./Beach houses have been built in Los Angeles.

Os cães se lavam. - The dog are washed.

Old cars Alugam-se carros velhos nesta concessionária. - Old cars are rented in this dealer.

Ama-se a virtude. - Virtue is loved.

Ama-se a Deus nesta casa. - God is loved in this house.

Ensinar inglês sem regras gramaticais

Você já estudou inglês? Como foram suas aulas de inglês? Para muitas pessoas, as aulas de inglês são entediantes é baseada em regras de gramática, interpretação, análise de textos e exércios. Estas pessos nunca têm tempo para ouvir o inglês, ou falar uns com outros em inglês. Portanto, o que o professor pode fazer para ajuda-las? A resposta é simples.

Ao ensinar inglês, lembre-se que uma palavra ou expressão só fará sentido se estiver gramaticalmente correta. No entanto, regras gramaticais não desenvolve a competência linguística das pessoas. Por quê? Porque regras gramaticais não ajudam na compreensão de outros níveis linguísticos de comunicação, e apenas viciarão as pessoas a uma única formalidade linguística, que é a linguagem formal. Acredita-se que as regras gramaticais só servem como monitor e para corrigir a maneira que as pessoas falam. Consequentemente, pode-se usar aulas simplificadas tanto para ensinar português como inglês. Como assim? Por fazer uso de frases que usam o verbo no infinitivo com seu complemento (objeto direto ou indreto) em português com suas respectivas traduções em inglês. Pode-se mostrar as mudanças que ocorrem nas frases prontas e depois tentar expressa-las de forma intuitiva. Visto que já tem uma frase pronta em português com sua respectiva tradução em inglês, as pessoas não precisarão traduzi-las novamente. Veja a seguinte tabela que simplifica este método.

Subjeito (Pronome Pessoal Nominativo ou Substantivo)+Verbo Complemento (Direto ou Objeto Indireto)

Abrir algo para fazer algo. - To open something to do something.

Ela abriu a janela para ventilar a sala. - She opened the window to air the room.

Ele abriu a porta para a namorada dele entrar. - He opened the door for his girlfriend to come in.

Fechar algo para fazer algo. - To close something to do something.

Eu fechei a porta e a janela para não entrar poeira dentro de casa. - I close the door and the window to prevent dust from coming into the house.

Ela fechou a porta par eu não entrar. - She closed the door to prevent me from coming in.

Subjeito (Pronome Pessoal Nominativo ou Substantivo)+Verbo +Complemento (Direto ou Objeto Indireto)

Votar para fazer algo. - To vote to do something.

Eu votei para acabar com a corrupção. - I vote to end corruption.

Celebrar algo fazendo algo. - To celebrate something doing something.

Eles celebraram a festa cantando músicas românticas. - They celebrated the party singing romantic music.

Evitar fazer algo. - To avoid doing something.

O homem evitou abrir o bico e não contar a verdade. - The man avoided piping up and not telling the truth.

Há muitas construções verbais em português que requerem atenção especial e considerações léxicas antes de serem traduzidas para o inglês. Elas se compõem de verbo+pronome indefinido (alguém/algo) ou substantivo tais como aconselhar alguém a fazer algo (to advise somebody to do something) ou desestimular alguém de fazer algo (to put somebody off doing something). Em português, não existe verbos frasais como em inglês. Ao traduzir um verbo do português para o inglês é bom ser cauteloso, pois muitos verbos em português são traduzidos por verbos frasais em inglês. Pode-se notar que muitos verbos como "desestimular alguém", "decepcionar alguém", "pegar algo", etc são traduzidos por verbos frasais em inglês. A seguinte tabela simplifica como o verbo em português pode divergir de seu equivalente em inglês. Note que os verbos "desestimular", "decepcionar" e "pegar" não se desvincula ou separa de alguém ou algo. No entanto ao traduzir desestimular alguém, proibir alguém, pressionar alguém para inglês, pode-se observar que "somebody" (alguém) e "something" (algo) que aparece entre o verbo e a preposição em inglês transformar os verbos "to put off" (desestimular), "to let down" (decepcionar) e "to pick up" (pegar) em verbos frasais separáveis.  Há dois tipos de verbos separáveis –  aqueles que podem se separar o complemento entre o verbo e a preposição ou advérbio, e os que você tem que separar admitindo apenas o complemento entre o verbo e a preposição ou advérbio.

Subjeito (Pronome Pessoal Nominativo ou Substantivo)+Verbo*+ Complemento (Direto ou Objeto Indireto)

Desistimular alguém de fazer algo. - To put somebody off doing something.

Eles desestimulam as crianças de lerem bons livros. - They put the children off reading good books.

Decepcionar alguém. - To let somebody off.

Eu não quero decepcionar minha mãe. – I don’t want to let my mother down. (Não traduza para I don’t want to let down my mother.)

Pegar algo. - To pick something up.

Pegue seu livro. - To pick your book up.

Muitos verbos podem ser separáveis e inseparáveis ao mesmo tempo. A seguinte tabela exemplificará isto.

Pronome Pessoal Nominativo ou Substantivo+Verbo+Complemento (Direto ou Objeto Indireto)

Desligar algo. - Turn something off.

Ele desligou o ventilador. - He turned the fan off./He turned off the fun.

Ligar algo. - To tunr something on.

Eu liguei a televisão. - I turned the TV on./I turned on the TV.

Aumentar algo (volume). - To turn something up (volume).

Ela aumentou o volume do rádio. - She turned the radio up./She turned up the radio.

Levando tudo isto em consideração, pode-se notar que ensinar através de frases prontas em português com suas respectivas traduções em inglês pode ajudar as pessoas aprender mais rápido.

Levando tudo isto em consideração, pode-se notar que ensinar através de frases prontas em português com suas respectivas traduções em inglês pode ajudar as pessoas aprender mais rápido.

Simplificando o uso dos verbos auxiliares

Pode os verbos auxiliares serem ensinados sem regras gramaticais? Claro que sim! Pode-se usar um método simplificado para ensinar os verbos auxiliares sem regras gramaticais.

Am, is, are + doing something.
Am, is, are + personal pronoun, or an indefinite pronoun, or a complement + doing anything?
Am, is, are not + doing anything.
Am, is, are + personal pronoun, or an indefinite pronoun, or a complement + not doing anything?

Was, were + doing something.
Was, were + personal pronoun, or an indefinite pronoun, or a complement + doing anything?
Was, were not + doing anything.
Was, were + personal pronoun, or an indefinite pronoun, or a complement + not doing anything?

Is, are + done.
Is, are + personal pronoun, or an indefinite pronoun, or a complement + done?
Is, are not + done.
Is, are + personal pronoun, or an indefinite pronoun, or a complement + not done?

Was, were + done.
Was, were + personal pronoun, or an indefinite pronoun, or a complement + done?
Was, were not + done.
Was, were + personal pronoun, or an indefinite pronoun, or a complement + not done?

Has, have + done something.
Has, have + personal pronoun, or an indefinite pronoun, or a complement + done anything?
Has, have not + done anything.
Has, have + personal pronoun, or an indefinite pronoun, or a complement + not done anything?

Had + done something.
Had + personal pronoun, or an indefinite pronoun, or a complement + done anything?
Had not + done anything.
Had + personal pronoun, or an indefinite pronoun, or a complement + not done anything?

Can + do something.
Can + personal pronoun, or an indefinite pronoun, or a complement + do anything?
Cannot + do anything.
Can + personal pronoun, or an indefinite pronoun, or a complement + not do anything?

Could + do something.
Could + personal pronoun, or an indefinite pronoun, or a complement + do anything?
Could not do anything.
Could + personal pronoun, or an indefinite pronoun, or a complement + not do anything?

Dare + do something.
Dare  + personal pronoun, or an indefinite pronoun, or a complement + do anything?
Dare not do anything.
Dare + personal pronoun, or a indefinite pronoun, or a complement + not do anything?


Do + personal pronoun, or an indefinite pronoun, or a complement + do anything?
Does + personal pronoun, or an indefinite pronoun, or a complement + not do anything?
Did + personal pronoun, or an indefinite pronoun, or a complement + do anything?


May + do something.
May + personal pronoun, or an indefinite pronoun, or a complement + do anything?
May not + do anything.
May + personal pronoun, or an indefinite pronoun, or a complement + not do anything?

Might + do something.
Might + personal pronoun, or an indefinite pronoun, or a complement + do anything?
Might not + do anything.
Might + personal pronoun, or an indefinite pronoun, or a complement + not do anything?

Must + do something.
Must + personal pronoun, or an indefinite pronoun, or a complement + do anything?
Must not + do anything.
Must + personal pronoun, or an indefinite pronoun, or a complement + not do anything?

Ought to + do something.
Ought + personal pronoun, or an indefinite pronoun, or a complement + to do anything?
Ought not + to do anything.
Ought + personal pronoun, or an indefinite pronoun, or a complement + not to do anything?

Need + do something.
Need + personal pronoun, or an indefinite pronoun, or a complement + do anything?
Need not + do anything.
Need + personal pronoun, or an indefinite pronoun, or a complement + not do anything?

Shall + do something.
Shall + personal pronoun, or an indefinite pronoun, or a complement + do anything?
Shall not + do anything.
Shall + personal pronoun, or an indefinite pronoun, or a complement + not do anything?

Should + do something.
Should + personal pronoun, or an indefinite pronoun, or a complement + do anything?
Should not + do anything.
Should + personal pronoun, or an indefinite pronoun, or a complement + not do anything?

Will + do something.
Will + personal pronoun, or an indefinite pronoun, or a complement + do anything?
Will not + do anything.
Will + personal pronoun, or an indefinite pronoun, or a complement + not do anything?




Giljonnys Dias
Enviado por Giljonnys Dias em 04/06/2018
Reeditado em 12/06/2018
Código do texto: T6355395
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2018. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Giljonnys Dias
Lago da Pedra - Maranhão - Brasil, 32 anos
33 textos (776 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 15/08/18 01:48)
Giljonnys Dias