Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

MALOCA QUIRIDA NUM BAITA SURURU - Homenagem a Adoniram Barbosa

 

 
MALOCA QUIRIDA NUM BAITA SURURU
 Marcial Salaverry
 
Foi uma baita judiaria...
quinois nunca pensô qui acontecia...
Nossa maloca derribada ansim...
Foi pra nóis mais qui o fim...
Ela abrigava nossa traia,
nossos corchão de paia...
Nóis discansava das coisas do dia...
e adispois tudo mió nos parecia...
Inté jantá, nois jantava...
i nu friu, nois si juntava...
i cas pinga nois si aquecia...
I das dôo si esquecia...
Agora, quiquinóis fais da vida,
ca nossa maloca caida...
Nois fica ao Deusdará,
sem tê adonde si abrigá...
Pruque fizero isso cum nóis?
Derribaro nossa maloca saudosa...
acabandu cas nossa lembrança gostosa...
Agora a vida num tem mais beleza,
nói vai morrê de tristeza...
Adeus, maloca...
Mai assucede qui o Joca
armô o maió sururu,
e quis praticar tiro ao alvaro
cos cara da Prefeitura,
mai só acertô nas mariposa
qui voava im vorta das lampida...
Mai o Arnesto qui tinha convidado
prum samba, pegô a Iracema,
e dexô nois tudo nas mão...
E ansim foi o sururu qui o
Adoniram arranjô...
 
Marcial Salaverry
Enviado por Marcial Salaverry em 02/03/2014
Código do texto: T4712669
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Marcial Salaverry
Santos - São Paulo - Brasil, 80 anos
22324 textos (2348902 leituras)
3 áudios (928 audições)
6 e-livros (2181 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 19/07/19 13:36)
Marcial Salaverry