Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

DOZE ANOS SEM VOCÊ!

31 DE JANEIRO DE 1932

 
Nascia na pacata cidade de Buri interior
paulista,
Gessi, minha melhor amiga.
E é para ela, esta homenagem.
Minha mãezinha querida...

 
 
 
 Mãe
 Tesouro de inigualável riqueza!
Alma bondosa, caridosa, sensível,
senhora das histórias,
histórias românticas de amores
perdidos...
De ti herdei minha face apaixonada
Foi ao som de Ray Connif que conheceu
papai, num baile, no Esportivo da Penha, vocês dançaram a noite toda, não é??
Devo às  músicas desta orquestra, estar aqui hoje.
Ah mãezinha, que falta me faz...
Não tem idéia do que tem sido viver sem você...
Sem sua proteção, seu amor, sua amizade.
As meninas cresceram...
Bianca é sua cara!
Lê gibis todas as noites antes de dormir, adora a cultura japonesa tal qual você!
Todos dizem que são idênticas.
Eu também acho.
Ficaria orgulhosa em vê-la.
A Gabi está linda, namoradeira...
Muito bonita, já dá trabalho viu?
Está na faculdade e já trabalha duramente.
Outro dia veio aqui um ex aluno teu,
estava casado queria te agradecer, chorou quando disse que já havia partido...
Muitas coisas mudaram por aqui.
O mundo está cada vez mais doido.
Sabe aquele tal de computador que eu odiava e dizia que ia tirar o emprego das pessoas?
Hoje passo horas na frente dele, conheço pessoas do mundo todo, você sabe como gosto de fazer amizades...
O Marcelo casou, finalmente...
Eu e o Nando somos como irmãos, você e a tia Neusa ficariam felizes com nosso amor...
Mãe, sinto tanto sua falta...
Sinto falta dos nossos verões na praia.
Como você gostava de praia!!!!
Também , com o corpinho de miss!!!
Guardo até hoje sua faixa de miss simpatia.
Quando era adolescente olhava para ela e pensava:
_ Nunca vou conseguir uma destas para mim...
Nunca mesmo, a miss aqui era você.
Repasso como um filme muitos momentos que vivemos juntas..
Meu Deus como dávamos risadas,
como você me fez feliz mãe!
Preciso te pedir desculpas,
no dia do meu casamento, eu nem te abracei direito, mas é porque se eu fosse abraçar, ia chorar muito, e com certeza seria um vexame daqueles!
Querida desculpe, não posso continuar, meus olhos de tanto chorar, já não enxergam o teclado.(É assim que se chama o que antes era máquina de escrever).
Um beijo querida minha.
Te amo
 
Sua filha - Silvana Cervantes
 
Silvana Cervantes
Enviado por Silvana Cervantes em 26/08/2007
Código do texto: T624045
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Silvana Cervantes
São Paulo - São Paulo - Brasil, 51 anos
404 textos (36725 leituras)
5 áudios (2203 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 13/12/17 03:41)
Silvana Cervantes