Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Há mil tons...?

Por certo, até mais, bem mais de mil tons de trocadilhos...E eu já era fã deles quando conheci aquele moço espigado, achocolatado, o Hamilton, com quem trabalhei - ou trabalhei...? - no Colégio Municipal de Contagem na primeira metade dos anos setenta...Ele era lente de Química, porquanto eu batia com as duas, no Inglês e no Francês. Ginásio e Colégio e, maiormente nossas aulas se concentravam no turno da noite. E nossos embates trocadilhísticos, umas duas vezes por semana, eram terçados no caminho de volta a Beagá.

Duma feita, prontos para saborearmos uns sanduíches numa lanchonete que havia na Bahia, próximo do Minas Tênis Clube, quando pedi mostarda, e ela finalmente veio, foi Hamilton que me veio com aquela: Amós tarda, mas não falta... Entre a especiaria e o profeta, só sei que quase me engasguei...

Noutra ocasião, quando se buscava encher de ufanismo os saudosistas de tempos imperiais, com a celebração do Sesquicentenário da Independência e o périplo da urna de Dom Pedro I pelo Brasil, Hamilton lascou aquela, lapidar que nem ela: Como era temeroso esse nosso Imperador, Paulo, põe sentido: só faz viagem de urna...

E não sei que forças medíamos, mas estávamos meio cabeludos, ao se referir a Sansão, o Professor Hamilton soltou aquela pérola: É, aquele cujo cabelo ia dali lá...

E entre as muitas, incontáveis pupilas admiradoras de Hamilton, a que lhe fisgou o coração foi uma mais que graciosa e seiosa Cazilda, com z mesmo, cacilda!

Se tiver vingado a união que tudo tinha de promissora - prometedora? - já hão de ser avós, ou, em atualização mais precisa, bisa...

Paulo Miranda
Enviado por Paulo Miranda em 12/07/2018
Código do texto: T6388500
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Paulo Miranda
Belo Horizonte - Minas Gerais - Brasil
23091 textos (428275 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 17/12/18 08:31)
Paulo Miranda