Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Meu querido meu velho... Meu amigo

Parece que foi ontem! Como o tempo passa depressa eternizando boas lembranças, nos fazendo voltar ao passado e recordarmos juntos tudo que vivemos. A cada olhar, a cada sorriso seu, a cada palavra, tornavam nossa amizade mais além e mais concreta. Lembro-me de cada detalhe como se vivesse aquele momento hoje, onde suas brincadeiras eram motivos de alegria em mim, e mal sabia que estava tanto a precisar daquele humor que só você sabia ter. Quando estou no silêncio do meu quarto, a saudade bate mais forte... Era o momento em que chegava devagar e beijava-me a testa dizendo: Boa noite meu neto. Todas as noites fico a olhar para mesma porta na esperança que ela se abra e você entre por ela e eu possa me afagar em seus braços com a mais pura inocência de uma criança a procura de um carinho. Nessas horas de tantas lembranças não consigo conter as lagrimas que lavam meu rosto e minha alma dolorosa de saudade. Hoje me refugio nas poesias, onde você é minha inspiração de cada dia. Todas as manhãs quando saio para a batalha da vida, e vejo seu carro parado enfrente ao portão, imagino o seu orgulho a dizer que tinha uma relíquia de recordação... E hoje esta relíquia ainda faz parte de nossa família. O seu maior sonho era-me ver formado! Más o chamamento de Deus levou para  uma nova jornada da vida e como um pássaro a cruzar o céu, você nos deixou. Era chegada a hora! Um tu por se apoderou de mim e naquele momento foi a mais difícil de minha travessia. Hoje graças a meu querido velho, estou formado e realizado na minha profissão.  Quatro anos já se passaram e continuo te amando, te admirando... Foi e é um homem de caráter invejável, um coração de ouro que soube lapidar cada lírio da tua família com muita paz e paciência. Por fim quero que saiba que apesar da distância e da saudade, posso assegurar que nos amamos sem egoísmo e que esteja onde estiver à distância nunca foi problema para nós dois. Nem o tempo consegue apagar todas as lembranças guardadas no meu peito de um pai, avô e irmão.

Te amo meu Avô...

Este texto é uma Homenagem ao Sr. Francisco de Assis, que é Avô do nosso querido poeta do Recanto das Letras Gildênio Fernandes de Assis. Sr. Francisco deixou marcas de alegria cravado em tantos corações. Partiu em paz com o dever cumprido
Luciano Ricardo
Enviado por Luciano Ricardo em 05/09/2007
Reeditado em 06/09/2007
Código do texto: T640466

Copyright © 2007. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Luciano Ricardo
Salvador - Bahia - Brasil, 43 anos
81 textos (52010 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 11/12/17 00:32)
Luciano Ricardo