Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Viver é uma vingança.

As vezes é bom estar vivo...
por causa dos amigos,
não por causa dos inimigos.
Mas apesar de tudo,
nunca pensei em matar ninguém.
Quer dizer, só uma vez...
quando um fé da zunha veio me zuar,
em 99, quando o Palmeiras perdeu o Mundial para o Manchester.
Mas é bom estar vivo...
mesmo com tanto perrengos e apertos dos mais diversos tipos, desde o financeiro até o familiar.
Ah... estar vivo! Estando vivo... bem...
continuo à bater um game; um futebol; correr; praticar o karatê (mesmo que sozinho); olhar para o céu de algum lugar alto, nadar, escrever... conversar com amigos; ler as coisas que gosto, ver meus times jogarem, bater uma broca fudida quando fumo um. Tomar umas cervas com os amigos e fazer um som. Assistir bons filmes, animes, séries... até mesmo trabalhar. Bem, trabalhar eu não gosto não, mas na hora de receber o breu aí é bão.
E o mais importante de todos...
minha mãe! Meu mais forte pilar existente.
A fonte de toda a minha mudança.
Meu tudo!!!
Também aprender com os erros. E olha, foram muitos. E falando em muitos, eu sempre assumi meus erros, desde as coisas ruins que aprendi nas ruas e vielas, as companhias fudidas e etc. Ninguém é perfeito neste mundo, nem mesmo o mais certinho cidadão. E eu conheço pessoas piores do que eu, muitas pessoas, e algumas, por sinal, são grandes amigos(as). Eu não levo o caráter pelos erros da pessoas! Mas não vou comentar sobre isso ou porquê disso, afinal, é chato e prolongativo. Estou aqui para falar de "vida".
Vi-da!!!
Vivendo eu posso fazer quase tudo!
Mas apenas essas poucas coisas mencionadas acima me interessa!
Talvez eu faça coisas que eu não goste por falta de opção ou por obrigatoriedade...
mas um dia isso vai acabar.
Daí eu vou me casar e ser feliz!
Ter uma mulher, uns dois pivete, encher à casa de gatos e uns dois cachorros. Talvez uns peixinhos. E minha coleção de vídeo game vai ficar na sala.
E viver... viver, viver, viver, viver...
aproveitar tudo o que posso até o fim.
Porque na hora da morte, independente dela, vai ter dor e sofrimento. Isso me dá um calafrio daqueles horripilantes. Espero que a minha hibernação eterna seja rápida e indolor.
Mais dá nada não. Nois passa o pano. E também talvez eu possa rever pessoas queridas que se foram. E poxa... tem uma em especial que me desapavora (acho que inventei uma palavra) deste medo!
E também... veremos o que realmente acontece do outro lado!
Haha...se derem mole eu dou a fuga do outro mundo e volto pra terra e revelarei o que acontece quando morremos. Eu sempre fui meio doido. Tenho as caras, ueueue.
Mas até este momento chegar, eu, um humano comum, viverei muito! Até onde o meu "life power" continuar... vou vivendo! Viver até umas horas.
Porque para mim, viver, significa uma vingança!!!


Aristóteles Diego
Enviado por Aristóteles Diego em 04/04/2019
Código do texto: T6615441
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Aristóteles Diego
Brasília - Distrito Federal - Brasil, 31 anos
195 textos (7424 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 24/05/19 06:53)
Aristóteles Diego