Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Xanti e Lee- Quebrando as regras de trânsito uma a uma.

Xanti e Lee

Teatro de hoje: As regras de segurança - Quebrando uma a uma.
Cena 1 – Entrada de um dos palhaços ( Xanti ) em um palco com uma plateia interativa de 14 crianças e dois adultos- médico e mãe  – Dia – Palco suspenso
Xanti cumprimenta a plateia: Boa Tarde, Bom dia...ou....Inclina-se ao público e agradece a presença
Cena 2 - Cena de Lee tentando convencer os filhos. ( dois dos 14, com 5 e seis anos )
...Fazer esta cena em paralelo.
Lee entra bêbado no palco ( não muito, meio tonto )
Cumprimenta todos meio cambaleando e desajeitado.
( Na frente 14 crianças  que vão interagir com os palhaços, cada uma com sua fala )
Xanti, vendo a situação pede desculpas e diz a todos que o espetáculo vai se atrasar, até que Lee se recupere.
Xanti: Chegar aqui assim é um péssimo exemplo para as crianças.
Nesta cena Xanti fala brandamente apesar do estado dele.

Cena 3- Dia –Palco –Lee conversa com o Xanti

Lee: As culpadas são as professoras.
Xanti: Como assim? Explique se puder.
Eu ia vir com meus dois filhos, sabe o que a maiorzinha me disse? ( Sempre fazendo gestos desajeitados)
Que não ia vir, por que a professora dela falou que não é para entrar em carro que o motorista tenha bebido. Olha que loucura! Estão dividindo as famílias, estão mexendo com coisa sagrada, é o fim do mundo!
Ai fiquei tentando convencê-las e acabei me atrasando
 Xanti: Desisto, vamos é cancelar o show depois desta!
Lee: Não, não, vamos lá eu tô bão demais.
Cena 4
Lee faz movimentos com as mãos, não aceitando o fato de ele estar bêbado.
Xanti: Você chegou atrasado e não está nada bem.
Fala um pouco menos brando, mas não ríspido.
Lee: Eu tô feliz. Só isso! Não posso estar feliz?
Lee se altera um pouco, mas como muito respeito a Xanti.
Xanti: E por que você está tão feliz?
Xanti tenta trazer Lee à consciência, questioná-lo, quer ajudá-lo.
Lee: Um amigão meu trouxe minhas cartas de motorista. Quer ver?
Lee faz menção de tirar do bolso o documento, mostrando-se feliz por ter realizado um grande sonho.
Cena 5
Xanti: Lógico, mostra!
Lee: Ó aqui, Ó que coisa linda.
Lee mostra uma das  cartas de motorista como se acreditasse que é verdadeira, Xanti percebe que ele caiu num golpe e mostra a todos a carta também à plateia explicando que a carta tem características diferentes da verdadeira. É legal; (a autoescola ou a escola conseguir carteiras falsas e explicar na hora os maiores erros da falsificação).
 

Lee mostra para todos os presentes.
Tá vendo, foi um amigo da criançada que assinou.
Essa aí é para dirigir carros, ainda tem outra que ele me deu sem cobrar nada.

 Lee: Tá vendo, tudo amigo deles aí.
Cena 6
Lee aponta para a plateia e questiona quem conhece o Cebolinha e o Chico Bento ( a plateia interage, todos falando que conhecem e gostam muito deles, mas que eles não fariam tal coisa)
           Foi facinho tirar as cartas
           Passei o dedão no papel e já era
           Só é cara, né. Bissurdo
Cena 7
Xanti: É criançada, vejam que ele não está nada bem.
            Mais tarde faremos o show.
Xanti faz gesto de quem vai tirar Lee da cena, pega-o pelo braço e puxa-o devagar.
Cena 8- Adolescente questiona a saúde de Gan e Gun- Dia – Palco
                        Marta: Xanti, se ele não está bem, estou preocupada com o Gan e o Gun. Posso vê-los?
Xanti: É claro que sim.
Criançada grita: Gan, Gun repetidas vezes.

Cena 9-
Marta vai até o palco a espera de Gan-
Gan fala da cartola: Pede para o Lee parar de girar que eu saio, mas o  Gun está pior que eu ainda (  voz sai da caixa de som colocada atrás do Lee )
Cena 10
Lee retruca dizendo que está bem, que estão preocupados a toa
Cena 11
Marta: Chiii, ele não tá bom não. Tá vendo tudo rodando
Xanti: Gan, vem aqui, vamos cuidar de você
Gan: Tô indo, mas devagarinho, o Lee tá estranho.
Xanti: É que ele bebeu muito.

Cena 12 –

Boneco sai da cartola de Lee ( foco no boneco ), que em seguida é trocado por uma criança de 5 anos que passa a fazer o papel de Gun- Dia - Palco
Gan sai da cartola, sonzinho  e se deixa cair nas mão de Marta. ( Um pequeno boneco que  se” transforma “em uma criança de 5 anos )
Marta ( uma adolescente de 12 anos aproximadamente ): Gan, que bom te ver, vou cuidar de ti, já já você  fica bom.
Marta o abraça e o examina visualmente
Gun: Hummmm acho que sim, só pede para o Lee parar de girar para que eu possa ficar de pé.
Marta: Chiiii. Gan, o Lee não está girando. Você não está bem, o Gun também deve estar mal, Lee traga ele aqui.

Cena 13 –

 Outro Boneco sai da cartola de Lee ( foco no boneco ), que em seguida é trocado por uma criança de 5 anos que passa a fazer o papel de Gun- Dia – Palco-Sobe ao palco mais uma adolescente
Lee tira da cartola o Gun
Ele tenta ficar de pé, mas não consegue, desequilibra e se abraça ao Gan, reclama também da tonteira, duas crianças pegam os dois e passando a mão na cabeça e na barriga deles tenta consolá-los.

Cena 14

Um homem levanta a mão e diz que é médico- Dia- Plateia

Da plateia um médico se dispõe a ajudar.
( Um homem de branco vai até os dois)
Dr Pimenta: Vim trazer meus netos, que são seus fãs; apesar do vexame, que sei não ser rotina, quero ver se posso ajudá-los.
Cena 14
O médico senta-se no degrau e examina visualmente os dois além do Lee,  resolve fazer um exame.

 O médico examina o Gan, Gun e Lee- Dia- Palco
Dr. Pimenta: Gun, quantos dedos temos aqui?
Gun: Em cada mão tem dois dedos, então são quatro.
Dr: Xii. Tá mal mesmo
Agora, fica de pé.
Gun: Ôooopa. Assim??
Dr: Mais ou menos
Levanta a perna direita.
Gun: Ooopa
Gun desequilibra e é sustentado por Marta,  estava  mole  como um pudim.
Dr: Dê café para o Lee, daqui a pouco vou dar um remédio para a ressaca.
Fazer o show, nem pensar. Vão demorar horas para ficarem bem. O Gun nem se levanta.

Cena 15
Lee conversa com Xanti- Dia Palco- Lousa com fotos de placas de trânsito- Uma régua bem grande para apontar as placas.
Xanti: Meu caro Lee, você pegou as “cartas de motorista”, mas duvido que tenha estudado para reconhecer as placas de trânsito.
Lee: Naum complica não, eles disseram que essas coisas se aprende na prática, é que nem andar de bicicleta, não adianta estudar tem que andar.
Xanti: Te levaram no bico meu amigo, nem sei como você anda de carro por aí.
Lee: Outro dia eu estava indo para uma festa, entrei na contramão sem perceber. Fiquei insistindo, pedindo passagem.
Xanti: E ai, você deu meia volta, certo!
Lee: Sim, mas só porque percebi que a festa tinha acabado, já estavam todos voltando.
Xanti ri porque percebeu que era uma piada, ainda bem que ele mantinha o bom humor.

Cena 16 -
 Xanti mostra para Lee e à plateia algumas placas de trânsito.

Xanti: Lee , vamos falar sério. Vou te mostrar algumas placas importantes e você diz  o que elas representam, pelo menos as crianças aprendem um pouco e você vai sarando de sua bebedeira.
Lee: Ok! Já andei por ai, você vai ver, não erro uma.

Esta placa
 

Lee: Essa é fácil, temos ruas que só vai para um lado, tem outras que vai para outro, neste caso o meu belíssimo carro, novinho de dá inveja pode ir prá lá ou pra cá.
Cena 17
Xanti: Muito bem! Palmas para nosso motorista.
Palmas.
Xanti: Agora vamos à outra. Deixa-me  ver.

Lee: Esta eu ainda não vi, pelo menos não reparei, deve ser uma curva fechada a esquerda, na certa querem que eu reduza a velocidade.
Xanti: O que vocês acham, minha plateia. ( Deixar que as crianças falem)
Diná ( adolescente): Ele quase acertou Xanti, mas esta quer dizer que a rua que você está vai ter uma leve curva a esquerda.
Lee: Hummm, agora você falando, ficou fácil. E digo mais se eu visse na rua ia entender facinho, facinho.
Xanti: Bem, até agora foi fácil, vamos ver a próxima.

Cena 18

Lee: Chii, esta é estranha, pelo desenho é uma rua sem saída, a placa pede para voltar, tá vendo é só olhar e pronto!
Xanti: Tá vendo, esta você errou. É uma placa indicando uma rotatória, geralmente tem um jardim no meio, você vai  e entra numa das ruas da rotatória.
Lee: Vichi, mas, por certo que ia descobrir rapidinho. Insistiu.
Xanti: O problema Lee, é que às vezes você tem segundos para atender o que a placa diz, não se pode ter dúvidas.
Vamos continuar, tô gostando de ver.

Cena 19
Esta, Sr. Lee


Xanti: Esta tá fácil, caro amigo.
Lee: Esta é fácil demais, vamos dizer que estou dirigindo a 120 por hora, testando o motor, tirando um rachinha, coisa entre amigos. Vejo uma destas, desacelero testando os freios do meu possante. Errei uma, mas por azar, vamos lá manda outra.
Xanti: E você pensa que acertou!
Lee: Errei. Como assim?. Explica para ver se me convence!
Xanti: Primeiro problema é estar a 120 KM/h em um lugar que a velocidade a seguir é 60 Km/h, não existe, esta redução é impraticável para os motoristas em geral, só se for em pista de formula 1.
Segundo, tirar racha é contra a lei, não se pode correr colocando em risco a vida de outras pessoas.
Terceiro, a placa quer dizer que a partir dela a velocidade máxima é a marcada na sinalização e não pense em aumentar a velocidade em seguida, é para manter na velocidade indicada.


Cena 20- Dia- palco-Lee conversando com Xanti

Lee: Bom, já que vocês não querem que eu faça o show, vou indo!
Xanti: Ah! Desistiu, hein
Marta: Lee, você não pode dirigir, tente entender.
                    Lee: Mas, eu vim dirigindo, um guarda me falou umas coisas e me deu este papel aqui ó.

Cena 21 – Lee tira do bolso um papel- Dia –Palco

Lee tira o papel e mostra para Xanti e a plateia. Xanti: Deixe-me ver.


Xanti: Lee esta é uma multa por dirigir sem carteira, não sei como ele não percebeu que você estava bêbado.
Lee: Acho que é por causa da maquiagem, sei lá. E olha que eu mostrei prô guarda logo as duas cartas.
Cena 22
Xanti: Vamos ao menos ver como está o seu carro. Sempre fizemos shows juntos, mas nunca achei que você ia aprontar assim comigo.
Cena 23
Lee entra na cena com o carro, ( de brinquedo mas grande, ou de madeira ) um ..... não muito maltratado, mas sem acessório algum.
Xanti olha e logo observa dois pneus carecas nas rodas da frente.
Xanti: Veja Sr. Lee, ao menos coloque os dois pneus piores nas rodas traseiras enquanto não compra melhores, se estourar você perde o controle e pode causar um grave acidente.
Lee: Pra dirigir você diz que tô mal, agora qué que eu troque os pneus.
Lee fala demonstrando inquietação com a situação.
Xanti: Não precisa você trocar, depois nós damos um jeito, me deixa ver o restante.
Cena 24
Mostre-me então o extintor.
 
Lee: Sê tá colocando praga no meu carro, tá dizendo que ele tá tão ruim que vai pegar fogo?

Xanti: não, espero que não.
Cena 25
Diga pra mim, que pelo menos você tem estepe.
Lee: Não. Se pensa que furar o pneu é todo dia? Demora de um tanto.
Xanti: A questão é que não se sabe quando, então tem que se prevenir.
Pelo jeito você não tem o macaco, a chave de rodas, o triângulo.
Lee: E pra que tudo isto se não tem estepe?

Xanti: Hoje você vai acabar me tirando do sério.

Cena 26
Lee: Pode deixar que eu compro tudo isso quando pagar a última prestação.
Xanti: Bom pelo menos algo de positivo, e quantas faltam?

                  Lee: Bem, eu comprei faz dois meses são sessenta parcelas: 58 meses- rapidinho, quando vê já tô lá finalizando o carnê.
Xanti: Você está impossível.
Cena 27
Lee: Diga-me uma coisa Xanti. Depois de colocar isso tudo que você tá falando, onde vão caber minha esposa e os filhos?

Cena 28
Xanti: Pessoal, vamos ir para casa, outro dia nós marcamos o show. Desisto.
Cena 29
Lee: Já que vocês não querem fazer o show e não vão dizer que eu sou o culpado, por que eu tô bão, o Xanti é que tá com coisa na cabeça.
-Alguém vai querer carona?
Tô sozinho cabem três, pelo menos até comprar tudo que o Xanti falou.
(Lee fala com chacota em relação ao Xanti)
Cena 30
Leila: ( Mãe de dois filhos) Lee, você não está vendo que nem pode dirigir, além do mais meus filhos são pequenos e não estou vendo nenhuma cadeirinha pra colocar eles.
Lee: Pronto. Mais uma. Um baita banco vocês vêm com história de cadeirinha.
Xanti: Dianta não, quando acabar a bebedeira eu te explico.
Lee: A estas horas nem blitz tem, vocês estão preocupados a toa.
Ouve-se o ronco do Gan e Gun que ainda não se mexiam.
Cena 31
O Dr fala em voz alta: Pela situação deles (diz apontando para os dois), vê-se que não é questão de multa e sim de segurança, deixa que eu os levo para casa.
Final
Todos se colocam em posição de agradecimento e agradecem pela presença, Gan e Gun dançam alegres mostrando que tudo não passara de um grande show.








 




Félix Hilton
Enviado por Félix Hilton em 11/03/2018
Código do texto: T6276789
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Félix Hilton
São José dos Campos - São Paulo - Brasil, 55 anos
70 textos (1560 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 20/06/18 14:30)
Félix Hilton