Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Já à venda na loja Multifoco:

https://editoramultifoco.com.br/loja/product/aquela-noite-em-auschwitz/

Todos os direitos reservados. Não é permitida a reprodução total ou parcial desta obra, nem a sua utilização, nem a sua transmissão em qualquer forma ou meio, sem autorização prévia da proprietária dos direitos autorais. A infração das condições pode constituir um crime contra a propriedade intelectual.
______________________________________
A VALSA

No dia 2 de agosto de 1934 Adolf Hitler tornou- se o presidente da Alemanha, porém não pelo voto do povo, não pela vontade da maioria, e sim por um golpe do destino, por meio de ardis políticos que levaram aquele homem ao poder, um simples ex-cabo do exército alemão, um ex-aspirante a pintor de quadros.

Adolf era extremamente persuasivo, por anos já liderava o Partido Nacional Socialista dos Trabalhadores Alemães, ou simplesmente, Partido Nazista. Um ano antes, ainda como chanceler do país, Hitler começou a levar a diante seu plano de segregação racial, baseado em ideologias eugênicas, ele prometeu ao povo um país sem pessoas doentes, loucas, imperfeitas, negras e judias.

Ele prometeu ao povo um país de pessoas perfeitas, semelhantes aos antigos deuses nórdicos. E para dar a todos os seus cidadãos esse mundo maravilhoso, campos de concentração, em outras palavras, presídios de assassinatos em massa, foram construídos em larga escala.

Lá judeus, negros, homossexuais, evangélicos e todos considerados uma ameaça à purificação e soberania da raça ariana eram presos, escravizados e mortos das maneiras mais cruéis possíveis.

O tempo passava de maneira veloz. As transformações sociais na Alemanha eram cada vez mais intensas e significativas. Tudo caminhava para o limite do absurdo.

Naquele verão de 1937, Lindie completava seus quinze anos de idade, foi então que Klaus, como forma de reforçar enlaces políticos e promover sua boa reputação perante a sociedade, organizou uma festa magnífica no salão do Grande Hotel de Berlim, para comemorar o aniversário de sua única e preciosa filha.

Foram convidados os principais oficiais do exército daquela região, suas esposas, filhos, e os mais importantes publicitários do governo. Entre eles estava Steve Heinrich, um jornalista de vinte e três anos de idade, também professor de História na Universidade de Berlim. Era extremamente dedicado à sua profissão.

Trajada em um exuberante vestido de princesa Lindie vivenciava a sua grande noite. Todos os rapazes queriam dançar com ela. A primeira valsa, obviamente, dançou com seu pai. Depois, sim, dançou com seu namorado Joseph, na época, ele contava 17 anos de idade.

- Meu amor, eu sei que pra você é uma frase tão repetida, mas você está realmente linda, uma verdadeira princesa. – declarou enquanto dançavam.

- Você também está maravilhoso, meu príncipe. – retribuiu sorrindo ao grande amor de sua vida.

Durante o baile Lindie também dançou com outros rapazes, os filhos jovens dos oficiais. Steve passou o tempo todo observando a beleza da aniversariante, tirou outras garotas pra dançar, mas queria mesmo era valsar com Lindie, a rainha da noite. Ela por sua vez também o observava do outro lado do salão, de vez em quando lançavam olhares e sorrisos um para o outro.

- É muito linda a sua filha, senhor Brückner. – Steve comentou com o general enquanto ambos bebiam uns goles de champanhe.

- Isso é o que todos os rapazes dizem, mas ela só tem olhos para o namorado, Joseph Kaiser, ele fará parte das minhas tropas de comando a partir do próximo mês, já está alistado, o rapaz é um verdadeiro guerreiro.

- Ela gosta de homens heróis.

- Apesar de ser um grande rapaz eu sinto que o Joseph não combina com ela que é tão delicada. Lindie deveria mesmo era estar noiva de um intelectual, um médico ou engenheiro.

- Ela parece mesmo ser muito delicada.

- O problema é que as mulheres escolhem mais pelo sentimento do que pela razão. Assim sendo não sei se ela se interessaria por você, Steve,  que é um homem mais culto, mais calmo. Todavia não custa tentar ao menos tirá-la pra dançar como fizeram os outros cavalheiros. Minha filha aceitou o convite de todos. Tenha coragem, professor.

- O senhor tem toda razão. E pelo que sei o Joseph é apenas uma paixão de juventude. Eu sim sou um homem de verdade pra sua filha. – afirmou,
seguindo em direção a Lindie que estava sentada à mesa com suas amigas.

Aproximou-se lentamente e convidou-a para dançar:

- A senhorita me daria à honra de ter uma dança? – pediu sorrindo.

Joseph observava desconfortavelmente aquela situação, na qual sua namorada era assediada o tempo todo por todos aqueles rapazes igualmente belos.

- Mas é claro que sim, senhor. – ela foi simpática.

- Senhor não! Meu nome é Steve Heinrich. Sou publicitário do Partido Nazista.

- Sim, meu pai fala muito bem de você! Então, vamos à valsa! – ela sorriu mais uma vez, ele pegou-a pela mão e foram para o centro do salão.

A valsa escolhida para o grande momento foi “Danúbio Azul”, de Johann Strauss.

Lindie e Steve suavemente deslizavam seus pés no salão. Ele a girava ao som daquela melodia encantadora. Foi o melhor desempenho da noite, empolgaram-se, a coreografia era única, o casal estava com olhar sintonizado.
O tempo todo dançaram encarando-se profundamente, olhos nos olhos, sorriam. Dominado pelo ciúme Joseph observava de longe a cena, mal podia acreditar que sua namorada brilhava em uma valsa com um homem desconhecido.

Os nove minutos da valsa de Steve e Lindie deixaram todos impressionados, a ponto de formarem um círculo ao redor do salão e pararem para apreciar aquele casal, que indubitavelmente transbordava a leveza de dois pássaros no céu.

Klaus percebeu o que já estava para acontecer, comentou com a esposa e o jovem militante que estava ao lado:

- Meu amor, nossa filha está maravilhosa nessa valsa. Foi mais emocionante do que comigo e do que com você, Joseph.

- O mais emocionante mesmo é ver a sua cara de indignação e ciúme, Joseph! – Anne Marie, a melhor amiga da aniversariante, comentou não contendo o riso em seus lábios.

- Poupe-me de seus comentários, Anne Marie. Dance a valsa que ele quiser, porque a Lindie é minha namorada e futura esposa! - Joseph resmungou de braços cruzados, enquanto observava o grande momento da noite.

Ao fim da valsa todos aplaudiram com entusiasmo a aniversariante e seu par que se cumprimentaram gentilmente depois que a dança terminou. Aquele foi um  momento mais que especial, foi inesquecível.


 
Jamila Mafra
Enviado por Jamila Mafra em 08/05/2018
Reeditado em 08/05/2018
Código do texto: T6331157
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2018. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Livros à venda

Sobre a autora
Jamila Mafra
Joinville - Santa Catarina - Brasil, 31 anos
684 textos (35872 leituras)
2 áudios (45 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 19/09/18 15:28)
Jamila Mafra

Site do Escritor