Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

A Cidade dos Corvos - O Demônio

-Quem são? -falou o ser sentado no trono com uma voz grave e forte.



O outro ser que estava falando em um idioma diferente disse:



-Tomas…. Boo….Zoo… eles trouxeram um presente para o Sr,e disseram que precisam falar com o Sr. O Sr quer atendê-los? -falou a criatura falando com o outro ser.



O ser sentado no trono concordou com a cabeça e então o Ser disse voltando para nós:



-Vocês podem ir, ele está de bom humor. - falou a criatura.



Boo e Zoo deram o primeiro passo, e então, Zoo esticou a torta próxima a criatura e disseram:



-Vosso Senhor Supremo dos Espíritos da Morte, me chamo Boo,e Zoo, e este é Tomas, o Porta-voz do nosso mundo. -falou Zoo engolindo a saliva.



O supremo estou mais perto de mim e apontou o dedo indicando que eu me aproximasse e assim eu fiz, ele me cheirou, mas ele não sentia o seu próprio cheiro, ele fedia a carne podre. Foi quando, ele falou se dirigindo a mim:



-Então, é o Tomás?!, Aquele cujo tem a função importante de derrotar Medusa e libertar as almas?! -indagou ele para mim.



Meu coração parou de bater por alguns instantes e foi pegando lentamente o ritmo até que eu enchi o pulmão de ar e disse:



-Sim Vossa Senhoria, eu sou o porta-voz da Cidade dos Corvos.- falei sério para ele.



-E o que o Porta-voz deseja? -falou o supremo.



-Eu caí aqui por acidente,pelo céu. Fui capturado pelos corvos capangas da Medusa,eu cortei os pés deles e acabei caindo aqui na Floresta. Mas,preciso retornar para a minha missão, almas precisam de mim, e como Boo e Zoo não podem sair daqui, pensei que o Sr poderia me ajudar. - falei firme,apesar do medo de morrer agora mesmo.



-Hmmmmmm…. -falou o supremo e não disse nenhuma palavra sequer. E logo após um longo período pensando, ele me deu a resposta: - Muito bem, acho justo dar a você a saída da floresta. Porém,é necessário que você me mostra capaz para tal missão. Por isso, você matou todos os capangas da Medusa? -questionou o Supremo.



-Bem, eu matei apenas dois deles,nada mais do que isso. - falei firme para o supremo.



-Então, eu preciso que você limpe a bagunça que veio junto com você, apesar da floresta ser escura e medonha, aqui não tem nenhum ser que mata os vivos ou os mortos. Aqui convivemos com equilíbrio. Presumo que, antes de partir é necessário que você limpe a floresta, compreende? - falou o supremo com a sua voz que ecoava por toda a escuridão.



-Eu compreendo supremo,farei aquilo que o Sr me pede. - falei respirando fundo e dei um passo para trás.



-Acredito que esteja curioso para saber quem sou Tom, ouvi falar que você é um garoto bom mas muito curioso. -falou o Supremo.



-Sim Sr, eu sou um pouco…. -Boo e Zoo limparam a garganta - está bem….eu sou muito curioso. Mas não precisa mostrar a sua aparência para mim Sr, eu confio que o Sr tem a melhor forma. - falei tentando não mostrar meu medo do que estava por trás da daquela capa.



-Se eu te mostrar promete não me odiar? -falou o Supremo com uma voz grave mas parecia mais descontraída.



-C-claro! Eu…..não vou. - falei meio tenso.



O supremo abaixou a cabeça e tirou o capuz, e dali saiu dois chifres, um em cada lado, um rosto totalmente deformado, os olhos eram grandes, e amarelos, e ele era forte e musculoso, e não dava para mim ver se havia um rabo com tridentes, mas nitidamente ele era um demônio.



-O-o S-sr é um……-ele não me permitiu prosseguir.



-Demônio?! Sim. Eu sou um demônio, mas não deve ter medo de mim, eu apenas defendo o povo da floresta. Um trabalho bem tranquilo por aqui. - ele falou encostando no trono novamente mas não vestiu o capuz.



O meu queixo caiu, eu não esperava por aquilo,um demônio eu só tinha ouvido falar sobre os da igreja,e não demônios guardiões,a sua pele era preta e os seus olhos destacavam fortemente o amarelo vivo.



-Eu agradeço a gentileza do Sr de me mostrar a sua aparência agradável Sr. - falei limpando a garganta - me sinto honrado. - falei sorrindo fraquinho.



O Supremo gargalhou e então disse com o riso ainda na garganta:



-Ora….ora…..me disseram que você era um garoto incrível….. mas não sabia que era esse ponto!....meu caro Tom, dizer que isso aqui - ele apontou para o corpo dele - é muito agradável seria muita tolice, confessemos, eu sou nenhum pouco agradável.  Mas…..obrigada pela gentileza. - falou o supremo vestindo o capuz voltando a escuridão e só mostrando a luz dos seus olhos.



-Sinto muito Sr, não quero causar nenhum desconforto. - falei tentando me redimir.



-Fica tranquilo, você me divertiu. Agora, já sabe o que fazer, pode ir . -falou o Soberano e nós demos uma meia volta e descemos as escadas.



Quando saímos pelo portal e as luzes se apagaram, Boo respirou e eu falei:



-Eu achei que a gente ia se dar mal nessa, de verdade, eu achei. - falei suspirando.



-Eu também achei, de verdade, não achei que ele iria concordar conosco. - falou Zoo.



-Mas conseguimos, e agora, Tom só precisa limpar a floresta. Que é tirar esses capangas de Medusa, supimpa para você Tom, logo logo estará longe daqui. - falou Zoo.



-Olha, no momento, eu quero sair logo é daqui. -falei tremendo.



E caminhamos pela escuridão com o auxílio da lanterna, até que encontramos a saída novamente.



-Então, vamos começar logo? - perguntou Boo.



-Eu acho uma boa . - falou Zoo.



-Eu também. Medusa precisa morrer logo. Se é que isso seja possível - falei revirando os olhos.



-Ou pelo menos, detida. -falou Boo.



-Detida já está bom. - falei suspirando. - E como vamos fazer isso? -perguntei Curioso.



-Bem, eu andei pensando em fazer uma armadilha, juntar todos juntos e então acabar com tudo logo de uma vez. O que você acha? -perguntou Zoo para mim.



-Acho uma boa, mas como? - perguntei sem entender nada.



-Bem, Simples. você é uma verdadeira e viva isca para eles, não precisamos de uma emboscada se você já é uma. -falou Boo.



Eu concordei.



-Então, eu simplesmente entro no meio da floresta e grito para eles aparecerem? -questionei a Boo e a Zoo.



-Sim. Exatamente. E ai, você mata todos de uma vez só. -falou Zoo.



-E se der errado? E se eu não conseguir matar todos de uma vez? - falei receoso.



-Claro que vai Tom, eu vi do que você é capaz. Sei que você vai conseguir lidar com tudo isso. - falou Boo colocando a mão no meu ombro.



-Obrigada gente, vocês são fundamentais para mim. Tem me dado a maior força. -falei abaixando a cabeça e eu realmente estava grato por Boo e Zoo aparecerem.



-Tom…...estamos aqui para ajudar sempre que você precisar. - falou Boo e Zoo concordou.



Caminhamos até a entrada da caverna, e saímos daquela parte densa da floresta, e a esperança e a vida apareceram novamente, e agora, tudo ficou claro, essa floresta é governada por um Demônio.



Que loucura! Uma floresta governada por um Demônio.
Thatty Santos
Enviado por Thatty Santos em 06/01/2020
Código do texto: T6836017
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2020. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.

Comentários

Sobre a autora
Thatty Santos
Praia Grande - São Paulo - Brasil, 21 anos
51 textos (240 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 26/01/20 00:06)
Thatty Santos