Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

A Cidade dos Corvos - Salvação

Quando vi Lindsay atrás de mim,eu senti minhas forças renovadas,e ver Medusa aos meus pés foi realmente sem dúvidas a melhor cena da minha vida. Medusa vendo que estava perdendo,esticou as mãos e então disse:



-Por favor…..Tom…..por favor….. não me mate!...... preciso estar viva. Ouça, vou te recompensar, não te enfrentarei mais. Não se preocupe, não farei mais um dano a ninguém. Por favor…... não me mate….. - suplicou Medusa.



Eu achei um máximo.



-Eu até poderia ser bondoso com você Medusa, mas aquilo que você fez….aquelas almas….aqueles gritos……você não vai mudar, você é má, bruta, e te matar faz parte da minha missão. - eu ergui a espada e então com um só golpe, cortei a sua cabeça.



Foi horrível fazer aquilo, eu não queria matar ninguém, mas era necessário,Medusa gritou, e depois ficou muda, seu sangue escoou por toda a floresta, e o seu corpo caiu duro no chão,Medusa estava morta, e todos estavam livres. Cansaço, joguei a cabeça dela para o lado, e me sentei no chão. Ouvi passos em minha direção,logo abri os olhos e estiquei a espada,mas a voz acalmou o meu coração.



-Cara…..você está um caco….. - falou Lindsay sorrindo.



-Lindsay! - levantei e abracei ela tão forte que ela me deu um tapinha nas costas pedindo socorro.



-Tudo bem…..tudo bem….também estive com saudades…..agora…..me solta! - falou ela sorrindo.



E quando eu soltei, ela respirou aliviada.



-Como você chegou aqui? - questionei surpreso e curioso.



-bem, seguindo as pistas ué, seu rapto foi comentado por toda a cidade, eu fui lidando uma coisa na outra, até que cheguei aqui. Quando cheguei na tal mansão da Megera, Andressa,A empregada me contou onde você estava e aí cheguei bem na hora. - falou Lindsay sorrindo com ar de vitória.



-Puxa…..você chegou na hora certa...m-mas…..onde está os outros? Que eu salvei?!. -Falei meio perdido e desesperado.



-Calma….Louise já os levou para o hospital, não se preocupe, eles ficarão bem. Inclusive, ela pediu para que quando eu te salvasse - ela me deu um cutucão no meu braço - era para te levar em um lugar especial. - piscou ela para mim.



-Onde? - questionei.



-Você vai ver….mas antes…..precisa pegar a cabeça dela para que fique gravado que a megera morreu,e isso é algo que só o Porta-voz pode fazer. - falou ela erguendo as mãos.



-tudo bem…..eu já fiz o pior mesmo. - falei erguendo os ombros. - mas….onde vou? - falei eu olhando para Lindsay e pegando a cabeça de Medusa que havia virado estátua.



Louise apareceu para nós dois, e então, eu realmente vi e senti que minha missão estava no final, ou então, já teria terminado. Louise pegou a cabeça de sua irmã e eu não pude evitar de perguntar para onde ela levaria aquela cabeça.



-Bem, eu vou levar para o seu devido lugar, eu e meu irmão vamos resolver isso, não se preocupe. Agora, tenho que levar vocês em algum lugar…..estão prontos? -perguntou Louise.



Concordamos.



Louise deu um estalo, e então, chegamos na casa de James, Louise vira para mim e então ela diz:



-Bem Tom,aqui é um lugar bem seguro,podemos conversar em paz, a sua missão foi concluída com sucesso, e eu só tenho que agradecer a você, por lutar por nós, e todo o mundo agradece a você por tanta garra e dedicação, todos nós estamos livres agora. Como forma de gratidão Tomás, damos a você apenas um pedido, poderá escolher o que preferir, o que quiser. Não se preocupe, com o que for, eu te darei. E então? O que vai pedir? - perguntou Louise.



-Que tal…….. - e eu falei.



-Ótimo pedido meu querido, antes de realizarmos, preciso te levar a um outro lugar. - falou ela - Por favor, segure a minha mão.



Eu segurei, era leve como a sua voz e novamente eu fechei os olhos, e quando eu os abri, eu senti um cheiro que eu reconheci,era o hospital, estávamos em um quarto, Louise foi logo dizendo:



-Sabe que Medusa tomou as vidas de cada uma das almas presas não é?! - falou ela sorrindo e fazendo um carinho na minha cabeça.



Eu concordei.



-Muito bem, é necessário que devolvamos a cada uma delas aquilo que é por direito, acredito que queira fazer isso tanto quanto eu. - sorriu ela para mim.



E eu sorri de volta e concordei novamente.



Eu realmente queria fazer aquilo, era uma forma de amenizar tanto sofrimento, no quarto frio e gelado, havia as almas que estavam presas na gaiolas, e Louise foi me dando pedrinha por pedrinha para cada alma, e elas voltaram a brilhar,os meus olhos se encheram de lágrimas,eu estava muito emocionado, fazer aquilo significava muito para mim, e então, assim que eu coloquei cada pedrinha em sua devida cama, Louise pegou na minha mão, e me levou para o outro quarto, lá estava: Anna,Carlos. Deitados na cama, Louise me entrega as pedrinhas, e então, eu as coloco na cama deles. Louise me convida para ir em outro lugar, caminhando no corredor do hospital, Louise fala:



-Sabe Tom…..as vezes, temos que tomar decisões difíceis e dolorosas. Mas, fazendo aquilo que é o correto, e aquilo que é bom, teremos uma grande recompensa por sofrer tanto. - falou ela olhando para frente - sua escolha foi dolorosa, mas tenha certeza que a recompensa será muito melhor daquilo que você planejou - ela parou em frente a uma porta e tirou uma chave do bolso, e destravou a porta e fez sinal para que eu passasse.



Eu empurrei a porta,e então, havia apenas 3 camas, e 3 corpos cobertos com lençóis brancos. Louise indica que eu deveria puxar os lençóis, e quando eu puxo, tomo um baque.

Bart…..  Fábio…...e Jenny…..os três deitados com uma etiqueta nos pés, ou seja, todos mortos.

Meu olho se enche de lagrimas, eu começo a chorar, me aproximei da cama de Bart e imaginei um rosto totalmente diferente daquele que eu estava vendo, um rosto vivo, um rosto feliz, um rosto com esperança, e agora, tudo que eu podia ver era um rosto morto,seco, pálido, sem cor. Sentei do lado de Bart, e então eu chorei de tristeza, e soluçando falei:



-M-me….p-perdoe…..e-eu…...n-nao…..-q-queria…..q-que…..a-acontecesse…..iss-o…..- e fui em direção a outra cama.



A cama de Fábio.



-C-cara…..-e-eu….-a-amo…..-v-voces….. - e me levantei e quando cheguei na cama de Jenny eu não soube o que dizer….. eu só soube o que chorar.



Louise segurou o meu ombro, e me entregou 3 pedrinhas e quando ela me entregou, eu olhei para ela perdido e confuso.



-O-o….q-que…..é-é…..i-sso. - olhei confuso.



-Quando Medusa mostrou eles para você, eles já estavam mortos. Mas com a morte dela, todas as almas foram libertas, inclusive a deles. E eu não achei justo leva-los tão cedo…..por isso….. você pode permitir que eles vivam….mas a hora deles vai chegar,não tem jeito. - falou ela sorrindo.



-E-entao….eles….vão….viver?! - perguntei como se eu estivesse recebendo a melhor notícia do mundo.



-Sim Tom, basta você entregar a eles. - sorriu Louise.



-Eu quero! - falei sorrindo.



E automaticamente eu levantei, e coloquei cada pedrinha em cada cama e fiquei esperando, as três brilharam juntas e eu sorri e esperei eles acordaram, mas eles não abriram os olhos. Eu achei estranho e não aguentei não perguntar:



-Porque não abrem os olhos?! - perguntei curioso.



-Porque não estão vivos aqui, estão no lugar em que devem estar. Não se preocupem. - falou Louise sorrindo.



-E agora? Temos mais almas para entregar? - perguntei Curioso.



-Não, o resto eu dou conta. Mas…..temos o seu desejo para realizar ainda não é?! - sorriu ela.



Eu concordei.



E ela estralou os dedos, e nós sumimos.


Thatty Santos
Enviado por Thatty Santos em 13/01/2020
Código do texto: T6841136
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2020. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.

Comentários

Sobre a autora
Thatty Santos
Praia Grande - São Paulo - Brasil, 21 anos
51 textos (240 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 26/01/20 00:04)
Thatty Santos