Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

A vida e um elevador

Há um ditado popular que diz: “Se conselho fosse bom, ninguém dava. Vendia!”
Pois bem. A seguir, vou dar uma série de conselhos aos garotos de 12 a 14 anos. Mas, se você tem mais de 35 anos, leia também. Você vai ver que muitos desses conselhos, são os mesmos que você deu ou daria aos seus filhos e, talvez ajude seus filhos a aconselharem seus netos.

A Vida, é um elevador ... você entra nesse elevador, sempre acompanhando a sua família, quer tenha ela o tamanho que tiver. Algumas famílias têm apenas dois membros; a mãe e o filho(a): outras, têm vários membros como, avós e tios ... algumas são realmente grandes! Têm pais, avós,  irmãos e, as maiores, têm até tios e primos!
Sua família pode ser pequena no andar onde você entrou no elevador, e ir crescendo à medida em que o elevador vai subindo ... ou, ela já podia ser grande quando você entrou neste elevador. De qualquer maneira, não importa! Você não se lembra de nada disso! Suas primeiras lembranças começam quando este elevador subiu, pelo menos, 4 andares.
Ainda assim, suas lembranças deste quarto andar são vagas, você não  se lembra de muitas pessoas e nem de muitos acontecimentos deste andar... e isso continua até o quinto andar. É preciso que o elevador suba um pouco mais, para que você comece a se deliciar (e aproveitar) as suas lembranças.
A partir do sétimo andar você, primeiro, se lembra da sua mãe, do seu pai, dos seus irmãos e dos seus avós, e você  percebe que eles SEMPRE estiveram ali, junto com você. A menos que eles tenham “saltado do elevador” enquanto ele subia os primeiros quatro andares! Aí, você não tem lembrança alguma deles. Depois, você se lembra da sua primeira professora, do seu primeiro grande amigo, das brincadeiras inocentes das crianças do 7º andar. A vitória de andar de bicicleta sem rodinhas!
A cada andar que este elevador sobe, você vai acumulando lembranças. Você perceber agora que, quando o elevador parou no décimo andar, você saiu para andar de bicicleta com os amigos, começou a torcer pelo seu time de futebol do coração. Leu muitas revistinhas em quadrinhos, conversou com os amigos sobre as histórias e trocou revistinhas com os amigos no pátio da escola.
No décimo segundo andar, é possível que o número de pessoas do elevador da sua família tenha ... ou diminuído, caso algum familiar tenha “chegado ao fim da viagem dele e tenha saltado do elevador” antes deste andar... Enfim, do 12º andar suas lembranças são da sua Primeira Comunhão (se você for católico), da sua primeira grande paixão ... é..., acredite(!), a primeira paixão, a gente nunca esquece! E você deve ter sofrido, perdido sono e peso por causa dessa paixão.... Mas, o lado bom é que o elevador sobe!
Sobe e chega ao 14º andar! E as lembranças deste andar são ótimas! A primeira namorada ,,, Ah! A primeira namorada ...! Te faz esquecer a sua primeira grande paixão!! Afinal, a primeira namorada, a gente nunca esquece! E pode ser que essa sua namorada tenha continuado neste mesmo andar, quando você subiu de elevador. Ou, pode ser também que ela tenha subido com você no seu elevador, até o 15º andar ou até a andares superiores. Sua história é (e será sempre) “a sua” história! Enquanto o elevador esteve parado neste andar, você tomou bronca dos seus pais por causa de suas notas na escola. E você conheceu a Playboy. E a Playboy te levou ao clímax! Se é que você me entende ...!  Você tem boas recordações deste andar. Você se lembra, por exemplo da sua primeira competição esportiva. E, além dos seus livros escolares, se não conseguiu ler “As Aventuras de Tom Sawyer e Huckleberry Finn (de Mark Twain), leia (pelo menos) algo de Agatha Christie!
Mas, garoto, quando o elevador chegar ao 18º andar, pela primeira vez você vai perceber que, de vez em quando, ele dá uns solavancos, faz uns barulhos estranhos, engasga às vezes ... Isso serão suas notas baixas no colégio, a pressão para se dar bem nos estudos, a possibilidade de repetir o ano colegial ... E a namorada, que não lhe sai da cabeça! Por favor, tome muito cuidado com as pessoas que conhecer do 16º ao 18º andar. Nestes andares você terá a oportunidade de começar a fumar, de beber, de usar drogas ... mas, também será a época de seu amadurecimento esportivo. Você vai disputar, e vencer, provas, competições ou campeonatos. Mas, por favor, o quer que você faça, tome todo o cuidado do mundo p´ra não engravidar ninguém! É impossível prever as consequências de uma gravidez na sua vida adolescente!
Mas, e você conseguir chegar bem ao 19º andar, é possível que você desfrute de uma das melhores partes da viagem: Do 19º ao 23º ou 24º andar. A Faculdade! Ah, a Faculdade ...! Acredite! Faça todo o possível para cursar uma faculdade. Você vai viver um período incrível! Se você for um grande sortudo, terá um automóvel! Mas mesmo que não tenha, alguns de seus amigos de faculdade terão!  Você vai conhecer o que é camaradagem! Você vai conhecer pessoas iguais a você, com os mesmos ideais, com as mesmas idéias, com o mesmo gosto musical, o mesmo gosto para livros e peças teatrais ... e você vai entender o que é diversidade cultural, vai ver que pessoas que pensam diferente de você e que não estão totalmente erradas. É possível que, neste período você tenha várias namoradas ... pode ser que você tenha apenas uma! Pode ser que seja a mesma que você conheceu no 14º ou 15º andar ... quem sabe? Nesses andares, você vai começar a se interessar por assuntos políticos ... e você vai se escandalizar, se revoltar e se indignar com as decisões e atitudes políticas de nossos governantes. Você vai viajar com os amigos da faculdade,  com a sua namorada, ... vai a praias, rios, cachoeiras ... E serão andares incríveis! Aproveite com consciência e responsabilidade. Se puder, fique longe das drogas. Se não conseguir ficar longe, não abuse! Se não conseguir “não abusar, peça ajuda! Lembre-se; ninguém no mundo te ama mais do que os seus pais. E eles estarão no mesmo elevador que você.
Á partir do 26º andar, talvez você leve a sua namorada definitivamente para o seu elevador. E aí, então, você deverá contribuir para que esse elevador continue subindo andar após andar. Até aqui, você era, com sorte, apenas um passageiro do elevador, cuja preocupação era apenas não estragar o elevador e contribuir para a harmonia do ambiente. A partir do seu casamento, essas responsabilidades com o elevador aumentam. Agora tem uma passageira que é responsabilidade sua! E você vai começar a sentir mais os solavancos, guinchados e engasgadas na viagem.
Do 26º ao 29º andar, se tudo correr bem, você viverá as angústias dos negócios. Quer seja você empresário ou empregado. Serão anos de preocupações, trabalho e crescimento. Se você for abençoado, terá um filho. Se tirar a sorte grande, terá uma filha! E não há ninguém no mundo que possa lhe preparar para ser pai. Filho não vem com manual. Você tem que aprender tudo sozinho. E ver essa criança crescer durante a viagem pelos andares seguintes será a melhor coisa que pode acontecer na sua vida. E só então você entenderá a dimensão do amor de um pai por um filho. E você vai descobrir que não há nada no mundo que você não faça por um filho seu.
A partir do 30º, ou do 32º andar, talvez o elevador já seja responsabilidade só sua. Seus pais serão só passageiros, sua mulher e seu filho passageiros sob a sua responsabilidade. Pode ser que, em algum andar superior a estes, a sua mulher resolva saltar do elevador, para ficar em determinado andar. Se isto acontecer, lembre-se que ela é a mãe do seu filho. Dedicou vários anos da vida dela a você. Merece todo respeito e consideração da sua parte na hora da despedida. Mesmo porque, você continuará a encontrar com ela pelos andares onde o elevador parar. Afinal vocês têm um filho juntos!
A parte boa é que você verá seu time vencer campeonatos, vai assistir futebol com os amigos, levar seu filho ao estádio, vai encontrar amigos que você conheceu vários andares abaixo e que você não via a vários andares.  Isso te dará enorme alegria! Vai conhecer novas pessoas, novos jeitos de fazer as coisas, vai se preocupar com o meio ambiente e, se tiver um filho, vai ter um animal de estimação.
Quando você chegar ao 40º andar, talvez você esteja com a sua vida profissional estabelecida, os filhos matriculados em boas escolas, as contas em dia, gozando de boa saúde ... vai tudo muito bem. Até um bando de gente chata começar a te aborrecer por causa do “Novembro Azul”. E, meu amigo, eu sei que é chato, constrangedor ... desconfortável ... acaba com a nossa dignidade, mas, enfim ... é necessário! Você poderá até adiar, mas não poderá escapar da famosa “dedada”. Torça para que seu proctologista não seja um daqueles brincalhões que, quando fica bêbado, te abraça, bate no seu ombro e te apresenta pros amigos dizendo: “esse aqui é meu paciente!” E mostra a mão com o dedo médio estendido e um enorme sorriso no rosto...
Mas, se tudo correr bem, no 50º andar seu filho já será adulto, terá completado a faculdade, terá suas próprias responsabilidades no elevador da sua vida. Torça para os negócios estejam bem e que a viagem continue tranquila ... passeios, cinema, parques, viagens ... férias!

Eu já estou no 52º andar e, até aqui, tudo bem. Não posso adivinhar o que vai acontecer nos andares seguintes. Minha avó me contou que, quando a gente passa do 60º andar, a gente começa a se esquecer dos acontecimentos dos primeiros andares do elevador ... Eu, particularmente, não acredito nisso! Nunca vou me esquecer da D. Márcia,  minha primeira professora! Jamais me esquecerei da Sandra, uma linda morena de olhos verdes por quem me apaixonei aos 11 anos! Creio que vou me lembrar da minha primeira namorada enquanto eu viver! Nunca hei de me esquecer de Renato (meu primeiro grande amigo) nem de Zico, responsável por eu torcer pelo meu time de futebol! Enquanto eu viver, essas pessoas serão imortais pois, “quem vive nos corações daqueles que ficam, não morrem jamais” (Harold Robbins – Uma prece para Danny Fisher) – viu como é bom cultivar o hábito da leitura?,
E tudo o que eu quero agora é continuar a viagem, da melhor forma que eu conseguir.
Dizem que “se conselho fosse bom, ninguém dava. Vendia!”

Esses, são de graça!
Aproveite!
Tony Carvalho
Enviado por Tony Carvalho em 07/01/2021
Código do texto: T7154644
Classificação de conteúdo: seguro

Comentários

Sobre o autor
Tony Carvalho
Cuiabá - Mato Grosso - Brasil, 53 anos
1 textos (4 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 23/01/21 14:22)
Tony Carvalho