Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Que não é de papelão

Quem dera você percebesse
Como legal seria
se a avó da minha filha
fosse a irmã da sua tia

E se, por acaso, o destino
te fizesse entender
que o maluco aí contigo
não merece ter você

Meu bem-amado,
lixe as unhas com cuidado
pra não arranhar meu coração,
que ele não é de popeline,
também não é de papelão

Mas se você quiser passar
a vida inteira ao meu lado,
eu vou cuidar da nossa casa,
eu vou comprar o seu calçado,
36 se for aberto, 37 se fechado

E se você ficar com fome,
e se quiser beber gelado,
vou preparar o nosso almoço
com um menu balanceado
O ovo tem que ser mexido e o bife mal-passado

Se demorar para dormir,
e isso tem que ser frisado,
não vou mexer as minhas pernas,
também não vou virar de lado
Vou desligar a televisão e me manter paralisado

Meu bem amado,
vou comprar seu calçado,
vou me manter paralisado,
Lixe as unhas com cuidado,
37 se fechado
Léo Risuenho
Enviado por Léo Risuenho em 01/01/2019
Reeditado em 07/06/2019
Código do texto: T6540308
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, fazer uso comercial da obra, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Léo Risuenho
Belém - Pará - Brasil, 37 anos
41 textos (1649 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 20/07/19 15:22)
Léo Risuenho