Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Barulho

Barulho


Caminhei nas ruas, mas sempre alerta
Não quero receber um presente na testa
Não deveriam haver razões para se amedrontar...

Essas pobres senhoras, com crias de colo
Pode-se ver seus rostos preocupados, é notório
Nem mesmo seus companheiros podem fazer nada...

E o caminho a seguir é sempre o mesmo
Sem saber se será frequente o sossego
Já presenciei certas coisas, mas nada me causou trauma

Graças a Deus, não quero estar presente nas estatísticas
Naquelas malditas listas
Só podemos pedir para não se concretizar...


Ouça agora, chegou o barulho
Causando muito tumulto
Nos corações, dos aldeões
Onde havia paz, agora é só surto
Não há mais o amor mútuo
Onde é que isso vai parar!!!???

Estamos, na terra de ninguém
A espera da salvação para o bem
Quem quer ser mandado para o além?
Esperança, será que tem?
Só ouço o barulho
Invadindo meu coração
Esse maldito barulho
Que inquieta a multidão...

Faço parte daqui, mas não sou fruto do meio
Já sabia e via que faziam o errado, o que era feio
Mas tinha consciência de que era uma escolha a fazer...

Esses insanos desamparados não tiveram a mesma sorte
O que espera para eles é só com 25 a morte
Eles gostam da adrenalina e não tem nada a perder...

E a situação a se formar é sempre a mesma
Inocentes se misturam numa guerra inferma
Mas manti tais valores,
Por isso prezo pelo caráter...

Graças a Deus, não quero estar presente nas estatísticas
Naquelas malditas listas
Só podemos pedir para não se concretizar...

Ouça agora, chegou o barulho
Causando muito tumulto
Nos corações, dos aldeões
Onde havia paz, agora é só surto
Não há mais o amor mútuo
Onde é que isso vai parar!!!???

Estamos, na terra de ninguém
A espera da salvação para o bem
Quem quer ser mandado para o além?
Esperança, será que tem?
Só ouço o barulho
Invadindo meu coração
Esse maldito barulho
Que inquieta a multidão...


(Parte de rap)

Eu penso que é ignorância,
Mas ao mesmo tempo negligência
Adentrar um buraco escuro sem fim
Aliás para você tem fim, sim
Mas quem permanece é o sistema
Valorizo muito os meus pulmões
Por isso não entro nessa cena
Para ações existem reações
Não é preciso enxergar para ver
Os próprios antecedentes estão aí
Um histórico sujo, imundo, cheio de brechas
O que não entra em minha cabeça
Para eles não interessa
Só sinto muito por aqueles que andam nas ruas
E de repente, ouvem e correm com pressa…

Ouça agora, chegou o barulho
Causando muito tumulto
Nos corações, dos aldeões
Onde havia paz, agora é só surto
Não há mais o amor mútuo
Onde é que isso vai parar!!!???

Estamos, na terra de ninguém
A espera da salvação para o bem
Quem quer ser mandado para o além?
Esperança, será que tem?
Só ouço o barulho
Invadindo meu coração
Esse maldito barulho
Que inquieta a multidão...
Phillip Andryuz
Enviado por Phillip Andryuz em 02/01/2019
Reeditado em 02/01/2019
Código do texto: T6541398
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Phillip Andryuz
Salvador - Bahia - Brasil, 22 anos
6 textos (217 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 16/02/19 23:16)