Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

É o que tenho pra hoje! "Tão jovem e já com antecedente"

Vivendo num inferno moderno meio antigo
Tipo Cingapura, COHAB, CDHU
Porra! Vai tomar no cú!
Sem nenhum tipo de revolução nessa porra!
Muito assunto desnecessário
Porra de Presidente Fraco! Otário, Insano
E eu precisando de um Presidente Malandro
Tipo Getúlio, Juscelino, Luiz Inácio
Que seja tipo um Anjo, Um Foda, Um Mágico
Tô passando um perereco danado, Um veneno bravo
Tô pressentindo que dessa vez não vai rolar
Ainda mais eu Negro, Forte, Alto, Cheio de estilo
Tô "fudido"!
Morando na periferia onde tudo se prolifera
Até onde vai dar tudo isso!?
Violência aqui tem sobrenome
Começa com "PO" e termina com "LÍCIA"
Mas quando esvazia a panela, Quando esvazia a tigela
"Fudeu"!
Barriga vazia é sinônimo de miséria
Nem posso atravessar a fronteira que parece mais uma trincheira
Ligo a TV, É queda da Bolsa
Ligo a TV, É Alta do Dólar
Tô sem palavras, Minha fala e minha fé ficou muda, Foram embora
Quem me conhece sabe! Tô pela arte, Tô pelo povo
Sou Militante porra! Operário da Música
Já é! Sou jovem e já com antecedente, Fazer o quê!?
Infelizmente Alguns parentes perdidos, Outros achados
Fiquei sem formação acadêmica, Fiz apenas o fundamental
Fui um mau aluno, Muito mau
Também nunca gostei de hora extra
Quase sempre é ruim o meu astral
Gosto mesmo é de ta na rua e coisa e tal
Do lado do bem eu vou, Vou além
Numa fita falo oh gloria! Na outra falo amém
Ontem se foi mais um parceiro violentamente
Pensei calado, Sou mais um sobrevivente
A Vale do Rio Doce matou o meu "Parça"
Morreu asfixiado embaixo da lama
Puta drama!
Procura, Procura, Procura e ninguém acha
Sem atitude pra pagar uma digna indenização
Qual será a intenção desse nobre cidadão?
Tudo que sei é que meu irmão sofre, Família sem chão
Sem lugar pra morar, Pior! Sem nada pra comer
E eu aqui continuo réu sem saber!
Mais um marginal de alma imortal no mercado informal
Meu juiz é Jeová! Esse nunca me abandonará!
Talvez as pessoas entendam um dia que viver nessa correria é tiro no pé
Com muito amor e muito carinho, Aqui deixo o meu AXÈ!
Paulo Poba
Enviado por Paulo Poba em 26/03/2020
Reeditado em 26/03/2020
Código do texto: T6897278
Classificação de conteúdo: seguro

Comentários

Sobre o autor
Paulo Poba
Campinas - São Paulo - Brasil, 37 anos
344 textos (4999 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 10/04/20 08:54)
Paulo Poba