Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto
O inventor de palavras (1)

O contador afoito, afoitei-a, a palavra por ele inventada, até lhe chicoteia, para não dar espaço para o seu ouvinte falar, mas; depois tem que se explicar, para que o seu dito não caia na graça de virar um costume popular, ou acrescido de sabedoria tal, um ditado regional que perambula, com seus [aís e porquês], típicos da sedução do tempo e do lugar visitado, imobilizando formas de questionamentos.
Então; o contador afoito, pode ter até saído de cena, mas; continua fazendo mudos, pela surpresa gerada no estalar do seu chicote, fazendo-nos colocar no bolso regras que não podem ser aplicadas, seja por educação, carisma, pelo seu conto mentiroso ou não, criado ou não, a sua afoiteza ganhou amplidão na simplicidade e o que nos resta é participar, admirar, guardar, lembrar e num momento oportuno, escrever, também contar para reviver.

Maurício de Oliveira
Enviado por Maurício de Oliveira em 13/11/2017
Reeditado em 13/11/2017
Código do texto: T6170996
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2017. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Livros à venda

Sobre o autor
Maurício de Oliveira
São Paulo - São Paulo - Brasil, 51 anos
1470 textos (96991 leituras)
12 e-livros (3144 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 14/12/17 12:09)
Maurício de Oliveira

Site do Escritor