Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Vaga mente, Vaga...

        frase do dia: sorria para o café da manhã, antes que o asno sente-se à mesa, sirva-se do melhor, encha o pandulho, vire a costa, sem dizer obrigado. Sem desejar--lhe, Bom dia.

             Na democracia, unicamente de direito instituída na República Federativa do Brasil, tudo é possível. E quando conveniente, até ler e nada do lido, entender.
             Quando o Corona se for e Eu nada tiver para comemorar ou lamentar, enquanto todos se despirão dos narizes de palhaço, deixarão de passar álcool nas mãos e usar máscaras no focinho, Eu usarei os EPIs até aquela ocasião usados, e tomarei os devidos cuidados de higienização contra os humanos, vírus que não há vacina e antídoto que elimine-o.
      Sou brasileiro, sou guerreiro e não desisto, nunca!

      Se o Corona está sendo massacrado pelos cientistas, políticos e maioria da massa bruta, pelo menos está sendo positivo para os pseudos crentes, pois nunca ouvi tanto as palavras Deus, Cristo, Fé, Esperança, Reflexão, Família, Irmandade, vai passar, vai dar certo.
      Tornaram-se tão sensíveis, que dizem: "eu te amo, você é muito útil e necessário para todos nós", e outras de sentimento otimista renovatório.
     Puramente  fogo de palha, palito de fósforo aceso em rastilho de pólvora. Quando apagar...; a hipocrisia retorna ao campo minado.

Parei para pensar.
Pensando,
Pensei que devo dormir para sonhar.

Dormi.
Dormindo,
Sonhei que deveria despertar para pensar.

Desperto,
Pensei que a vida não permite pensamentos e sonhos flutuantes,
E sim, as potencializadas pegadas dos pés chão,
Motivo d'eu iludir-me, sempre,
E continuar vivendo.

    Onde eu encontrar a verdade, que Ela desça sobre minha mente e ilumine-me, para sempre.
        Sou persistente e continuarei procurando com lupa. Pois, caminhos é que não faltam para percorrer.

             Da política à poesia, da retidão ao viés, do côncavo ao convexo, Vaga mente, vaga, em noites de insônia!
     Todavia, sem o desânimo dos pés no chão, um passo após outro.
Mutável Gambiarreiro
Enviado por Mutável Gambiarreiro em 01/05/2020
Reeditado em 04/05/2020
Código do texto: T6933703
Classificação de conteúdo: seguro

Comentários

Sobre o autor
Mutável Gambiarreiro
Jegue é - Tovuz - Azerbaijão
2767 textos (63783 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 13/08/20 18:09)
Mutável Gambiarreiro