Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Sozinho na multidão.



Sozinho na multidão

Estou sempre a esconder. Esconder de mim mesmo.
Escondo das lagrimas. Tento ocultar meu ser.
Sentimentos que evito consentir a mim mesmo.
Que nada o tempo não deter. Não finda.

Na multidão vertigens.
No meio da avenida um rosto, um cabelo, fito.
Olhos, olhares. Vejo você em todos eles.
Chego a pensar na loucura. Uma insanidade! Amor.

Nos jardins me confundo. Rosas, arvores comuns
Palmeiras paineiras, não, não vejo neste meio.
Teu rosto.. Teu corpo.
Do amor, da verdade, que criei.
Você permanece num além

Tua paixão me envolveu. Coibiu meus pensamentos.
Cerrou para sempre meus olhos.
Fez me pensar nada mais nada mais.
Que você..
Que procurarei sempre.. E sozinho na multidão.

ELIO CANDIDO DE OLIVEIRA
Enviado por ELIO CANDIDO DE OLIVEIRA em 04/09/2007
Código do texto: T638778
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (elio candido de oliveira). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
ELIO CANDIDO DE OLIVEIRA
Ibiá - Minas Gerais - Brasil
4106 textos (160406 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 13/12/17 02:11)
ELIO CANDIDO DE OLIVEIRA