Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Dia 16 – Êxodo 11 – 17 . A última praga, O significado da Páscoa, A Ingratidão do povo.

11 de Janeiro de 2019

Após todas as 9 pragas chega então a derradeira praga, a morte dos primogênitos, essa, sem dúvida é a praga mais cruel, ela ataca todas as famílias do Egito, aonde houvesse um primogênito naquela noite, haveria choro. Imagine-se levantando no meio da noite ao ouvir gritos de desespero do seu vizinho, você percebe que ele chora porquê perdeu um dos seus filho, então, no meio da escuridão noturna ouve-se outros choros, e mais outros… Sem dúvida o Deus de Israel atacou novamente, assustado e com medo, você retorna a sua casa apenas para perceber que seu filho também morreu.
A Bíblia relata que até os primogênitos do animais morreram, entretanto, nem um cachorro do povo de Israel sofreu algum mal. Isso foi demais, naquela mesma noite Israel foi expulso do Egito e precisou sair as pressas por conta do pavor e da dor que os Egípcios tinham.
Deus havia mandado que se sacrificasse um cordeiro e  comessem-no antes do amanhecer, falou também que o sangue dele fosse passado nas ombreiras da porta da casa de casa israelita, quando a morte passasse pelo Egito, vendo aquele sangue identificaria ali uma casa dos servos do Senhor e nela não entraria, essa era a Primeira Páscoa. Não devemos no entanto pensar que havia algo de mistico naquele sangue, mas sim um simbolismo do que haveria de acontecer. Anos e anos depois, em uma outra Páscoa, o Cordeiro de Deus seria sacrificado (Jesus) e todos aqueles que estivesse debaixo do seu sangue seriam salvos da Morte (A morte eterna longe de Deus), aqueles que comeram de sua carne (a ceia, simbolizando a união deles) teriam a verdadeira vida.
O Antigo testamento é repleto desses símbolos, muitos deles só passamos a compreender com a chegada de Cristo, é muito interessante ver que já ali Deus se preocupava com o seu plano para salvar a humanidade.
Israel ao sair do Egito e cruzar o mar começa a reclamar. Reclamam pela falta de água, de pão, de carne e por ai vai. É comum quando lemos esse texto nos perguntar o motivo de tantas queixas. Poxa vida, eles viram tantos milagres de Deus, por quê não podem ficar agradecidos e ter mais fé? Sempre pensei assim, até me pegar em situação igual a deles; Estava reclamando e murmurando de “barriga cheia”.
Ainda hoje nós somos assim, mesmo Deus cuidando de nossas vidas somo seres ingratos, sempre estamos reclamando e nos queixando de algo. Precisamos aprender a confiar Nele, sabendo que Ele tem cuidado de nós. Que o exemplo de Israel sirva para que possamos aprender a sermos gratos, não cometamos os mesmos erros.
Adriel M
Enviado por Adriel M em 11/01/2019
Código do texto: T6548214
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Adriel M
Itaboraí - Rio de Janeiro - Brasil, 27 anos
68 textos (595 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 17/02/19 13:55)
Adriel M