Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

RP - LUCILA - PARTE 5

 
                                     LUCILA
                                    PARTE V
                                                   
                                    Lucila percebe que tocou num assunto perigoso e se cala.
- A senhora tem filhos? - Cláudio pergunta para sutilmente provocá-la.
   Ela sente a respiração faltar, mas consegue a custo responder:
- Não, senhor. Eu nunca me casei...
- Mônica também não.
   Lucila olha para ele rapidamente. Cláudio tenta contornar.
- Eu ainda não sou casado com ela. Pensei que Karen tivesse lhe dito.
- Não... não disse.
- Espero não ter chocado a senhora. Eu ainda não posso me casar com ela porque já fui casado. Eu sei que não é uma situação normal, mas pode acreditar que esse filho foi gerado com muito amor. Eu e Mônica nos amamos demais.
- O senhor não tem que se explicar pra mim. Eu não fiquei chocada. Há muitos filhos gerados fora do casamento nesse mundo...
- O importante é assumir a responsabilidade por eles. É isso que eu pretendo fazer. Minha filha vai ter o pai e a mãe juntos dela.
- Filha...?
- É... A Mônica está esperando uma menina.
   Lucila sente o coração batendo forte no peito, como se quisesse explodir. Cláudio está falando de sua neta.
- Se importa se eu... o deixar sozinho por um momento?
- Não... de maneira alguma. Fique à vontade.
   Lucila sai da sala e segue pelo corredor, indo para seu quarto. Cláudio a segue com os olhos e em seguida cobre o rosto com as mãos. O coração dele também está apertado. Karen vem da cozinha sem Mônica e, ao vê-lo ali sozinho, pergunta:
- A Lucila deixou você aqui sozinho? O que deu nessa mulher?
   Cláudio se recompõe e sorrindo diz:
- Não tem problema. Ela... foi ver alguma coisa lá dentro. Está tudo bem.
- Sua Julieta além de bonita é ótima cozinheira, meu amor, ela diz, sentando-se ao lado dele. - Você tem muito bom gosto. Tânia era assim também?
- Karen... eu posso de pedir um favor?
- Claro, meu bem.
- Não compare a Mônica com a Tânia... Tânia pode não ter sido a mulher ideal pra mim, mas ela foi vítima do mesmo erro que eu fui. Eu não quero que você, nem ninguém, pense que eu troquei uma pela outra por méritos físicos ou morais que elas tenham. O motivo pelo qual eu me casei com a Tânia é totalmente diferente do que me uniu a Mônica. Eu estou com ela porque... ela é a primeira mulher que eu amo na minha vida. Eu a amo de verdade... só por isso. Tânia é passado. Não compare mais as duas... por favor.
   Karen sorri e divertida aplaude.
- Bravo! Você está certo. Eu fui inconveniente. Me perdoe. Gostei do jeito que você falou dela. Fico feliz por sua felicidade e não vejo a hora de ver essa criança que vocês esperam. Maria Cecília já é minha neta do coração.
- E afilhada também.
   Ela olha para ele surpresa.
- Como? Afilhada?
- Isso mesmo. Eu e Mônica já escolhemos os padrinhos. Você e o meu irmão Wagner.
   Os olhos de Karen se enchem de água. Ela encosta a cabeça no ombro dele emocionada e feliz.
 - Foi a coisa mais linda que você já me ofereceu, filho.
   Mônica aparece, vindo da cozinha, e pergunta:
- A senhora quer ver se a rabanada ficou boa?
  Karen se volta para ela com os olhos molhados.
- Vou sim, meu bem...
- O que aconteceu? - Mônica pergunta, preocupada.
   Cláudio estende a mão para ela e chama:
- Vem aqui, amor.
   Mônica se senta ao lado dele e Cláudio segura sua mão, depois olha para Karen.
- Karen, eu soube pelo doutor Glauco que você está no Brasil porque veio vender essa casa. É isso mesmo?
   Karen respira fundo e se recompõe, enxugando os olhos, e responde:
- É... Eu não pretendo mais voltar pra cá. Além de você, não tem mais nada que me ligue a este país. Meu marido e meu filho já não estão mais comigo. Eu não sinto mais alegria quando venho pra cá. Pensei que não fosse nem mais ver você porque não tenho mais intenção de pisar novamente em Casa Branca. Mas você está aqui e eu vou poder me despedir de você do jeito que eu gostaria.
- Você já tem algum comprador em vista?
- Não, infelizmente não. Em época de festas é muito complicado achar comprador pra uma casa como esta. Não é cara, mas também não é barata. Talvez eu deixe com alguma imobiliária de confiança ou com o Valter como responsável...
- Eu quero comprar, Cláudio diz.
   Karen olha para ele surpresa.


                          RETORNO AO PARAÍSO – LUCILA
                                          PARTE 5

                  OBRIGADA E TENHA UMA ÓTIMA NOITE!
                      DEUS ABENÇOE A NÓS TODOS!
Velucy
Enviado por Velucy em 11/05/2018
Código do texto: T6333733
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2018. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Velucy
São Paulo - São Paulo - Brasil
789 textos (3269 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 25/05/18 04:01)