Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

RP - O CASAMENTO DE BETO LAGE - PARTE 10


                             O CASAMENTO DE BETO LAGE
                                                PARTE X

                 Leonardo ainda liga várias vezes na segunda-feira para falar com o filho, mas Wagner não atende e dá ordem ao pobre Julian que diga que ele não está na casa. Essa atitude não é aprovada por Linda e muito menos por Gart.
   Bartley está na casa, quando Wagner recebe um desses telefonemas do pai e ainda se recusa a atender. Gart perde sua paciência que é grande, pelo menos em relação a Wagner, e explode:
- Você é muito mais criança do que parece! Está fazendo seu pai de idiota! Ele não merece isso!
- Eu já falei com ele, Gart. Já expliquei que não posso voltar ainda. Não tenho mais o que dizer.
- Você só tem que dizer pra ele que vai voltar pra casa. É isso que ele quer.
- Eu vou, mas não agora! Você está querendo me ver pelas costas, é?
- Não! Eu só quero ir embora daqui, mas você me disse que precisava de mim ainda pra resolver o problema da passagem da fazenda para o nome do seu pai. O Bartley está com os documentos prontos com ele. Vai com ele pro escritório e veja se está tudo de acordo com o que você quer. É só você assinar a desistência e levar pro seu pai assinar a posse também. Se você quiser, ele viaja com você pro Brasil. Mas acabe com isso, logo!
   Wagner olha para Bartley, para Linda e depois novamente para Gart. Levanta-se e segue em direção ao escritório. Bartley levanta-se também e o acompanha. Gart respira, aliviado.
- Nossa! Eu nunca te vi tão nervoso, Linda diz.
- Se minha irmã deixou alguma característica dela nesse garoto, ela não sofreu tanto quanto o pai dele. Jesus Christ!
   Linda ri.

   No escritório, Wagner explica a Bartley o que tem em mente.
- Eu não quero que ele vá embora, Bartley. O Gart é meu tio, mas pra mim ele é quase como se fosse meu irmão. Eu gosto demais dele. Essa casa é dele tanto ou mais do que é minha. Eu sei que, quando eu voltar pro Brasil, ele vai embora daqui e daí... sei lá quando eu vou vê-lo de novo.
- Mas ele disse que não quer mais se comunicar com você?
- Não, mas eu sei que não vai. Eu vou me casar com a Linda e é por causa dela que ele quer ir embora. Eu estou pensando seriamente em morar aqui depois de me casar com ela. Isso não vai acontecer agora, mas... se tudo acontecer muito rapidamente, eu vou perder contato com ele. Eu quero começar a mexer com os negócios do vovô Russel e... sem a ajuda dele... vai ficar complicado. Você está sempre por aqui, mas não vai ser sempre que vai ter sempre tempo e paciência de ensinar um leigo. Essa paciência eu sei que o Gart tem...e fica mais fácil com ele morando aqui.
- Será? Você conseguiu tirá-lo do sério agora. Eu pensei que ele fosse te dar umas palmadas.
- Eu sei como lidar com ele. Sei exatamente até onde ir. Só não quero que ele vá embora. Você me entende?
- Wagner, você não pode obrigar o Gart a morar na mesma casa que você depois que você se casar com Linda, se, como você diz, é por causa disso que ele quer ir embora. Nenhum homem, por mais paciente que seja, suporta isso. E ele pode ser muito paciente, mas só faz o que quer. Eu não vou conseguir convencê-lo tão facilmente. Isso é uma coisa muito pessoal entre vocês.
- É... Pode ser... mas tente. Comigo, ele não quer nem falar, você viu.
- Vou tentar... Mas vamos falar de um assunto mais prático? A fazenda Quatro Estrelas?
- Claro... Eu gostaria que ela já estivesse no nome do meu pai de novo até o meu casamento. Seria possível?
   Bartley abre sua valise e retira dela algumas folhas de papel.
- Eu trouxe um documento que você deve assinar desistindo dela pra eu poder passá-la para o nome do seu pai, mas, antes de eu poder fazer isso, vou ter que ir ao Brasil e fazer uma pequena investigação sobre a vida do seu pai e o comportamento dele nesses vinte anos depois da morte da sua mãe, para ter certeza de que ele merece isso. Foi um pedido feito por Mr. Russel, antes de morrer, caso você tomasse essa decisão.
- Investigar a vida do meu velho? Pra quê? Meu pai é o cara mais honesto e íntegro que eu conheço. Se tem alguém que merece e sempre mereceu ser dono daquela fazenda, é ele.
- Não tenho dúvida que provaremos isso. Tudo se resolverá sem problemas. Assine aqui, por favor, ou você quer ler primeiro?
   Wagner olha para o papel e se senta numa cadeira próxima, começando a ler seu conteúdo. Bartley esboça um leve sorriso e cruza os dedos das mãos sobre a mesa, aprovando aquela atitude. Quando termina a leitura, Wagner se levanta e vai apoiá-lo sobre a mesa e assina, estendendo-o para o advogado.
- Você agiu como um futuro empresário, diz Bartley. - Nunca assine nada sem ler bem antes.
- Não foi por falta de confiança. É que... é a vida da minha família que está nesse papel. Minhas irmãs e minha mãe... madrasta... moram nessa fazenda.
   Bartley de levanta.
- Corretíssimo. Eu vou providenciar todos os outros documentos e entro em contato. Posso ir agora? Mais alguma dúvida?
- Só uma...
   O advogado espera.
- Bartley... você não gosta do meu pai, não é?


                RETORNO AO PARAÍSO – O CASAMENTO DE BETO LAGE
                                                 PARTE 10


                               OBRIGADA POR SONHAR COMIGO!
                                                    BOM DIA!
                              DEUS NOS ABENÇOE A TODOS NÓS!

Velucy
Enviado por Velucy em 11/06/2018
Código do texto: T6361048
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2018. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Velucy
São Paulo - São Paulo - Brasil
1287 textos (6923 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 19/12/18 01:04)