Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

RP - MORRE UM ANJO...- PARTE 21


                                     MORRE UM ANJO...
                                            PARTE XXI

                                      Wagner estaciona a moto diante da casa, retira o capacete e desce dela. Pega a mochila e sobe os degraus da escada, se aproximando de Mônica e lhe beijando o rosto.
- Que bom te ver de novo, compadre.
- Oi... ele diz, abaixando-se para beijar sua barriga. – Oi, Mi.
- Essa é Lúcia, a mulher do Miguel. Meu cunhado, Wagner, irmão do Cláudio.
- Oi, Lúcia, prazer.
- Como você está?
- Estou bem, ele diz não muito convicto, sorrindo triste. – Cadê o Cláudio e meu pai? O Miguel também está aqui, claro...
- Seu pai está lá dentro, o Cláudio e o Miguel estão na baia com as crianças...
- Olha, eu vou subir rapidinho pra tomar um banho. Não quero falar com ninguém ainda. Você me entende, não é, Mônica? Diz pra todo mundo que eu já desço. Quebra essa pra mim?
- Claro, vai tranquilo.
  Ele a beija no rosto e entra na casa. Aproveita que não há ninguém na sala e sobe as escadas correndo, indo para seu quarto.

  A alguns metros da casa, durante aquele passeio diferente, Alberto pergunta:
- Esse cavalo é seu?
- É.
- Qual o nome dele?
- Diamante.
- Bonito.
- Está gostando?
- Estou... muito... Eu ia morar aqui se você me adotasse?
- Não sei... Eu não tinha pensado nisso ainda. Eu e a tia Mônica temos uma casa em São Paulo. A gente podia ir morar lá também. Ficaríamos perto da sua mãe. Só sei que você ia ficar com a gente.
- Só que você ficou doente...
- É... Mas o tio Miguel já resolveu tudo. Você é filho dele agora e vai poder vir sempre aqui.
- Que bom que ele é seu amigo, não é?
- É... Muito bom.
   Depois de algum tempo de passeio, Cláudio ouve o barulho da moto de Wagner.
- Tem uma moto chegando... Quem é aquele?
- Meu irmão Wagner. Você o conheceu no Santa Mônica, lembra?
- Ah...
- Vamos voltar?
- Vamos. Eu posso andar de novo depois?
- Claro, mais tarde.
- Vamos perguntar pro Rodrigo se ele quer passear também?
- Vamos.
  Eles começam a voltar para a casa grande.
  Cláudio ajuda Alberto a descer do cavalo e desce também, aproximando-se de Mônica, enquanto o menino corre de novo para a cocheira.
- Foi o Wagner que chegou, não foi? - ele pergunta, olhando para a moto.
- Foi. Ele acabou de entrar e subiu pra tomar um banho.
  Cláudio entra na casa e sobe correndo também. Ao chegar diante da porta do quarto do irmão, ele bate.
- Wagner?
   A porta se abre. Wagner fica olhando para ele, mas não diz nada. Cláudio entra no quarto e sem dizer nada o abraça. Wagner começa a chorar, com o rosto escondido em seu ombro.
- Chora... Vai te fazer bem.
   Ele desabafa toda tristeza que está sentindo, no ombro do irmão. Soluça sentido por algum tempo, depois se afasta dele e vai se sentar na cama, colocando o rosto entre as mãos com os braços apoiados nos joelhos. Cláudio fecha a porta e se senta ao lado dele, colocando a mão sobre seu ombro.


                     RETORNO AO PARAÍSO – MORRE UM ANJO...
                                               PARTE 21


                           OBRIGADA POR SONHAR COMIGO!
                                           BOA TARDE!
                            DEUS NOS ABENÇOE A TODOS NÓS!


Velucy
Enviado por Velucy em 10/07/2018
Código do texto: T6386277
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2018. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Velucy
São Paulo - São Paulo - Brasil
944 textos (3890 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 16/07/18 06:14)