Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

MI - UMA GAROTA MUITO ESPECIAL (DOZE ANOS DEPOIS) - PARTE 24

 
                           MI – UMA GAROTA MUITO ESPECIAL
                                                 PARTE XXIV

                                      Maria Cecília pega a rede de cabelos sobre a penteadeira e passa para a mãe que a pega e começa a enrolar seu cabelo num coque no alto da cabeça para poder prendê-lo.
- Ele já está bem comprido, diz Mônica e aproveita para provocá-la. – A gente podia cortar uns três dedinhos...
- Não! - a menina diz enfática.
- Não? Por que não? Ficaria mais prático e cresceria mais forte...
- Meu pai gosta assim. Não quero cortar.
- Tudo bem. Não precisa ficar zangada.
   A garota volta a ficar em silêncio. Já que ela não tem muito assunto, Mônica aproveita para falar de um assunto que lhe interessa muito.
- Você tem falado com ele?
  Maria Cecília ergue os olhos e olha para a mãe pelo espelho.
- Ele quem, mãe?
- Seu pai, Maria Cecília. Quem mais?
- Tenho...
- Falou com ele, hoje? - Mônica pergunta, emocionada, mas tentando parecer natural.
- Falei...
   Mônica continua seu trabalho, mas sente o coração bater mais forte no peito.
- Não quer falar sobre isso comigo?
- Eu não gosto muito de falar disso. Você fica triste e chora. Não gosto de ver você chorar por causa dele. Não faz bem pra mim nem pra ele, mãe.
   Mônica sorri, fazendo um grande esforço.
- Não vou chorar. Pode falar... O que vocês conversaram?
- A gente conversou... sobre o dindo.
- Sobre o Wagner? Está acontecendo alguma coisa com ele?
- Não... e está... mas não é pra preocupar. Papai falou que tudo vai ficar bem.
- Tudo o quê?
  A menina fica em silêncio e aperta os lábios um contra o outro, baixando os olhos.
- Você não pode falar? - Mônica pergunta.
   Ela balança a cabeça negando.
- Desculpa, mamãe...
   Mônica coloca a redinha nos cabelos da filha e gira a cadeira giratória em que ela está sentada e a faz olhar para ela.
- Não precisa pedir desculpas.
- Eu até gostaria de contar, mas... o papai falou que ninguém tem que se preocupar. É sério.
- Tudo bem... Eu ainda confio muito no seu pai, onde quer que ele esteja. Se ele disse que não é pra se preocupar...
   Mônica sorri e beija o rosto da filha com carinho.
- Vamos dormir, princesa?
  Maria Cecília se levanta e vai se deitar na cama, auxiliada pela mãe que a ajuda a se cobrir, ainda ajeitando a redinha na cabeça da menina.
- Mãe!
- Oi, meu anjo?
- Você ficou feliz quando descobriu que estava grávida de mim?
   Mônica olha para ela, pega de surpresa pela pergunta.
- Que pergunta é essa, meu amor?
- Meu pai falou que... a gente ama as pessoas que vão ser nossos pais, antes de nascer.
- Ele disse isso?
- Que eu escolhi vocês pra serem meus pais... Ele me disse que eu fui muito amada por ele desde que ele soube que eu existia, dentro da sua barriga. Você também?
   Mônica não sabe como responder imediatamente, quando se lembra do medo que teve na noite em que fez amor com Cláudio pela primeira vez e que havia a possibilidade de ela estar grávida, segundo a suspeita dele mesmo.


           MI - UMA GAROTA MUITO ESPECIAL (DOZE ANOS DEPOIS...)
                                            PARTE 24


                                    OBRIGADA! BOM DIA!
                             DEUS ABENÇOE A TODOS NÓS!
Velucy
Enviado por Velucy em 09/08/2018
Código do texto: T6413822
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2018. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Velucy
São Paulo - São Paulo - Brasil
1120 textos (4832 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 23/10/18 11:01)