Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

AMAR DEMAIS 16 NOVEL LIVRE 14 ANOS

  27




               Sandra guarda as vasilhas com alimentos no refrigerador, sem parar de pensar no que seus filhos com aquela mulher que agora esta a se tornar um perigo ali estão metidos.
   - Deus minha virgem, cuida deles, os guie em um bom caminho.
   Ao colocar o ultimo pote no refrigerador um ar gélido lhe percorre seu corpo e ela deixa este cair se despedaçando ali.
   - Meu Deus, meu pai.  Moi entra ali e corre em amparo de sua esposa.
   - Sandra.
   - Moi.  Ela desmaia, ele a segura a tempo e em seu colo a leva para o sofá.
   Momentos depois ela retoma seus sentidos.
   - Moi, o que houve?
   - Eu que pergunto, você quase bateu a cabeça no chão.
   - Eu?
   - Sim.
   Logo Sandra tem de volta as memórias e levanta de pronto dali.
   - Amor, temos que fazer algo, meus filhos corre perigo.
   - O quê, como?
   - Eu sinto, não me pergunte, só fique comigo, me ajude.
   - Tá, tudo bem, fique calma, sempre estarei com você.
   Ali abraçados, eles ficam por um longo tempo.
   Distante dali, num bar, Adrian vê Mônica comer em nervos um sanduiche de peito de perú com alface.
   - Me trouxe aqui para isso?
   - Agora vai, me conte o que sabe?
   - Não é questão de contar, o fato aqui é seu problema, pois logo estará a frente deles.
   - Por que diz isso com tanta certeza?
   - Fácil, por que sei.
   Após o sanduiche, eles andam por uma praça, logo Adrian lhe interroga.
   - Esteve com eles, não foi?
   - Finalmente esta acordando, graças.
   - O que quer de verdade, Mônica?  Ela leva a mão as costas, Adrian entendendo aquilo se prepara e já parte num golpe em ciam dela, ela porém o desvia.
   - Então é isso, quando e quanto lhe deram para me matar?
   - Cale a boca.  Mônica saca seu punhal ali e investe nele, ele desvia porém ela fora mais rápida deixando nele abaixo do peito um leve corte.
   - Vagabunda.
   - Agora sim, ja sinto o cheiro de sangue, do jeito que gosto.
   Eles iniciam ali uma luta corporal, ficando ambos em empate técnico de ataque e defesa, mais ela se sobressai em determinado instante leh pondo em rasteiro, assim Adrian cai e ela desaparece.
   - Da próxima vez não terei piedade Adrian.  Ele a procura mais nada, sabe que ela é altamente eficaz em seus golpes e especialista em camuflagens e fugas especiais.
   Priscila sai do carro de Diogo que a beija, ali ao longe eles são filmados, logo ele sai para seu destino, ela atravessa um lado da avenida e se prepara para atravessar o outro em direção ao ponto de ônibus dali, quando um carro surge em alta velocidade e quase a atropela.
   - Droga, tá louco, seu cretino.
   O motorista abre o vidro e dali surge um dedo provocativo.
   - Filho da puta.  Pri chega ao ponto e logo se acercam dela algumas mulheres e certos rapazes curiosos com o ocorrido, fazendo comentários ofensivos ao motorista.
   Pietra ajuda Enzo a fechar o bar, ali o rapaz fica parado frente ao comércio a espera de alguém, ela conversa um pouco com ele e logo se despede.
   - Até amanhã.
   - Até.   Assim que ela cruza a rua e dobra a esquina, Adrian surge do outro lado do quarteirão, Enzo o vê ali com a mão no toráx.
   - Adrian, o que houve?
   O rapaz vai até ele e o segura, levando para dentro, ao bater na porta, Moi logo abre e ajuda Enzo com Adrian, Sandra ao ver o filho ali naquela situação se desespera mais logo retoma o controle necessário para trazer a maleta de primeiro socorros e ajudar no ferimento dele.
   - Mãe.
   - Fique quieto, vamos ver isso aqui.  Enzo ajuda Moi a remover a camiseta de Adrian, logo o rapaz esta limpo no ferimento e com curativo.
   Sandra com lágrimas nos olhos, as retém para que ninguém ali veja em provas fiéis o sofrimento de uma mãe, Moi agradece a Enzo que ja dá indicio de ir embora quando Adrian o segura pelo braço.
   - Vem comigo.
   - Como, Adrian?  Adrian o puxa e o rapaz o segue entrando no quarto, Moi olha aquilo e corre o olhar para Sandra.
   - Não pergunte nada amor, por favor, só se faça de cego.
   - Tá.
   - Agora vem, preciso muito de você comigo na cozinha.
   - Tudo bem.  Moi a segue mais ainda olha vez por outra para o lado do quarto de Adrian.
   No quarto, Enzo ajuda Adrian a deitar-se na cama, quando vai soltar-lhe do braço, Adrian lhe traz para si ali junto dele.
   - Adrian.
   - Acho que estou precisando de cuidados mais especificos, me entende, Enzo?
   - Bem, acho que.... não.
   - Vou lhe ensinar ao ouvido, lhe mostrar também.  Em um movimento rápido Enzo ali preso aos braços do homem recebe um beijo apaixonante que sela o inicio daquele momento mais intimo.
   Pietra ja esta quase chegandop em casa, passa num lanche de carrinho e compra dog's para os filhos e marido, logo seu celular toca.
   - Oi, o quê, agora, tudo bem, já chego.  Ela dá os lanches para alguns moradores de rua e segue para a esquina e logo para um carro que ela pediu por aplicativo.
   09122018.................................


paulo fogaça e IONE AZ
Enviado por paulo fogaça em 15/12/2018
Código do texto: T6527534
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
paulo fogaça
Presidente Epitácio - São Paulo - Brasil
364 textos (4060 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 17/02/19 02:19)