Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

AMANDA V - RONI LEMOS VI - PARTE 1

                              I – RONI LEMOS (julho)

                Passaram-se dois meses sem que Roni tocasse mais no assunto com Marco sobre a ameaça que tinha feito a ele. Marco também não comentou nada com a prima para não aborrecê-la com um assunto que na cabeça de todos já estava mais do que resolvido. Sabia da impulsividade de Rita e tinha medo que ela pudesse querer realmente afastar o rapaz da agência definitivamente e isso poderia provocar um prejuízo de milhões para a RR.
   Mesmo com essa decisão de manter Roni calado, ele ainda tinha que conviver com os olhares irônicos do rapaz e suas indiretas quando acontecia de se encontrarem na agência.
   Amanda nem desconfiava de nada e só fazia esperar com muita ansiedade e, às vezes, com certo receio, o nascimento de seu bebê que ia crescendo dentro dela e já não permitia que ela fotografasse com roupas muito justas. Ela apenas fazia fotos que evidenciavam seu rosto, que apesar de mais cheinho, continuava lindo e agora mais iluminado.
   Certa tarde, Amanda entrou no escritório de Rita com uma decisão firme. Ela se sentou diante da mesa da madrasta e seus olhos estavam cheios de lágrimas. Rita se assustou e aproximou-se dela, indo abraçá-la.
- Ei, gatinha, o que foi? Está sentindo alguma coisa, meu amor?
- Eu não vou vir mais pra agência, Rita.
- O quê? Por que não?
- Você sabe por quê... Não me falou nada ainda porque sabe como eu gosto do que faço aqui, mas não dá mais. Eu estou engordando muito, meu rosto está aumentando... Vou dar um tempo até o bebê nascer, depois eu volto. Depois que eu voltar ao meu corpo normal, eu volto.
    Rita sorriu, segurou o rosto dela entre as mãos e disse:
- Vai valer a pena, não vai?
- Claro que vai, mas eu vou sentir tanta saudade...
- Por isso não, você vai vir trabalhar comigo todos os dias e me ajudar. Há mil coisas pra ser fazer aqui. Você não vai ficar inútil. Vai ser minha segunda assistente.
- Mas e a Bianca? Ela é sua assistente há tão pouco tempo, depois que a Haidée foi trabalhar no Rio. Não vai ficar estranho?
- Claro que não! Vai ser só diferente. Você vai ver como vai ser simples. A Bianca às vezes tem que ir pra rua, fazer serviços externos pra mim, aí nessas horas você fica no lugar dela. Eu preciso de muita ajuda aqui.
   Amanda a abraçou forte.
- Eu te adoro!
- Também te adoro, amor.
   Marco entrou e sorriu ao ver as duas abraçadas.
- Interrompo algum colóquio materno?
- Não, disse, Rita. – Já terminamos.
   Marco percebeu o rosto molhado de Amanda, ao beijá-la, e estranhou.
 - Que foi? Você está chorando? Está sentindo alguma coisa?
- Não, ela respondeu, enxugando o rosto. – É que eu vim dizer pra Rita que não vou mais fotografar nem filmar nada. Já não dá mais pra esconder o bebê... nem minha cara de grávida...
- Vejo aí algum sinal de decepção?
- Não! – ela disse, se abraçando a ele. – É que eu gosto demais do meu trabalho, é só. Vou sentir falta...
- Chorona! Pode deixar que fotos sua, grávida, não vão faltar lá em casa. Vou pedir pro Kleber ou pro Flávio fotografarem e filmarem você de todo jeito: de frente, de lado, de costas, de biquíni... Com seis meses, sete, nove...
- Doido!
   Ele a beijou novamente.
- Marco... Rita ia começar a falar, mas bateram na porta. Ela pediu: - Entre!
   Flávio e Roni entraram.
- Dá licença, Rita, disse Flávio. - Eu estava pensando em viajar hoje pro litoral com o Roni pra fazer as fotos pra campanha do Sundal, o Marco te falou?
- Eu tinha entrado aqui pra falar sobre isso, ele disse.
- Sei... e daí?
- Você vai com a gente?
- Ih, Flávio! Não vai dar não. Eu tenho tanta coisa pra fazer aqui. Ia até pedir pro Marco ficar até um pouco mais tarde comigo, hoje. Estou cheia de coisas muito importantes pra fazer pra amanhã. Tenho reunião amanhã cedo com outro cliente e precisamos preparar ou pelo menos esquematizar a campanha deles hoje. Amanda, seu maridinho não vai jantar em casa hoje à noite.
- Tudo bem, Rita, por mim...
  Marco olhou para Roni que sorriu malicioso, mas só ele entendeu o sorriso.
- A Bianca vai no meu lugar, continuou Rita. – Ela sabe bem o que eu quero que seja feito. Vai poder me substituir. Roni, não dê trabalho pro Fávio, como sempre, hein?
- Pode deixar, Rita. Quem vai estar comigo é a Carla, não é a Amanda, mas eu vou fazer o meu melhor... Vocês também, trabalhem direitinho.
   O rapaz sorriu irônico e piscou para Amanda que desviou o olhar, não gostando do gesto. Ele saiu da sala com Flávio.
- De vez em quando ele é sutilmente abusado... falou Rita. – Espero que não comece com aquela palhaçada novamente?
   Marco afastou-se de Amanda e passou as mãos pelos cabelos, explodindo por dentro.
- E eu não suporto ele! Bem sutilmente também...
- Ele continua o bobão imaturo, Marco, falou Amanda. – Não fica assim. Eu vou pra casa.
   Ela se aproximou dele e o abraçou pelas costas, beijando seu ombro.
- Bom trabalho, aos dois.
   Beijou Rita também e foi embora. Marco apoiou os braços na mesa e Rita percebeu sua tensão.


                                    RONI LEMOS (JULHO)
                                              PARTE I


                                  DEUS ABENÇOE A TODOS NÓS
               SEJAMOS, TODOS, LUZES NA ÁRVORE DE NATAL DO CRISTO!
                             UM NATAL REPLETO DE ALEGRIA A TODOS!

Velucy
Enviado por Velucy em 18/12/2018
Reeditado em 19/12/2018
Código do texto: T6530117
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2018. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Velucy
São Paulo - São Paulo - Brasil
1416 textos (8937 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 24/06/19 21:06)