Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

QUEBRANDO BARREIRAS - A RAPOSA - PARTE 5

                                         VI - A RAPOSA

            I would give my life for a single night...
             (Eu daria minha vida por única noite...)
                                          ...beside you
                                         (...a seu lado)

                                                  Elton’s Song (The Fox - álbum 1981)

                                                                             
                              No dia 19 de fevereiro, Elton fez um de seus shows para a Família Real, na festa de aniversário do príncipe Andrew, que completava 21 anos.
   O cantor já era considerado amigo da Família Real desde 1976. Sua mansão em Old Windsor, a dois quilômetros do castelo real, dava condições a ele de ser um querido vizinho da realeza britânica.
   O príncipe Andrew, muito jovem e amável, considerava o cantor um de seus maiores ídolos e não só ele como também Lady Diana, futura esposa do príncipe Charles, irmão de Andrew, divertiram-se muito, durante a apresentação de Elton que, tanto em estádios como em castelos, era um astro irrepreensível. E apesar de toda a seriedade da cerimônia, Diana ainda marcou o ritmo de algumas canções mais alegres, batendo sutilmente com o pé no chão.
   Elton confessou mais tarde que ficou realmente muito nervoso durante a festa, mas sua classe superou todo o nervosismo e o carinho real por ele cresceu ainda mais, assim como a amizade de Andrew.

   No início de março, foi lançado, na Inglaterra, o compacto com o show feito no Madson Square Garden com ele e John Lennon. Ainda em março, outro dueto famoso dele foi também lançado: com France Gall, uma cantora francesa que gravou em dueto com Elton a canção “Donner pour Donner”. A canção tinha como autores Maurice Berger e nada mais do que Bernie Taupin; no lado B do compacto, “Les Aveux”, de Berger e Elton.
   Gravar em francês não era para ele nenhum mistério, devido ao grande contato que teve com artistas e cantores franceses durante a gravação de seus dois últimos álbuns, em Nice. A canção aconteceu na França, na Inglaterra e nos Estados Unidos.

      Na manhã de 25 de março, Elton abriu os olhos e a primeira coisa que viu em cima do criado foi um grande “Feliz Aniversário!” escrito à mão num grande cartão azul encostado no abajur. A assinatura era de Sheila.
    Ele ergueu a cabeça, sorriu e apanhou o cartão. Atrás dele havia uma caixinha de veludo vermelho mais ou menos do tamanho de uma mão. O vermelho do veludo reluzia com um raio de sol batendo nele. Sentou-se na cama, apanhou a caixinha, abriu-a. Dentro, um lindo relógio de ouro apareceu. O visor da peça era cercado de pedrinhas de diamantes e seu nome estava gravado na parte posterior do relógio.
   Elton o tirou da caixa e o ergueu, mas, sem os óculos, ficava difícil enxergar direito a beleza da joia. Apanhou os óculos e o observou bem de perto, sorrindo, balançando a cabeça.
- Ah, dona Sheila! - sussurrou.
   Colocou o relógio de volta na caixa e levantou-se, colocando o roupão. Foi até a janela e abriu as cortinas, saindo na varanda. Viu Fred andando pelo jardim, conversando com um amigo. Ao vê-lo, Fred acenou e gritou:
- Feliz Aniversário! Já falo com você de perto quando descer!
- Obrigado, pai!
   Fred acenou novamente e continuou andando pelo jardim. Elton voltou para dentro do quarto e foi tomar um banho, mas quando ia tirando roupão, o telefone tocou. Atendeu:
- Oi.
- Bom dia, querido! - disse a voz de Sheila. - Não vou dizer Feliz Aniversário porque quero fazer isso pessoalmente.
- Você já disse, mamãe, falou ele, rindo.
- É, mas sem beijo e abraço não valem. Desça, seu café já está na mesa.
- Desço já.
- Ah, liguei par dizer que Rod ligou.
- Ah, é? Pra quê?
- Pra desejar felicidades, claro! Quando eu disse que você não tinha acordado ainda, ele reclamou que você é tão preguiçoso que não levanta cedo nem no seu aniversário.
- Um dia ele ainda morre de despeito. Vai ligar novamente?
- Vai.
- Certo, aí eu falo pra ele quem é o preguiçoso. Até já.
   Ele desligou o fone e entrou no banheiro, ficando lá por quase uma hora. Vestiu alguma coisa bem leve e desceu. Sheila veio recebê-lo ao pé da escada com um sorriso.
- Agora sim, bom dia e feliz aniversário, meu amor! - disse, abraçando-o e lhe beijando o rosto.
- Obrigado, mãe. É emocionante acordar com trinta e quatro anos e se sentindo com quatorze ainda perto de você, ele falou rindo.
- Isso é uma ironia? - ela perguntou, fingindo zanga.
- Não, só uma observação, Lady Sheila. Obrigado pelo presente, disse, erguendo o braço onde reluzia o relógio. - É lindo!
- Gostou mesmo?
- Amei, mas quantas vezes já te pedi pra parar de gastar comigo assim? O Fred vai falir desse jeito.
  Sheila riu, abraçando-o novamente.
- Ele adoraria falir por nossa causa.
Elton abraçou a mãe pela cintura e foi com ela para o salão de refeições onde estava servido o café da manhã.


                                A RAPOSA – CAPÍTULO VI
                                             CONTINUA...

                                                PARTE 5
Velucy
Enviado por Velucy em 17/04/2019
Código do texto: T6625405
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Velucy
São Paulo - São Paulo - Brasil
1525 textos (9110 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 21/05/19 20:21)