Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Q.B. - EU AINDA ESTOU DE PÉ - PARTE 4

                               IX - EU AINDA ESTOU DE PÉ

See the changes here on every street
(Veja as mudanças aqui em cada rua)
          As time goes marching to a different beat
          (Enquanto o tempo vai marchando para uma batida diferente)
                      Moving on into the restless age
                      (Se movendo dentro de uma idade impaciente)
                                       As the kids today find their feet
                                       (Conforme os garotos hoje encontram seu
                                                                                          caminho)


        “Where have all the good times gonne?” – Álbum Jump Up! - 1982


                         Ao terminar de ler a poesia que Bernie tinha acabado de fazer para ela, Toni tinha os olhos cheios de lágrimas. Ele passou o indicador sobre o rosto dela e apanhou uma lágrima, lambendo o dedo molhado; Toni perguntou, sorrindo:
- Pra mim?
- Gostou?
- Como não gostar de ler algo como... “Amo você mais do que amo minha própria vida”?
   Ele apanhou o guardanapo e assinou embaixo da poesia. Toni foi sentar-se no colo dele e o envolveu num abraço, beijando-o longa e carinhosamente. A equipe que a estava fotografando e várias pessoas que passavam pela praça começaram a bater palmas. Quando o beijo terminou, ambos olharam para todos e ele corou até a raiz do cabelo, ficando totalmente sem graça. Toni começou a rir.

                               ***********************
  Dez dias depois, já em San Fernando Valley, pronto para ir para o aeroporto em Los Angeles, onde embarcaria para Miami e em seguida para Montserrat, Bernie beijou Toni, ainda adormecida. Ela sentiu o beijo e começou a acordar. Abriu os olhos, sonolenta, perguntou:
- Que horas são?
- Oito, ele disse, baixinho, beijando seu rosto várias vezes. - Só queria me despedir.
  Ela ergueu-se e sentou-se na cama, ajeitando os cabelos.
- Quantos dias?
- Bem poucos. Não vou demorar muito. Quero ficar só o tempo que eles precisarem de mim, o que não é quase nada, ele disse, sorrindo. - É o primeiro álbum que fazemos totalmente juntos e, pra mim, pelo menos, esse é muito importante.
- Por quê?
- Você vai ficar sabendo, depois...
- Você vai pra lá me deixando aqui, curiosa?
- Vou, ele disse, beijando-a.
- Você é mau!
- Sou, ele declarou, beijando-a novamente. - Tchau, te amo.
- Também te amo. Manda um beijo meu pro Elton.
- Vou pensar, ele disse, sorrindo. – Ele vai querer beijo na boca e eu não sei se é uma boa ideia...
 Toni riu.
- Vou te levar até o carro...
- Não, fica na cama. Vou pedir pro Vodca tomar conta direitinho de você.
   Ela sorriu, deitando-se novamente. Ele saiu.

      Em Montserrat, toda a equipe já começava a se envolver com a gravação do novo álbum. Elton, Bernie, Dee, Nigel e Davey trabalhavam com vontade e pelo que se podia perceber, com bastante entrosamento.
   Neste álbum, não haveria piano e Elton iria ter o comando apenas dos teclados e tentava fazer seu melhor trabalho, o que não seria difícil, já que havia tido um ótimo aprendizado com o maestro James Newton-Howard.
  Certa noite, já passando das dez, Chris Thomas entrou no estúdio no momento em que eles repassavam “Religion”, um rock balançado e forte. Ele sentou-se ao lado de Bernie na mesa de som e esperou que eles terminassem. Quando acabaram, ele perguntou:
- Vão varar a noite, crianças? Os coqueiros já estão reclamando do barulho.
  Elton tirou os fones e perguntou:
- Que horas são?
- Dez e alguma coisa, disse Bernie, olhando no relógio.
- Temos tempo ainda, a menos que...
   Olhou para os outros e ninguém parecia estar querendo parar.
- Mais meia horinha. Quer ouvir o novo hit?
- Já tem hit? - Chris perguntou.
- Sente só... “I’m still standing”, Nigel!
   Nigel deu o sinal de início com as baquetas e eles começaram a tocar um rock vibrante e alegre, cheio de energia. Chris ouviu tudo encantado e ao final, teve que aplaudir.


                          EU AINDA ESTOU DE PÉ - PARTE 4
             SER CONSCIENTES DO QUE NOS TROUXE AQUI...
                  É ISSO QUE NOS MOVE E NOS MANTÉM EM PÉ!
                  BOM DIA E QUE DEUS ILUMINE NOSSAS VIDAS
                                            OBRIGADA!
Velucy
Enviado por Velucy em 07/11/2019
Código do texto: T6789036
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2019. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Velucy
São Paulo - São Paulo - Brasil
1581 textos (10035 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 16/11/19 23:23)