Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

QUEBRANDO BARREIRAS - INQUIETO - PARTE 5

                                         XIV - INQUIETO

                                         Everybody is restless, everybody is scared
(E todo mundo está inquieto, todo mundo está assustado.)
                       Everybody is looking for something that just ain’t there
(Todo mundo está procurando por algo que simplesmente não está lá.)
                                                                       Everyboby is restless!
(Todo mundo está inquieto!)

                                 “Restless” – do Álbum Breaking Hearts – 1984


                           
                   Foram os quatro, Rod Stewart, Graham Taylor, Bernie e Elton para Woodside.
   Enquanto Elton tomava seu tão ansiado banho, Rod, Bernie e Graham disputavam uma partida de sinuca. Bernie bateu nos dois. Rod jogou o taco sobre a mesa e desistiu.
- Ah, caramba. Também pudera, ele treina isso com o Ringo Starr todo dia! Meu negócio é futebol!
   Ele foi sentar-se numa poltrona, enquanto Bernie ria, orgulhoso, vangloriando-se.
- O meu também, concordou Graham. – Que tal uma partidinha, só pra revanche, hein, Taupin?
- Não curto muito futebol. Ainda se fosse basebol... Futebol americano...
- A gente matava você no futebol americano, cara!
- Não, futebol mesmo, disse Rod. - É revanche. A gente tem que bater em você em alguma coisa, baixinho. Bater ganhando, não necessariamente matando.
- Aí quem mata a gente é o Elton, disse Graham, rindo.
- Estou morrendo de rir, disse Bernie, com ar de nojo, não achando a menor graça dos dois.
- Vamos, vai, Taupin. Futebol!
- Onde? No jardim do Elton? Ele nos mata a todos de qualquer jeito! Eu entro no pacote. Ele morre de ciúme daquele jardim. O TOC dele vai aos píncaros.
- Mata nada! Vamos lá! – falou Rod, saindo correndo na frente.
    Arrumaram uma bola em algum lugar da casa e improvisaram uma pelada, no meio do maravilhoso jardim da mansão de Elton que apareceu pouco depois, vestido em um conjunto de jaqueta e calça de couro sobre uma camisa rosa e um chapéu preto na cabeça pra combinar com a roupa.
- Era uma vez meu gramado... ele suspirou, sorrindo.
- Você se vestiu... assim? Por quê, vadia? – Rod perguntou, parando de correr e levando uma bolada na barriga, mandada por Graham.
   Foram só risos, enquanto ele se curvava de dor.
- Vai ficar devendo, GT, ele disse, gemendo e colocando as mãos sobre a barriga.
- Desculpa, cara, lamentou Graham.
   Bernie sentou-se no chão de tanto rir, sujo até os cabelos, descalço, com as pernas da calça dobradas até o joelho e já sem camisa, apesar da temperatura londrina.
- Você está ficando velho, Roderick, Elton falou, com as mãos nos bolsos da jaqueta.
- Por que você colocou essa roupa? Vai sair pra caçar tão cedo?
- Eu estou cansado. Não sabia que vocês iam jogar. Continuem, eu me contento em observar.
- Eu cansei, falou Bernie, deitando-se no chão.
- Eu preciso ir embora, falou Graham, sentado no chão ao lado dele.
   Rod continuou brincando com a bola e jogou para Elton que a segurou no pé.
- Domingo, no campo do Watford. Aqui, na minha graminha verdinha cuidada com todo carinho, não! O Bob dá duro pra cuidar disso aqui, sabiam?
- Eu não disse? - Bernie perguntou baixinho.
   Elton chutou a bola para longe.
- Onde ele está? Não vi ninguém, Rod observou.
- Preparando alguma coisa pra gente comer. Depois de tanto exercício, as crianças devem estar com fome.
- Eu estou, falou Bernie, erguendo o indicador.
- Já liguei pro Dick. Marquei com ele hoje à noite, na casa dele.
- Hoje, à noite? Mas eu nem tenho o que vestir pra uma ocasião tão especial, ironizou Bernie.
- A desculpa não convenceu, Bernie. Você não vai a nenhum desfile de modas, disse Elton.
- Minha roupa está toda na casa do Rod, cara. Tua roupa não cabe em mim.
- O Bob vai até lá e pega, quando voltar de Lincolnshire. Não é problema.
- Não adianta fugir, não é, baixinho? – Rod perguntou. – Ele quer você aqui, meu bem!
  Bernie ergueu o dedo médio em riste para ele.
- Ai, não faz isso, amor. Eu apaixono, disse Rod, segurando a mão dele. – Eu vou embora, meninas.
- Precisamos conversar sobre aquele projeto nosso de excursionar junto, Roderick.
- Por mim, tudo certo. É só você espremer sua vasta agenda, mas só pode ser no ano que vem.
- Mas aí você estaria indo na minha turnê!
   Rod pensou um pouco e deu de ombros.
- Aceito o desafio.
- Você iria a uma turnê minha como convidado?
- Por que não? Ninguém morre de humilhação quando o dinheiro rola e quando se canta melhor. Você vai ter que me pagar com os olhos da cara com lente e tudo, mas quem liga pra dinheiro, da Elton’s Road pra cá? Vai ser um prazer dividir o camarim com você, querida.
   Elton riu a valer.
- Como você vai pra casa? A pé de novo? – Bernie perguntou, ainda deitado na grama.
- A limusine está lá no portão. O meu chofer seguiu a gente até aqui. Graham, a gente se vê no domingo?
- Como o chefe falou.
- Certo. Taupin, obrigado por ter me deixado tirar uma lasquinha de você. Foi um prazer inenarrável. A gente se vê no próximo.
- No próximo talão de cheques, claro, falou o letrista, cínico.
   Elton e Graham riram. Rod colocou as mãos na cintura e despejou:
- O que me dá náuseas é esse novo americanozinho capitalista metido a besta. Você educou ele muito mal, Ellie. Mas obrigado por me emprestar o seu letrista. Não seja burro de jogá-lo fora duas vezes. Ele é pequenininho, mas vale seu peso em ouro e sabe disso agora.
   Elton ameaçou correr atrás dele, mas as pernas magras e longas de Rod já o levavam longe pelo jardim em direção ao portão, gritando:
- Tchau, meninas!
- Preciso ir também, disse Graham, erguendo-se. – Dá pra emprestar sua banheira?
- Claro que dá. O Bob já preparou um banho pra você e roupas, querido. Fique à vontade.
- Maravilha! Até já.
   Graham dirigiu-se para a casa. Elton olhou para o parceiro e o viu de olhos fechados. Abaixou-se perto dele e continuou olhando para ele.
   Bernie não era alto, mas tinha músculos definidos nos braços e no peito. Consequência dos exercícios que fazia agora e do tempo que trabalhou duro em sua cidade natal, pouco antes de conhecer Elton aos dezessete anos. Tinha o corpo bonito.
   Estranhando o silêncio, Bernie abriu os olhos e ao ver o amigo olhando para ele, sorriu.


                           XIV – INQUIETO - PARTE 5
       OBRIGADA, SENHOR, PELAS MINHAS INQUIETAÇÕES...
                            E PELAS MINHAS CERTEZAS!
                                          BOM DIA!
                           DEUS NOS ABENÇOE A TODOS

Velucy
Enviado por Velucy em 12/02/2020
Código do texto: T6864142
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2020. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.

Comentários

Sobre a autora
Velucy
São Paulo - São Paulo - Brasil
1682 textos (11051 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 23/02/20 23:40)