Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

A QUARENTENA - Episódio#06 | As investigações continuam

Natália não perdia um lance de olhos no escritório do pai. Tentando decifrar o mistério de tanto segredo. Poderia, de repente, não haver mistério algum. De repente, não mais que de repente, seu pai era mais um pai como outro qualquer. Talvez, mas ela não entendia porque o pai nunca a deixara entrar nesse local onde agora ela põe os seus pés.

Seus olhos nem piscavam. As paredes devem conter algum segredo. Uma passagem secreta, um espelho mágico, um portal para outra dimensão. Ela se imaginava em um filme de fantasia, ou um filme de suspense investigativo. Sim, seria ela nesse momento um agente do FBI, CSI, ou qualquer outra sigla dessas em que todos conhecem, mas poucos sabem o que realmente é. Desapontada, pois estava horas estudando possibilidades de vestígios de um crime psicológico, mas ela não achou nada. 

Ela já estava desistindo, abriu o notebook do pai, para mexer na internet e procurar algum curso online para fazer nesse momento de quarentena sem fim. Não fazia nem 3 dias de quarentena, mas parecia uma eternidade. Entrou no site de busca e digitou "Curso Online" no Google. E surgiu uma infinidade de links dos mais variados assuntos. E agora, José? O que fazer?

Marketing digital, maquiagem, informática, qualificação profissional, concursos públicos, curso de japonês, teologia, música, ... Blá, blá, blá. Muita coisa para decidir. Ela resolveu digitar vestibular, porque ela sabia que o tempo de estudar para o vestibular está próximo, então a voz da mãe ressoa em sua cabeça: porque não adiantar os estudos? Ela responde mentalmente para a voz de sua mãe: só se for de uma matéria que eu goste... A voz de sua mãe concorda...

Literatura. Decidiu. Digitou e saiu o resultado. Tem vários ... Ela clica em qualquer um: "Língua Portuguesa Brasil". Clicou. Eis que surge um vídeo de um professor descendente de japonês querendo dar aula de literatura brasileira. Uma mistura interessante, pensou ela. Vou fazer esse curso. Tem todas as escolas literárias, do barroco ao modernismo e depois tem um módulo para quem quer escrever um texto literário.

Foi quando ela olhou para o chão e viu algo que a incomodou. Uma bola de papel amassada. Ela odeia as coisas fora do lugar. Pegou a bola e arremessou no cesto de lixo, como se ela fosse uma jogadora de basquete. Kkkkk. A bola, entretanto, ao contrário do que tinha vindo na mente dela momentos antes, não entrou na cesta. Foi até lá, pegou novamente a bola com a cara de um desapontamento exemplar e, ao se aproximar do lixo, viu que tinha várias outras bolas como essa.

Surpreendentemente, de desapontada, sua face ficou curiosa. Dava para ver os pontos de interrogação nós seus olhos. Bruscamente, abriu a bola de papel amassada e eis que tinha uma frase... e com nome de mulher.

"Numa dessas noites reluzentes, Laís, poderosa e bem amada, saiu de sua casa para se encontrar com seu lugar comum".

[CONTINUA]
Prof Eduardo Nagai
Enviado por Prof Eduardo Nagai em 25/03/2020
Reeditado em 25/03/2020
Código do texto: T6896461
Classificação de conteúdo: seguro

Comentários

Sobre o autor
Prof Eduardo Nagai
Maringá - Paraná - Brasil, 39 anos
26 textos (652 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 10/04/20 05:29)
Prof Eduardo Nagai

Site do Escritor