Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

LEO - RECORDAÇÕES - CAPÍTULO 9

                               CAPÍTULO IX – RECORDAÇÕES

                  Disposta a acabar com aquele mal-entendido, Gilda foi com Cris até o casarão de Samuel Torres. Dentro dele, ela sentiu voltarem à sua mente muitas recordações, mas ficou triste com o estado geral da casa.
- Como alguém pode ainda morar aqui, filha?
- O Samuel morava, não morava?
- Era um velho, já meio esclerosado e sozinho. Mesmo que fosse possível, Leo não ia ficar aqui um dia sequer.
- Não quero discutir isso com você. Não é pra isso que estamos juntas aqui. Vamos subir?
   Gilda concordou. Subiram e Cristina levou a mãe até o quarto de Leo Torres. Depois de uma pausa diante da porta, ela pediu à mãe:
- Abre você, mãe.
- Por quê? Você tem medo dele? – Gilda perguntou, sorrindo.
   Cristina não respondeu. Gilda abriu a porta e entrou.
   Lá dentro, só viu o quarto que já conhecera há muito tempo. Entrou devagar e ficou olhando para tudo com saudade. Cada móvel contava alguma coisa sobre Leo. A estante, a escrivaninha, o piano e a cama do rapaz.
   Cris entrou atrás da mãe e não viu nada além do que vira quando veio com Bruno e com Leila.
- Ah, meu Deus, de novo não!
- Não tem ninguém aqui, Cris, como na casa inteira.
- Mamãe, eu não estou louca. Eu vim até aqui duas vezes e esse quarto estava limpo como se tivesse sido usado naquele momento. Não tinha poeira nenhuma como agora. Parecia um outro mundo! O piano até brilhava!
   Gilda aproximou-se do piano coberto de pó e passou a mão sobre ele, deixando o rastro de sua mão. Olhou para o quadro de Leo e ficou muito tempo olhando para o rosto do rapaz. As lembranças ficaram ainda mais vivas que antes.
- Você gostava mais dele do que do papai, não é? – Cristina perguntou, um tanto magoada.
- Não sei, filha. O Leo foi pra mim alguma coisa que começou e não teve final. Fizeram pela gente o que a gente não queria fazer. Decidiram por nós terminar o namoro e... ficou tudo sem sentido... Seu pai era um homem maravilhoso... por ter se casado com um garota que... ainda amava outro rapaz... Mas se eu não o amasse, não teria tido você...
- E o Bruno...
- É... e o Bruno.
   Gilda voltou-se para perto dela.
- Vamos embora daqui?
- Mãe, você tem que acreditar em mim! Foi esse rapaz que eu vi aqui por duas vezes! Era ele! – disse ela, apontando nervosa para a foto na parede.
- Mas onde ele está, meu amor?
- Eu não sei! – Cristina diz, aflita. – Eu não sei...
- Vamos embora. Em casa a gente pensa melhor e eu tenho que trabalhar. Vem, meu bem.
- Me deixa ficar mais um pouquinho aqui, mãe?
- Cristina...
- Por favor, mãe. Não há perigo nenhum aqui. A casa é segura, você viu. Não tem ninguém aqui.
   Gilda olhou para ela com jeito de quem duvidada e Cristina sorriu.
- Por favor, mãezinha...
   Ela aceitou. Cristina levou a mãe até a porta da casa e Gilda foi embora, mas não sem antes recomendar que ela voltasse logo para a casa. Cris ficou ainda olhando o Fusquinha se afastar e subiu novamente para o quarto de Leo. Quando chegou diante da porta, teve a estranha sensação de que Leo estava lá dentro e... ele estava.
   Cristina entrou e reviu o quarto novamente modificado e ele sentado na cama, esperando por ela. A moça respirou fundo e quis gritar, mas um gesto dele e fez calar-se.
- Não! Não grite!
   Ela sentiu a respiração ficar difícil e as pernas bambearem; tudo escureceu e ela desmaiou.

                                   LEO – CAPÍTULO 9
                                      “RECORDAÇÕES”
                         OBRIGADA, SENHOR, POR TUDO!
                          CONTINUE NOS PROTEGENDO
                        COM SEU ESCUDO DE MISERICÓRDIA!
                                  BOM DIA E OBRIGADA!

Velucy
Enviado por Velucy em 17/06/2020
Reeditado em 19/06/2020
Código do texto: T6979621
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2020. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.

Comentários

Sobre a autora
Velucy
São Paulo - São Paulo - Brasil
1780 textos (12199 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 15/08/20 08:46)