Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

MANDY II - NINHO (1989) - PARTE 3

                               III – NINHO (1989)

                                         
                        Amanda também olhava para ele. Marco deslizou os dedos pelo rosto dela e a beijou, suave e ternamente.
- Eu dou o fogão! - falou Teo, erguendo o dedo indicador, percebendo que a coisa estava ficando romântica demais, o que o deixava meio nervoso.
   Marco olhou para ele e sorriu, voltando a expressão de moleque de sempre.
- Oba! Falou, padrinho!
   E bateu na mão que Teo ergueu no ar.
- Bom, pombinhos, eu vou nessa. Marcão, parabéns... de verdade.
- Marco! - ele estrilou, pois não gostava quando o amigo o chamava assim.
- Desculpe... Marco, consertou ele, apertando a mão do amigo.
- A gente vai sair hoje à noite? Não quer vir junto?
- Nós três?
- Nós três e mais a turma da faculdade.
   Teo fez uma careta e balançou a cabeça, não aceitando o convite.
- Por que não?
- Turminha da faculdade, outra realidade, meu...
- Está com ciúme... Amanda falou, sorrindo.
- Frescura! - disse Marco. – Você tem que parar de colocar barreiras entre você e a minha turma. São meus colegas também. Eu não tenho culpa se você parou de tentar. Eu aceito isso, se é a sua vontade, mas não me exclui da sua vida, por causa disso. Eu corto relações de novo, hein!
  Teo olhou para Amanda.
- Que cara mais radical, credo! Com ele agora é tudo ou nada. Culpa sua, viu, boneca? - ele falou, beijando Amanda no rosto
   Ela riu, divertindo-se com o humor característico dele.
- Vai ou não vai? - Marco perguntou, sério.
- Eu vou! Pronto! Passa em casa às sete.
- Legal!
   Teo beijou Amanda novamente, bateu no ombro no amigo e foi para a porta. Quando chegou lá, voltou-se e falou:
- Juízo, hein! Não façam nada que eu não fizesse, sozinhos aqui dentro.
   Os dois riram e ele também, indo embora em seguida.
   Amanda olhou para Marco e ele para ela, beijando várias vezes seu rosto, bem devagar.
- É nosso mesmo? - ela perguntou.
   Ele balançou a cabeça, confirmando.
- Eu nem acredito...
   Marco a beijou na boca, doce e longamente. Depois disse, baixinho.
- Vou te contar um segredo...
- O que é? - ela perguntou sorrindo.
- Eu fui falar com o padre que casou a gente no hospital.
   Ela olhou para ele rapidamente.
- E...?
- Eu marquei nosso casamento... de novo... pra sete de outubro...
   Amanda ficou olhando para ele, sem acreditar, imaginando que ele estivesse brincando.
- Sete de outubro... do ano que vem?
- Sete de outubro desse ano.
- Mas isso é daqui a... sete meses!
- Muito cedo? Se você não quiser, eu vou lá e cancelo tudo...
- Não!... Não cancela nada, mas... é loucura! Só que... nossos pais não vão concordar com isso!
- Seu pai vai se casar também com a Rita em abril e ela dobra ele, que eu sei.
- Ela sabe?
- Ninguém sabe, só eu, você e o padre. Vamos ter problema com meu pai, mas, até lá ele já vai ser papai de novo e vai ter outras preocupações bem diferentes.
- Mas por que você fez isso sem me dizer?
- Eu tive medo que você tivesse medo... como eu tinha....
- Se você estava com medo, por que fez?
   Ele respirou fundo e respondeu apertando-a nos braços com mais força.
- Porque o medo de perder você era bem maior. A gente já está casado. Isso ninguém muda mais. E eu acho que não vou conseguir ficar mais um ou dois anos fingindo que ainda sou solteiro e ficar nessa de... namoro, por mais tempo. Eu quero você comigo, sempre... e logo...
- O padre não falou nada? Não deu contra?
- Não. Ele é mais romântico que eu. Sabe que a cerimônia que fez foi séria e pra valer. Só precisa que você vá lá depois e confirme que também quer se casar comigo de novo. E desta vez vai ter o lance do cartório, assinatura de papéis na igreja... essas coisas... Só depende de você dizer que quer.
- Eu quero, ela disse, olhando nos olhos dele.
  Marco a beijou.
- Isso é um segredo, não esquece.
- Mas eles vão ficar sabendo, mais cedo ou mais tarde.
- Vão, claro que vão. Nas férias de julho, depois que o meu irmão nascer, eu conto tudo pro meu pai e pro seu.
- Você acha que o apartamento já vai estar mobiliado até lá?
- A gente dá um jeito. Eu vou começar a estagiar na agência da Rita no mês que vem. Ela vai me pagar até que bem pro começo e eu coloco todo o dinheiro na mobília.
- Ela pode me arranjar outro comercial pra fazer. Aí, é uma ajuda a mais.
- Pode ser...
   Amanda afastou-se um pouco dele e começou a olhar em volta.


                                    NINHO (1989)
                                        PARTE III

                          DEUS ESTÁ EM TODAS AS COISAS
       OBRIGADA PELA COMPANHIA E QUE ELE LHES DÊ UM BOM DIA!

                            2021 ESTÁ CRESCENDO TAMBÉM!

                            PAZ, LUZ, ALEGRIA E HARMONIA
                           SAÚDE E MUITAS BÊNÇÃOS A TODOS

                      ESPERANÇA E CONFIANÇA NO FUTURO SEMPRE!

                 SONHAR FAZ PARTE DO CRESCER E AINDA É DE GRAÇA!

Velucy
Enviado por Velucy em 12/01/2021
Código do texto: T7157834
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2021. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.

Comentários

Sobre a autora
Velucy
São Paulo - São Paulo - Brasil
2147 textos (15688 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 24/01/21 05:31)