Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

MANDY VI - O PRIMEIRO ANO DO RESTO DE NOSSAS VIDAS-PARTE 1

                   I – PRIMEIRO ANO DO RESTO DE NOSSAS VIDAS
                                          (fevereiro de 92)


                         No próximo final de semana, Marco ia colar grau como publicitário na faculdade Anhembi/Morumbi.
   Ele e seus amigos de turma, a “Liga das Nações”, tinham se reunido naquele dia em sua casa para uma despedida simbólica. Chu, Rubens, Alba, Helena, Eugênio e Cleo, que trouxe Teo a tira colo, pois ele não poderia faltar, já que era seu marido e melhor amigo de Marco, estiveram presentes num churrasco muito descontraído e divertido. Só Claus Kirner não pôde comparecer, pois tinha viajado com o pai para a Alemanha para visitar parentes por lá, mas estaria com eles na formatura.
  Enquanto os rapazes conversavam junto à churrasqueira nos fundos da casa, com Teo e Eugênio pilotando a grelha, Alba, Helena e Cleo paparicavam os gêmeos, já com quase quatro meses, dentro da casa, no quarto do casal.
  Cleo, em pé perto da janela, segurava e embalava levemente o afilhado, vestido num macacão vermelho, que ela mesma tinha dado, e Helena, sentada na cama, segurava Letícia num vestidinho pink também dado pela moça. Alba estava sentada a seu lado.
- Eles são tão fofos, meu Deus do céu! – Helena disse. – Olha essa boquinha. É a boquinha do Marco. Ela é muito gostosa. Amanda, quando você se cansar dela, dá pra mim?
   Amanda riu.
- Quer que eu responda agora ou quando ela fizer quinze anos, Heleninha?
- Você pode até ter esse tempo, amiga, porque acho que daqui quinze anos ela vai ser linda como você era há três anos. Eu posso esperar.
- Você já voltou ao seu peso normal, Amanda? – Cleo perguntou. – Você está muito bem agora.
- Não, ainda não. A minha elegância está dependendo da cinta ainda, ela disse, passando a mão pela barriga. – Mas em um ou dois meses eu recupero metade do que era. Vou ver se arrumo um tempo e vou voltar a dançar. Não estou com muita pressa, não. A felicidade de ter os dois comigo vai me fazer voltar ao normal rapidinho.
- O Marco é que está cada dia mais lindo, com todo respeito, Amanda, disse Alba. – Eu comprei uma revista esses dias na banca perto de casa que tem umas fotos dele vestindo uns bleisers e ternos... Meu Deus!... Que perdição! Se ele não fosse casado, eu juro que eu pegava...
- Alba! – ralhou Helena.
- Eu já falei, com todo o respeito à mulher dele, Heleninha! O garoto é gostoso demais, que é que você quer que eu faça? Antes eu falar na frente dela do que por trás! Ela sabe que o marido é gostoso mesmo!
   Amanda sorria, divertindo-se com elas.
- Pode deixar, Alba, eu não ligo. Se eu tivesse que me estressar com isso, já tinha ficado doida. Aqui na rua tem duas ou três garotas que pedem autógrafo pra ele toda vez que ele chega com o carro na frente de casa.
- E você deixa? – Cleo perguntou.
- Ele é lindo mesmo. O que eu posso fazer? Enquanto a nossa conta bancária estiver crescendo no banco e ele estiver se divertindo... eu não posso reclamar de nada. Tenho só que agradecer a Deus.
- Eu não teria esse sangue frio, disse Heleninha, balançando levemente a menina em seu colo. – Meu bofe sendo assediado por outras peruas? Não... mil vezes não!
- Quando eu voltar à ativa na RR, seremos dois assediados aqui em casa, aí eu me vingo.
   As garotas aplaudiram em apoio.
- É isso aí, amiga! – disse Alba, erguendo a mão onde Amanda bateu com a sua.
- E isso não vai ser pra sempre. O Marco não quer modelar por muito tempo. Ele está só fazendo isso porque a gente tem planos de comprar um lugar pra abrir a nossa própria agência. A Rita já está correndo atrás disso pra nós.
- A AR&MAR? – Alba perguntou.
- É...
- Ele fala com a gente há muito tempo sobre isso, na faculdade. O Rubens chegou a cogitar entrar como sócio dele...
- O Marco me disse. Pois é, quando ele vir que as coisas já estão bem encaminhadas, ele vai parar de modelar e vai se dedicar só a isso. Eu também só vou modelar exclusivamente pra RR até o final desse ano, até me formar também. Depois vou fazer as duas coisas, com menos ênfase pra publicidade. Vou fazer só trabalhos esporádicos. Também quero ser só publicitária.
- Mas você é tão linda também... Não devia parar, disse Cleo.
- Obrigada, Cleo, mas a vida não é só beleza. Nós temos dois filhos pra criar e temos que garantir o futuro deles.
- Certíssima! – apoiou Helena. – Hum... acho que tem alguém aqui que está ficando com fome, mamãe.
   Helena colocou Letícia no colo de Amanda, pois a menina já mostrava sinais de inquietação pela fome.
   

                 O PRIMEIRO ANO DO RESTO DE NOSSAS VIDAS (92)
                                               PARTE I
                 DEUS ABENÇOE A TODOS OS JOVENS DE ESPÍRITO

                                         OBRIGADA E BOM DIA!
Velucy
Enviado por Velucy em 08/04/2021
Reeditado em 08/04/2021
Código do texto: T7226658
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2021. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.

Comentários

Sobre a autora
Velucy
São Paulo - São Paulo - Brasil
2387 textos (17586 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 14/04/21 07:38)
Velucy