Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Fuga

Passo a vida a fugir.
A fugir do que sinto, a fugir do que sou, a fugir do que desejo ser.
Convenço-me em vão de que é simples esquecer, não é.
Basta lembrar de novo para que eu seja dirigida pela imprevisibilidade e pelo enigma de um sentimento que sempre me fez fugir da realidade, uma vida que pouco a pouco se foi perdendo com o tempo, basta uma lembrança, real, viva, para as forças irem ao chão, caem as máscaras de ódio colocadas para disfarçar o meu sofrimento, as máscaras de desinteresse, quando tudo o que queria era apagar, voltar o tempo atrás.
Dói, dói porque tenho a convicção de que esse tempo não volta mesmo atrás, os minutos passam incólumes à minha dor, surdos aos meus berros.
Depois fica aquela sensação de vazio, o silêncio, aquela sensação de indignidade.
Perdi a crença em mim, no meu poder de ultrapassar toda e qualquer dificuldade, é mentira, é uma ilusão, continuo esfarrapada esquecida ao canto, permaneço acorrentada por um silêncio que desejo romper com gritos.
Aqui fico reconfortada por (apesar de pouco crer) ter conhecimento de quem sou.
Aqui fico à deriva, à procura de mim, à espera de que algo domine novamente o silêncio e que o passado permaneça enterrado num baú perdido num lugar esquecido da minha mente.
Agarro-me à sanidade convencida que ainda a tenho, sou há muito tempo, alienada, refém de sentimentos que quero compreender, mas que sempre me ocultaram explicações.
Aqui permaneço refém do meu silêncio.
Tatiane Gorska
Enviado por Tatiane Gorska em 19/06/2009
Código do texto: T1657242

Copyright © 2009. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.

Comentários

Sobre a autora
Tatiane Gorska
São Paulo - São Paulo - Brasil, 38 anos
882 textos (18072 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 01/10/20 17:15)
Tatiane Gorska