Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Quando falo de chuva fina,que até gosto dela, é verdade,
ao dizer de algumas tristezas e mazelas verdade é,
O frio fere minha pele alva deixando-a marcada
porém ela o acolhe com carinho e o faz calor
Por isso nenhuma intempérie me desanima
estou sempre procurando ver em tudo o amor,
Sou assim como a lua em fases distintas nas estações
tento iluminar a noite apenas para enciumar o sol,
Roubo sons do vento e com eles faço minhas canções
sei amar muito ao meu jeito,sem nada dizer,
Sou ponderada demais e sincera ao extremo,
também lúcida nos pensamentos,mas sei enlouquecer,
Para mim tanto faz se há claridade ou escuridão,
pois minh'alma flutua sempre mais forte que meu corpo
que cansado,muitas vezes,quase explode o coração,
De saudade me alimento sem nunca enfastiar,
tudo de bom que plantei sei que irei colher,
Meu jardim está sempre florido em perfumes,
mesmo agora no tempo deste cinza outono,
Seguirei mais este dia em passos solitários,sendo mais eu
solfejando minha canção de vida sem notas de abandono

                           http://vidaemsolfejos.blogspot.com




09/04/10
 













Marilda Lavienrose
Enviado por Marilda Lavienrose em 09/04/2010
Reeditado em 09/04/2010
Código do texto: T2186631

Copyright © 2010. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.

Comentários

Sobre a autora
Marilda Lavienrose
Campinas - São Paulo - Brasil
1805 textos (90209 leituras)
40 áudios (3030 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 21/01/20 15:06)
Marilda Lavienrose